Provérbios 20


Lição 20: Sobriedade, diligência e bondade - capítulo 20
1.O álcool tem destruído muitos lares, muitas vidas, muitos negócios, em todos os lugares do mundo e não só no Brasil. A Bíblia condena claramente a bebida fermentada, que é forte o suficiente para embriagar. Por isso, seria incoerente pensar que Jesus deu este tipo de bebida no casamento em Caná da Galiléia (v.1).

2.O rei dá honra aos merecedores, mas despreza os desobedientes. Ver 1 Rs 11.28 (v.2).

3.O crente sábio não deve prolongar uma questão. O tolo não só prolonga uma questão como busca outras contendas para intrometer-se (v.3)

4.O inverno foi a desculpa para não sair de casa (chuva e vento frio). Porém, na época da colheita não tem o que colher. Quem ajudará o preguiçoso? Em decorrência da falta de ajuda o preguiçoso queixa-se de sua sorte
e, ainda, acusa os outros de dureza de coração! (v.4)

5.O sentido deste versículo é que o íntimo de uma pessoa é oculto e quase impossível desvendar. Quase porque alguém, provido de entendimento tem a capacidade, dada por Deus, de trazer para fora as intenções de outra pessoa. É o trabalho do conselheiro dedicado e com entendimento (v.5)

6.Cada qual pensa que é bom e por isso, quer ser honrado. Mas sob qual ótica ele é bom? Pela sua própria, portanto, não merece honra. Os bons são honrados até pelos maus (14.19 compare com 1 Sm 2.36) (v.6).

7.O injusto, de certa forma, também anda em sinceridade (em sua própria sinceridade), mas não em integridade. A prova final são os resultados que o tempo desvenda. A melhor herança dos pais para os filhos é a justiça (v.7).

8.A autoridade do rei é reconhecida e temida. Ele é honrado e distribui recompensas e castigos conforme as obras de seus súditos. O verbo "dissipa" no hebraico é "joeira", isto é, separa a palha do trigo; a analogia mostra que o olhar do rei é investigador, ele conhece cada um (v.8)

9.Diante de Deus quem é puro? Provérbios encara o pecado de modo muito severo. Nada menos do que a santidade é aceito por Deus. Deste modo, diante Dele todos somos miseráveis, carentes de Sua misericórdia (v.9)

10.Este versículo literalmente é assim: “Uma pedra e uma pedra e um efa e um efa”. “Pedras eram usadas nos tempos antigos para pesar e um ‘efa’ era a medida comum entre os judeus; e estes não deviam ser diferentes; uma pedra ou peso para a compra e outra para a venda...” { } (v.10).

11.Deus não vê a criança apenas como um futuro adulto, mas como de fato é, uma pessoa que até certo ponto responde por seus atos e sabe o que está fazendo. As atitudes de uma criança mostram sua culpabilidade e também, seu bom caráter, quando assim for (v.11).

12.Este provérbio é um enigma. Portanto, ler apressadamente não é a maneira de entender, pois é preciso pensar. Deus fez os olhos e os ouvidos. Esses membros têm funções específicas e quem os possui deve usá-los. O conselho é: observe bem a vida e ouça bem, assim será sábio (v.12).

13.Em outras palavras: "Vá trabalhar". O levantar cedo está quase sempre ligado a atividades frutíferas (v.13).

14.Aqui é descrita de maneira bem cômica a natureza humana: o pechincheiro, na hora de comprar diz que o artigo não presta, depois de comprado mostra aos amigos e diz que bom negócio fez! O mais grave é tratar certos assuntos espirituais como se fossem artigos de "pechincha" (Hb 12.16) (v.14).

15.Boas palavras valem muito, por isso pessoas devem ser medidas com base no que têm: conhecimento ou falta de conhecimento (v.15).

16.Ou seja, ficando por fiador de um desconhecido, pegue dele alguma garantia (v.16).

17.Deus revelará toda a desonestidade. Alguém começa deslizando um pouco com a verdade, depois obtendo vantagens em ludibriar os outros; ao final já está bem treinado na mentira, até que a sensação será como pedrinhas de areia entre os dentes (v.17).

18.Os pensamentos são vazios até buscar um conselheiro quando firma os pensamentos e os corrige, se necessário (Lc 14.31) (v.18).

19.O perigo de quem elogia. Como não conhecemos o coração de alguém, a Bíblia manda não confiar muito nas lisonjas. Claro, que o elogio sincero só tem a contribuir para o crescimento de outro (v.19)
20.A conseqüência da desobediência aos pais é uma desorientação em sua própria vida. Se os pais foram uma bênção devemos dizer, se não foram devemos calar-nos (v.20).

21.É pecado buscar a riqueza rapidamente. Por dedução, entende-se que ficar rico de maneira natural não é pecado. Ver Hc 2.6. Stephanie Luetkehans falou muito bem sobre a ganância quando disse: “Ter tudo não significa necessariamente ter tudo de uma vez” (v.21).

22.Melhor do que a vingança é esperar pelo Senhor. Quantos erros cometemos por tentar resolver uma ofensa a nós dirigida! (v.22)

23.Ver v.10. “Embora possam ganhar no presente, experimentarão perda no final, sendo que trará maldição em tudo que ganharem.” { } (v.23).
24.Novamente sobre a soberania dos planos de Deus. O sentido é que eu não posso entender o meu próprio caminho, pois nunca passei por este. O Senhor tem todos os nossos passos contados. Somente Ele pode saber o que sucederá (v.24).

25.Não fazer um voto até que esteja certo de que pode cumprir. É o caso de decisões públicas para a obra missionária, sem de fato, levar adiante (Ecl 5.5) (v.25).

26.O rei despreza o desobediente. Como a roda debulhadora passa sobre o trigo, assim o rei castiga o desobediente (v.26).

27.O homem (espírito) é a lâmpada do Senhor, porém a luz é o próprio Senhor. Deus nos conhece profundamente. O espírito é a parte do nosso ser que comunica com Deus. O uso hebraico da palavra ventre é para designar o mais íntimo do ser. Até o incrédulo tem essa lâmpada (espírito=ruah). 1 Cor 2.11 - a parte mais forte da lâmpada (espírito) do incrédulo é a consciência. Do crente é a Nova Natureza, regida pelo Espírito Santo (v.27).

28.O rei tem Honra, por causa de sua virtude e não apenas por causa de sua posição real (v.28).

29.”Isto é algo excelente neles, e é honra para eles quando esta força é empregada no serviço do seu rei e país, e especialmente no serviço de Deus...” { } “Jovens e velhos não devem desprezar um ao outro... ambos são úteis, um para a força e o outro para o conselho, e assim deve ser na igreja de Cristo.” { } (v.29).

30.A disciplina física purifica dos males do caráter e penetram além da pele, indo ao mais íntimo do ser. É óbvio que é uma figura de linguagem e não um literalismo, o que seria tortura e não disciplina (v.30).

Nenhum comentário:

Postar um comentário