Provérbios 18


Lição 18: Várias virtudes, entre elas a virtude da fidelidade - capítulo 18
1.Ninguém obterá sabedoria isolando-se. Aliás, isto é contra toda a sabedoria. O separatista é um egoísta que pensa que sabe mais do que os outros. Claro que temos de nos separar do pecado, mas nunca nos afastar com o fim de julgar-nos superiores. Quem retém o que sabe e não ensina a outros, está indo contra a sabedoria, também (v.1).

2.O tolo é egoísta, somente os seus sentimentos é que interessam e este sente necessidade de expressar o que está no coração (v.2).

3.Algumas pessoas carregam consigo o desprezo, causando constrangimento no ambiente saudável (v.3).

4.O que existe dentro de um sábio é tão profundo que se transbordar como ribeiros dará vida para quem estiver
perto dele. O contrário também é verdade: um tolo espraia loucura (v.4).

5.Outro ato de injustiça: favorecer o ímpio em detrimento ao justo. O contrário também é verdade. Às vezes um injusto está com a razão num momento específico, e não devemos favorecer o bom só porque é bom. Cada caso julgá-lo como singular (v.5).

6.O de palavras contenciosas está como que pedindo o castigo para si. A conversa do tolo o coloca em problemas (v.6-7).

7.Para quem está doente espiritualmente a difamação e a fofoca são prazerosas (v.8).

8.Desperdiçador é também um destruidor. Quem deixa um serviço incompleto por negligência é quase o mesmo que aquele que o destrói (v.9).

9.O único refúgio seguro é Jeová. É uma bela figura, alguém correndo do perigo de guerra para a Torre Forte. Há estabilidade no Senhor (v.10).

10.O rico pensa que está muito bem protegido, mas vive de imaginações e não de certeza, como é o caso do justo do v.10 (v.11).

11.Diante da queda vai a arrogância. Antes de vir a honra é porque houve a humildade (v.12).

12.A precipitação mais o mau uso da língua formam uma vergonhosa dupla, denunciando o que tal obra pratica como um tolo. É muito importante ter todos os fatos antes de expressar qualquer opinião (v.13).

13.Estar doente já é difícil; e caso o espírito também esteja abatido tal pessoa está em grande aflição (v.14).

14.Quanto mais alguém obtém conhecimento, mais sábio fica, e mais necessitado se acha, portanto, mais busca. (v.15).

15.Aqui não é necessariamente uma atitude errada. Existe presente (sohad = presente interesseiro, suborno); e presente (mattan = um gesto de paz ou cortesia inocente, que é o caso). Também "minhah" (1 Sm 17.18, 43.11) (v.16).

16.É justo ouvir e examinar as duas partes em conflito, pois o primeiro sempre parece ter a razão. Alguns pleitos difíceis de resolver pelos juízes eram decididos pelo Senhor, através da sorte (método aprovado por Deus). O equivalente hoje é orar, entregando ao Senhor e alegrar-se na decisão Dele (v.17-18).

17.Contendas firmam a inimizade, dificílima de reconquistar se a pessoa ofendida se recusa a abrir as portas, através do perdão, que é a chave desses ferrolhos. Napoleão Bonaparte dizia: "Neutralize o inimigo", o que serve de ilustração para nós: evite as contendas para que os "palácios" da amizade não se tranquem. Isso não significa, por outro lado, complacência com atitudes erradas, ainda que por amigos íntimos (v.19).

18.Morte e vida para o que ouve e para o que fala. Cada um sofrerá as conseqüências de suas palavras, ou se beneficiará delas (v.20-21).

19.É claro que a idéia é achar uma esposa fiel e ajudadora. Quem ama a esposa e vê nela uma bênção do Senhor deve sempre agradecer (v.22).

20.O pobre precisa do rico, e normalmente o rico o despreza (v.23).

21.No hebraico: "O homem que faz muitos amigos o faz para a sua própria destruição". O contraste vem a seguir onde mostra que há UM amigo digno desse nome, para nós é Jesus (v.24).

Nenhum comentário:

Postar um comentário