Provérbios 31


Lição 31: As palavras de Lemuel. A mulher virtuosa - capítulo 31
A.As palavras de Lemuel – v.1-9
1.Não sabemos quem foi o Rei Lemuel e sua mãe. Alguns sugerem que "Lemuel"= “devotado ao Senhor” é o próprio Salomão, que também foi chamado "Jedidias"= amado do Senhor (2 Sm 12.25). A mãe seria Bateseba (v.1).
2.A mãe do rei precisa dar ensinos morais ao filho (v.2).

3.O adultério destrói reinados. O lar é o reino de um casal (v.3).

4.Hoje em dia o uso medicinal da bebida alcoólica não se justifica mais. Para dores existem anestesias (no caso de cirurgia) e morfina (no caso de dor alucinante). Um governador beberrão não pensa muito nos necessitados e do povo que trabalha duro (v.4-7).


5.Um político deveria ser justo e honesto, pois alguns dependem muito dele. "Mudo" refere-se àquele que não é tão nobre ao ponto de conseguir audiência junto às autoridades para reclamar as injustiças sociais (v.8).

6.Poucos que têm o poder de defender os pobres querem fazê-lo. Alguém que tenha a coragem para isto, fará justiça, embora, deva preparar-se para as críticas (v.9).

A seguir o resultado de uma pesquisa que introduz o assunto “Mulher Virtuosa”

Resultado da pesquisa “só para mulheres” realizada em 2002 

Instituto Bíblico Peniel para o curso de Provérbios (“Mulher Virtuosa”)


Todas as mulheres que receberam o questionário devolveram respondido. Correspondendo a um total de 20 mulheres. A seguir o resultado da pesquisa.


Perguntas
Sim
Não
1.Você é casada?
9 ou 45%
11 ou 55%
2.Você gosta muito de realizar tarefas domésticas como lavar, passar, cozinhar, limpar e arrumar?
12 ou 60%
7 são casadas (78%)
5 são solteiras  (45%)
8 ou 40%
2 são casadas (22%)
6 são solteiras (55%)
3.Você acha que o casal deve fazer uma escala de tarefas de casa para não ficar muito pesado para a mulher?
10 ou 52,5%  *
3 são casadas (33%)
7 são solteiras (70%)
9 ou 47,5 %  *
6 são casadas (67%)
3 são solteiras (30%)
4.Você acha que uma agência missionária deveria enfatizar mais o ministério da mulher e menos o trabalho de dona de casa?
11 ou 58%  *
4 são casadas (45%)
7 são solteiras (70%)
8 ou 42%  *
5 são casadas (55%)
3 são solteiras (30%)
5.Você acha que seria uma frustração fazer um curso bíblico e trabalhar, quase que exclusivamente, como dona de casa na tribo ou outro lugar?
10 ou 50%
5 são casadas (55%)
5 são solteiras (45%)
10 ou 50%
4 são casadas (45%)
6 são solteiras (55%)
6.Você é o tipo de mulher que não gosta que outros arrumem sua casa?
11 ou 58%  *
5 são casadas (55%)
6 são solteiras (60%)
8 ou 42%  *
4 são casadas (45%)
4 são solteiras (40%)
7.Se você pudesse ter empregada doméstica para quase todos os trabalhos de casa, você teria?
5 ou 25%
3 são casadas (33%)
2 são solteiras (18%)
15 ou 75%
6 são casadas (67%)
9 são solteiras (82%)
8.Você acha que mulher “caseira” é algo do passado e que hoje as mulheres devem ganhar seu espaço?
1 ou 5,2%  *
É a opinião única de uma solteira (10%)
18 ou 94,8%  *
9 são casadas(100%)
9 são solteiras (90%)
9.Você sente que uma mulher que cuida da casa e dos filhos é inferior a uma que dá palestras e tem outras atividades fora de casa?
Nenhuma ou 0%
20 ou 100%
9 são casadas(100%)
11 solteiras (100%)
10.Você acha que a feminilidade está ligada, de alguma forma, ao trabalho doméstico?
15 ou 75%
6 são casadas (67%)
9 são solteiras (82%)
5 ou 25%
3 são casadas (33%)
2 são solteiras (18%)

Observações técnicas:

Na questão nr. 3 uma mulher ficou sem responder (solteira).
Na questão nr. 4 uma mulher ficou sem responder (solteira).
Na questão nr. 6 uma mulher ficou sem responder (solteira).
Na questão nr. 8 uma mulher ficou sem responder (solteira).

Quando uma mulher deixou de responder alguma questão, o percentual foi calculado na base de 19 mulheres e não 20 e reflete a opinião das que responderam.

A porcentagem de casada reflete a opinião das casadas somente e das solteiras somente das solteiras. Por exemplo, se 9 casadas têm a mesma opinião, isto significa 100%, pois existem 9 casadas na pesquisa e se 11 solteiras têm a mesma opinião, isto significa 100%, pois existem 11 solteiras na pesquisa.

2 solteiras ficaram sem responder uma questão cada e uma solteira deixou de responder duas questões. Portanto, 3 solteiras deixaram de responder 4 questões.

Nenhuma casada deixou de responder qualquer questão.

Análise das respostas

1.O fato de apenas solteiras não responderem algumas questões pode refletir dúvidas, talvez por se tratar de assuntos que requerem mais experiência no lar.

2.Questão 1: No grupo pesquisado houve um equilíbrio entre casadas e solteiras. Isto é bom, pois a participação de duas categorias mostra que, embora sejam todas mulheres, possuem experiências e pensamentos, às vezes, diferentes.

3.Questão 2: A maioria das casadas gosta muito do serviço doméstico e a maioria das solteiras não gosta muito. Sendo que as casadas estão constantemente lidando com este tipo de serviço, mais do que as solteiras, isto pode servir de estímulo para as solteiras, na expectativa de que irão apreciar mais do que apreciam atualmente, se vierem a se casar.

4.Questão 3: As solteiras talvez tenham expectativa equivocada quanto a ajuda do marido nos serviços domésticos e as casadas são mais realistas, ou porque os homens não ajudam mesmo ou porque elas estão cientes de que a responsabilidade é delas e não dos maridos. O fato de não ter escala de serviços da casa não significa que os maridos não devam ajudar. A escala pode aliviar a esposa, mas não garante a voluntariedade do marido e não permite muito que o marido presenteie a esposa com sua ajuda esporádica.

5.Questão 4: As solteiras talvez tenham muito medo de não serem úteis na obra missionária. É compreensível, pois a casada tem o lar para cuidar. Se não for muito utilizada nos trabalhos do campo, ela sente realização em cuidar da casa e da família. A solteira, por sua vez, “depende” de ser bem utilizada nos vários trabalhos do ministério, pois não tem uma casa para se dedicar.

6.Questão 5: Esta foi a grande surpresa do questionário. Houve até uma certa incoerência. Primeiro, porque as casadas que, aparentemente, não tinham tanta preocupação na questão anterior, agora sentem que seria frustrante cuidar somente da casa. É verdade que ainda ficaram divididas (55%). Era de se esperar para as solteiras pelo menos uns 70% na resposta sim, mas só houve 45%. Pode ser que o desejo de se casar e ajudar o marido no ministério seja até maior do que realizar o ministério sozinha.
7.Questão 6: Não houve muita surpresa. Normalmente as mulheres que gostam do serviço doméstico são “ciumentas” a respeito de sua casa. É claro que uma ajuda sempre é bom.

8.Questão 7: Essas respostas confirmam o zelo que as mulheres têm por sua casa. Mas é claro que uma mulher pode gastar todo o tempo nos afazeres domésticos e, ainda assim, ter empregadas, como era o caso da “Mulher Virtuosa” de Provérbios.

9.Questão 8: É impressionante como as mulheres de hoje mantém o padrão feminino nos moldes antigos, ou seja, a mulher é uma “eterna apaixonada” pelo seu lar. Seria muito proveitoso saber se entre as mulheres que possuem cargos e funções em empresas e liderança têm a mesma opinião, pois se assim for, chegaríamos a uma triste (ou feliz) conclusão: as mulheres até fazem trabalhos fora de casa, mas se realizam sendo “mulheres caseiras” (ou mulheres virtuosas).

10.Questão 9: 100%! Isto reflete, sem dúvida nenhuma, entre casadas e solteiras, que a mulher não admite nunca ser inferior e, de fato, não é. Seja uma “mulher caseira” ou atuante fora do lar, Deus fez a mulher não para ser inferior umas às outras, mas para refletir a glória de Deus.

11.Questão 10: Pelo menos quanto às mulheres entrevistadas, o “estilo mulher” está ligado ao serviço doméstico. A única surpresa é que as solteiras consideram isto mais do que as próprias casadas. Pode ser que isto reflita duas verdades:

Primeira, que a solteira (82%) sonha com um lar onde haja amor, em que ela se entregue totalmente ao homem amado para cuidar dele, de sua casa e de seus filhos e assim expresse a sua feminilidade.

Segunda, que a maioria das casadas (67%) ainda relaciona “ser feminina” ao trabalho doméstico. A surpresa é que 33% das casadas não valorizam tanto este aspecto. Talvez porque não se sintam tão realizadas como mulher ou como dona de casa (ou como esposa). Talvez porque, simplesmente, não achem que ser feminina esteja ligado de alguma forma com serviço doméstico ou porque pensem em se “emancipar”, desejando ter outras oportunidades além do serviço doméstico.

De qualquer forma, este assunto não é simples de ser analisado, por isso, as repetições da palavra “talvez”. Eu agradeço muito às irmãs que participaram da pesquisa. Muitíssimo grato. Espero que não tenham ficado ofendidas com nenhuma pergunta, pois não houve a mínima intenção de minimizar a sua importância como mulher virtuosa e valorosa aos olhos de Deus.

Pesquisa preparada e dirigida por Pércio Coutinho Pereira em outubro de 2002 para a aula de “Análise do livro de Provérbios”. Junto com esta pesquisa acompanha a análise de Pv 31.10-31.

B.A mulher virtuosa - v.10-31 (esboço de Sidlow Baxter) {Baxter, pg.139}

               É uma boa mulher”
1)”Trabalha diligentemente” - v.13, 15 e 19
1.“Era comum nos tempos antigos para grandes personagens fazer este tipo de trabalho, entre os gregos e romanos: Lucrecia foi encontrada com suas servas fiando... Tanaquills ou Caia Cecília, a esposa do rei Tarquin, era uma excelente fiadora de lã; sua lã, junto com a roca e o fuso, permaneciam no templo de Sangus... conta-se que ela fez uma roupa que vestiu Sérvio Túlio e foi guardada no templo de Fortune; a partir daí tornou-se costume as servas acompanharem as mulheres recém-casadas com roca e fuso e lã sobre eles... as servas eram aconselhadas a seguirem o exemplo de Minerva, como dizem, a primeira a fiar, e se tivessem o seu favor, aprenderiam a usar a roca... assim fizeram as filhas de Minyas...” { } (v.13)

2.“... Alexandre o Grande aconselhou a mãe de Dario a usar suas sobrinhas para essa atividade. As mulheres persas eram colocadas em alta estima e era considerado reprovável a elas usarem as mãos para fiar; Alexandre ouvindo isto disse que as suas próprias roupas tinham sido feitas por suas irmãs e as filhas e netas de Augusto César trabalhavam em tecer... e que ele mesmo não usava outra roupa que não fosse feita em casa, por sua esposa, irmã, filha e neta.” { } (v.13)

3.”Os judeus tinham um ditado que não havia nenhuma sabedoria na mulher a não ser na roca... nos casamentos romanos, a palavra ‘thalassio’ era repetida freqüentemente, cujo significado é um vaso no qual o trabalho de fiar era depositado; e isto era para fazer lembrar a noiva qual era o seu trabalho.” { } (v.13)

4.O v.15 “... mostra a afeição dela por sua família, o seu cuidado para com os filhos e o ardente zelo pelo bem estar e interesse do marido...” { }

5.Novamente a idéia do fuso no v.19. A mulher virtuosa está com a mão no fuso “como Penélope e suas servas faziam” { }. Para quem aprecia uma boa literatura sabe que Penélope era a esposa de Ulisses (leia a Odisséia de Homero). Penélope não era uma mulher qualquer, mas a esposa do rei de Ítaca, Ulisses. Portanto, este trabalho caseiro da mulher virtuosa era nobre. As mulheres de hoje fariam bem em valorizar o seu trabalho de casa como um privilégio de Deus para elas, auxiliando o seu marido ou treinando para ter um.

6.Note na fábula “A Bela Adormecida” que a jovem princesa caiu em sono profundo ao tocar o fuso. A roca estava nos palácios e era símbolo de nobreza.

2)”Planeja prudentemente” - v.16, 22 e 24
1.O v.16 indica que a mulher virtuosa tem a autoridade de planejar a subsistência da casa. Ela comprou algum pedaço de terra com o fim de cultivar uma vinha. “Com o fruto de suas mãos” é uma indicação, também, que essa mulher, mesmo tendo condições de ter empregadas, como de fato tem, não abre mão de certos prazeres que são seus, como este, o de cultivar uma vinha.

2.No v.22 ela faz tapeçaria, não para vender, mas para a sua própria casa. Usava-se, como até hoje, para enfeitar os móveis e mesas. Também estão incluídos tapetes e colchas para camas. As mulheres sempre tiveram criatividade e jeito para isto. Com a industrialização tudo isto caiu bastante, oferecendo mais tempo para as mulheres com outras atividades. Mas, algumas mulheres fazem como passatempo e, por isso, existem revistas especializadas. Enquanto a tendência é que desapareçam as máquinas de costuras e agulhas de tricô e crochê, assim como aconteceu com as rocas, sempre haverá mulheres prendadas que valorizarão esses trabalhos femininos. Não é exagero dizer que a feminilidade está muito associada aos afazeres domésticos. Mesmo nos tempos modernos da industrialização, quase todas as mulheres sabiam costurar. É verdade que por necessidade, pois as roupas eram caras, e até como ganha-pão, pois muitas costuravam para fora ou em fábricas. Quando os preços caíram por causa das grandes indústrias, as moças não aprenderam com as mães e as costureiras foram sumindo. Mas sempre houve mulheres interessadas por esses trabalhos, por isso, surgiram os cursos de corte e costura.

3.O v.24 nos lembra que a mulher virtuosa não fazia as roupas a partir de panos comprados, mas desde os fios até a confecção de panos e, finalmente, a roupa, tudo era feito por ela. Além de suprir sua família ainda vendia e presenteava os seus mercadores com peças menos trabalhosas como cintas, mantendo assim um comércio e um bom relacionamento com os comerciantes. A mulher virtuosa vivia para os seus afazeres, os quais consumiam todo o tempo dela e, por isso, não podemos imaginar que ela conseguiria acumular outras atividades que não fossem a sua casa. Talvez as mulheres de hoje gostem do título “Mulher Virtuosa”, mas preferem mudar os afazeres, distribuindo com o marido as tarefas de casa, reivindicando para si atividades mais parecidas às do marido, mas ainda assim usufruindo o título “Mulher Virtuosa”.


3)”Comporta-se retamente” - v.25
1.É uma mulher forte, não fisicamente, mas de caráter e mente. Ela veste glória, que é a sua honra. Uma mulher virtuosa será lembrada como tal, mas uma mulher que fugir disto será uma a mais na concorrência entre os homens por um lugar que não lhe é próprio.

2.A mulher virtuosa se ri do futuro, pois a sua dedicação no lar preparou o seu futuro como mãe, avó, e mulher. Uma mulher pode ser independente apenas na sua mocidade e vigor físico, depois disto dependerá de seus filhos. Sendo virtuosa estará cuidando do seu próprio futuro, que é uma família cuidadosa.

               É uma boa esposa
1) ”Procura o bem do marido” - v.12
A mulher que se casa passa a viver para o auxílio do marido. Foi para isto que Deus instituiu o casamento. A mulher assume um compromisso com Deus de auxiliar o marido e este assume o compromisso de cuidar dela. É um relacionamento indissolúvel. Nenhuma moça deveria entrar no casamento sem desejar ardentemente fazer o bem para o marido. Não há auxílio maior para o marido do que uma mulher que cuida da casa e dos filhos e que seja sua companheira.

2) ”É de confiança” - v.11
Não há conversas mais confiáveis para um homem do que com sua esposa. Ela é um incentivo para ele. A tradução deste versículo é que ele (o marido) não terá falta de nada, pois a sua esposa lhe supre todas as necessidades. É claro que em decorrência disto nada faltará a ela também. Este relacionamento de confiança seria quebrado se a mulher começasse a servir outros. A mulher virtuosa é exclusiva do marido, embora ainda tenha um coração cuidadoso para com os necessitados fora do lar, como veremos adiante.

3) ”É a boa referência do marido” - v.23
O marido dessa mulher é um homem de boa reputação e em parte, ou grande parte, por causa de sua esposa. Há uma forte tendência atual em isentar a esposa do líder e do pastor da responsabilidade de uma boa conduta. A esposa sempre será referência para o marido. A mulher virtuosa não se preocupa em governar, julgar e administrar. Essas responsabilidades são dos anciãos e dos juízes, sendo que no caso, talvez o marido dela seja um dos anciãos. A responsabilidade da mulher virtuosa é ser uma boa mulher, boa esposa, boa mãe e boa vizinha, ou seja, uma boa dona de casa.

 

               É uma boa mãe

1) ”Veste a família sabiamente” - v.21
No Oriente Médio há também frio rigoroso e não só calor. A mulher virtuosa não se esqueceu das cobertas. Coberta vermelha (escarlate) não faz diferença alguma contra o frio. Por isso, alguns supõem que a palavra ynv (shaniy) foi colocada no lugar de Mynv (shanaym = dobrado). A mulher virtuosa costurou cobertas dobradas (edredons?). No versículo há um hipérbole, pois diz que forrou a casa toda dessa coberta.

2) ”Alimenta bem a família” - v.15, 27
1.A mulher virtuosa não é acordada pelos filhos ou marido, mas cuida deles, preparando o alimento para o começo do dia. Vemos no relato que essa mulher tem condições de manter servas. Não para não trabalhar ou trabalhar fora, mas provavelmente ir para o serviço da roca. (v.15)

2.Antes de tudo é uma administradora do lar, pois planeja, organiza e delega responsabilidades às empregadas. Ela não abre mão de sua autoridade nas tarefas domésticas, apenas utiliza ajudantes. O fato de ter servas não indica  de modo algum ser preguiçosa. Administrar exige muito trabalho, pois como diz o ditado “Se quiser algo bem feito faça-o você mesmo” (v.27).

3) ”Prefere qualidade e trabalho árduo” - v.14,17 e 18
1.Os navios de mercadorias chegavam de longe, normalmente do Egito, trazendo novidades. Não parece que a mulher virtuosa tenha tempo para sair de casa sempre, mas visto que cuida de uma vinha é bem possível que tenha que administrar em certo tempo (v.14).

2.Tanto a mercadoria que ela compra é bem analisada quanto à mercadoria que vende é de boa qualidade. Ela cinge os lombos de força e fortalece os braços, ou seja, é trabalhadora (v.17-18).

               É uma boa vizinha
1) ”Ajuda o necessitado” - v.20
A mulher virtuosa gasta o tempo todo de seus dias em afazeres domésticos, isso é verdade, mas isto não significa que viva somente para si. Não, a mulher virtuosa está sempre trabalhando para os outros, seja o seu marido ou filhos e até reserva tempo do seu trabalho para fazer caridade. No texto é uma mulher de posse, mas não preguiçosa e não egoísta. As mulheres sempre foram altruístas, mas com o decorrer dos tempos modernos e a sua ausência no lar, o espírito de competição foi tomando o lugar mais importante em sua vida e o socorro ao necessitado foi deixando de lado. Leia 1 Tm 5.9-10 e note que a viúva verdadeira foi uma mulher virtuosa. Não seria exagero dizer que mulher virtuosa é também mulher caseira ou “do lar”.

2) ”Fala graciosamente” - v.26
1.A mulher virtuosa enche os braços de força para o trabalho (v.17). É evidente que continua sendo a “gazela graciosa” de seu marido. Ela tem charme e o fato de ser caseira torna essa mulher mais feminina do que qualquer outra. O serviço de casa está muito ligado à feminilidade. Os estúdios de Hollywood com seus filmes mostram cada vez mais as mulheres como heroínas e independentes. As mulheres caseiras acabam sendo ridicularizadas. A nossa sociedade usou as mulheres como mão de obra barata e, pela necessidade estas se submeteram a esta exploração. Hoje, elas venceram e como que por vingança estão por cima e subjugando os homens que precisam, muitas vezes, pedir o favor delas para trabalharem.

2.As mulheres precisaram perder o seu jeito gracioso e feminino para ganhar o seu espaço no mundo cruel e desleal do emprego e da competição. Retornar ao lar seria retornar à inferioridade. Assim funciona a mentalidade moderna, assim é o sistema do mundo.

3.Alguns dizem que o cavalheirismo desapareceu por conta dessa mutação de valores. No mundo da competição, as mulheres tiveram que abandonar a sua necessidade feminina de aceitar o cavalheirismo, pois aceitar que um homem segure a porta enquanto ela entra ou sai, seria aceitar a diferença entre homem e mulher e isto prejudicaria a corrida por posições numa empresa, por exemplo. Qualquer sinal de “graça feminina” foi vista como sinal de fragilidade e inferioridade.

4.É claro que apesar da nossa sociedade ter criado mulheres “estou-indo-à-luta-e-vou-ganhar-o-meu-espaço”, elas nunca perderam a graça de ser mulher. Mas o v.26 vai além dizendo que a mulher virtuosa fala com sabedoria e bondade, beneficiando o seu lar, como diz o próximo versículo.

Conclusão

1. ”Seu valor: ‘Excede o de fina jóias’” - v.10
2. ”Seu louvor: ‘Pelo marido e filhos’" - v.28
3. ”Sua preeminência: ‘Sobrepuja a todas’" - v.29
4. Sua beleza: "O temor ao Senhor" - v.30
5.Sua recompensa: "Suas próprias obras" - v.31




Algumas considerações:

As mulheres sempre foram usadas por uma sociedade egoísta e masculina. Houve épocas em que a mulher não saia do tanque de lavar roupas e não falava com homem sem permissão. Houve épocas em que a mulher era objeto sexual. Hoje, muitas pensam que ganharam o seu espaço, mas continuam sendo usadas. O homem em seu estado normal não daria toda a chance que deu para as mulheres. Eles fracassaram como empresários, como pais e chefes da casa, como pastores e líderes e as mulheres tiveram que socorrê-los. Ora, não é uma forma de serem usadas? Quem, conscientemente, quer ser utilizado somente porque o outro está falhando? Por que as mulheres estão sendo “elevadas” à posição de pastoras somente agora, depois de 2000 anos de Igreja? Se por um lado as mulheres estão socorrendo a Igreja numa época de apostasia, precisamos lembrar que estão socorrendo por causa da apostasia. Quem hoje é maior que Paulo, John Huss, Lutero, Calvino, Wesley para inovar o púlpito? Se a Igreja errou em não dar o espaço que é de direito da mulher, podemos dizer que a Igreja errou MUITO, pois foram 2000 anos de erro e erro gravíssimo. Deus sempre corrigiu desvios na Igreja, por que não corrigiu este? Por que só agora, época reconhecida como apóstata, surgiu este assunto?

Há uma inversão de valores domésticos. Hoje, talvez muitos homens precisem cuidar da casa para a mulher trabalhar. Se um casal tiver que sacrificar um emprego, provavelmente, em muitos casos, deverá ser o do homem que já está ganhando menos. A revista Veja já publicou um artigo falando sobre essa inversão. Quem sabe um dia a mulher precisará de um “Homem Virtuoso”, pois sem o trabalho caseiro dedicado não é possível viver bem, ou viveremos de tudo o que é industrializado e os fast-food serão nossas refeições sem a harmonia da família ao redor da mesa. Com os trabalhos domésticos, pouco sobra para a mulher virtuosa fazer outras coisas. (lavar, passar, cozinhar, limpar, cuidar dos filhos, do marido, cuidar dos necessitados, etc).

Nenhum comentário:

Postar um comentário