Provérbios 6


Lição 6: Promessas perigosas, a loucura da indolência, o homem mau, guardar-se do adultério – capítulo 6
A.Promessas perigosas – v.1-5
1.A Bíblia não proíbe a fiança, mas alerta que é uma promessa perigosa. Só pode ficar como fiador alguém que esteja disposto a cobrir a dívida de outra pessoa, caso esta falhe no pagamento. Note que isto se aplica com respeito a um conhecido ou a um desconhecido (v.1).

2.Como as palavras devem valer muito, o acordo da fiança é uma responsabilidade que, uma vez que se entra, o fiador está totalmente comprometido (v.2).

3.Se alguém se torna fiador, emprestou sua palavra e seu dinheiro. Um bom princípio quando se empresta algo é não esperar o retorno ou não esperar o retorno intacto. Assim, quem fica como fiador deve considerar
como aquele que contraiu uma dívida, pois no final, para o credor, o que interessa é que a dívida seja paga; seja pelo endividado ou pelo fiador, pois ambos contraíram a mesma dívida. Caso o fiador tenha se arrependido, deve imediatamente humilhar-se e tentar desfazer o compromisso (v.3-4).

4.Como um antílope (tsebi em heb.) diante do caçador ou um pássaro na armadilha (arapuca), o fiador arrependido deve ser ágil para escapar da dívida. Não há promessa alguma que consiga fazer isto, mas é uma tentativa desesperada. Não devemos confundir com aquele que não tem problema nenhum em pagar a dívida, mas o melhor é dar como presente do que ter o desgosto de ficar decepcionado com o amigo (v.5).

B.A loucura da indolência – v.6-11
1.Não se sabe se os próximos versículos sobre a preguiça têm algo a ver com os anteriores sobre fiança. Se tiver, talvez seja com respeito ao endividado que por falta de trabalho duro teve de contrair dívidas, ou seja, é um preguiçoso. Mas, talvez o mais provável é que seja uma nova seção, a qual não se refere à fiança.

2.A formiga é uma praga indesejada em qualquer lugar, mas tem o seu valor para nós que temos preguiça, muitas vezes. Sendo um inseto insignificante e até indesejado podendo nos ensinar a trabalhar, faz bem considerar os caminhos desses bichinhos. “Que diligência e indústria ela usa para providenciar sua comida; a qual, embora frágil, criatura fraca, viaja sobre pedras, escala árvores, entra em torres, celeiros, porões, lugares altos e baixos, em busca de comida; nunca recua, mas ajuda umas às outras a carregar os seus fardos; prepara pequenas células para armazenar as suas provisões para proteção contra a chuva; e se em qualquer tempo o seu grão estiver molhado, levam para fora e secam-no, e arrancam a extremidade do grão para que não germine...”  { } (v.6).

3.Novamente, é um bicho odiado, mas serve de exemplo para nós que somos melhores. Elas fazem tudo o que têm para fazer sem necessitar de chefe de qualquer espécie. Não apenas trazer folhas e grãos para o casulo, mas cortar qualquer possibilidade de que aquilo germine e acabe com o formigueiro. Elas “pensam” no futuro (v.7-8).

4.A aplicação mais constrangedora vem agora, quando Salomão adverte o preguiçoso, depois de exaltar as qualidades da repugnante formiga. Pode ser um exagero para alguns, mas grandes idéias, planejamento individual que afetaram outros aconteceram pela manhã. Depois que perdemos o começo do dia parece que perdemos também a capacidade de refletir em coisas importantes e passamos a ser “empurrados” pelas coisas urgentes. Por isso, “até quando ficarás deitado”? (v.9-10).

5.A pobreza sobrevém ao preguiçoso. Literalmente é verdade, mas figuradamente, também. O preguiçoso será pobre de idéias, planos, no evangelismo, nos estudos, nos relacionamentos, nas habilidades musicais, pintura, esportes ou o que quer que seja (v.11).

C.O homem mau – v.12-19
1.”Belial [beliya’al] é o nome do demônio e aqui pode designar como são seus filhos...” { }. Os perversos andam segundo os princípios de Satanás, em perversidade de boca, isto é, falam mentiras e calúnias e tudo o que não é edificante (v.12).

2.Piscar os olhos pode significar várias coisas para várias culturas. Neste caso, o perverso pisca com um olho só para falar por código com os seus companheiros, também perversos. Pode indicar zombaria, mentira, engano. “Bater os pés expressa raiva” { }. Fazer sinais com os dedos é a tradução de “yarah etsba” (apontar com os dedos). Com os dedos podemos xingar, ameaçar, provocar, etc. (v.13).

3.Esta pessoa é má e perversa. Ela maquina (charash = imaginar) o mal constantemente. Semeia-se a discórdia quem tem tempo para imaginar coisas destrutivas. Para tal pessoa a destruição virá, inesperada para ela, mas previsível para Deus o justo. A queda será irremediável, “... como o anticristo...” { } (v.14-15).

4.O Senhor detesta as 7 práticas mencionadas. Alguns pensam que a 7a prática é a pior de todas “...por causa da enumeração que é feita...” { }. “[Era] um modo [hebraico] de se falar (veja exemplos em Pv 30.15,18,29, Jó 5.19)” { }. Portanto, embora vários sermões têm-se pregado dessa forma, o melhor é entender que se trata de uma forma hebraica para mostrar que todas as sete práticas são abomináveis ao Senhor e, é claro, existem outras práticas que Deus abomina (v.16-19).




AS SETE PRÁTICAS DETESTÁVEIS AO SENHOR
PRÁTICA
BREVE COMENTÁRIO
BREVE APLICAÇÃO
REF.
1.Olhar altivo
Trata-se da pessoa arrogante que “olha de cima para baixo”.
Deus abate os arrogantes
Tg 4.6
2.Língua mentirosa
Quantas vezes é preciso mentir e não confessar para se acostumar?
O diabo é mentiroso
Jo 8.44
3.Mãos que derramam sangue inocente
O assassino é aquele que apaga a imagem de Deus na terra (outro ser humano)
O diabo é assassino desde o início
Jo 8.44
4.Coração que maquina pensamentos maus
Quem pensa mal, praticará o mal.
Deus quer que pensemos o bem
Fp 4.8
5.Pés que se apressam a correr para o mal
O perverso tem pressa em pecar.
Não devemos ser vagarosos no cuidado
Rm 12.11
6.Testemunha falsa que profere mentiras
Não é simplesmente mentir, mas é perjúrio. Pessoas caluniadas dependem de testemunhas verdadeiras.
É um dos Mandamentos não dar falso testemunho.
Êx 20.16
7.O que semeia contendas entre os irmãos
Não precisa ser entre irmãos na fé apenas, mas em qualquer relacionamento da sociedade. Contenda também é discórdia.
Os crentes devem ter um só pensamento.
Fp 2.2

D.Guardar-se do adultério – v.20-35
1.Tiras de couro eram amarradas no braço e cabeça, simbolizando a lei. Salomão vai adiante e diz para o seu filho amarrar no coração e pendurar no pescoço como ornamento e, evidentemente, isto é figurado. A Palavra de Deus protegerá os Seus filhos em todas as circunstâncias: ao caminharem, ao se deitarem e ao se levantarem  (v.20-22).

2.O mandamento do Senhor é lâmpada (Sl 119.105). A lei do Senhor é luz e até as repreensões são o único caminho da vida. Tentar guiar-se por outra maneira seria um desastre, pois não poderíamos enxergar nada (v.23).

3.A advertência contra a mulher maliciosa é muito forte em Provérbios. Sobre a mulher estranha repetimos o comentário anterior. A beleza pode ser provocante, mas nada é lindo diante da “beleza de Sua santidade” (v.24-25).

Algumas mulheres estrangeiras vinham para Israel e com fim de ganhar a vida com a prostituição; outras se tornavam prostitutas depois que estavam em Israel e outras eram prostitutas cultuais dos deuses das nações estrangeiras. O termo “mulher estrangeira” acabou se generalizando e pode se referir até mesmo às israelitas que não são prostitutas, mas adúlteras. Seja como for, os homens são susceptíveis aos ataques das mulheres mal intencionadas. A sabedoria é tão forte que dá proteção aos homens contra os seus próprios desejos sexuais fracos e protege contra as mulheres maliciosas.

4.A mulher maliciosa pode deixar o homem paupérrimo a ponto deste mendigar. Satanás caça homens através de algumas dessas mulheres. Se a pobreza não chegar a ser literal, pode-se chegar a situação pior, que é o abandono de Deus por aquele pecador. Viver separado da santidade de Deus é a pior das misérias (v.26).

5.”As palavras hebraicas va, (‘esh’, ‘fogo’) e  hvya, (‘ishah’, ‘uma mulher’) têm alguma semelhança nos sons; e a frase de tomar esta ‘no peito’ expressa os abraços impuros de uma prostituta...” { }. É impossível queimar a carne e não queimar a roupa sobre esta. Da mesma forma é ilusão pensar que se pode entregar-se à impureza e ficar ileso. O v.28 repete a mesma idéia com outra ilustração (v.27-28).

6.Não existem inocentes no adultério. O julgamento é antes de tudo divino, depois social (v.29, ver Hb 13.4).

7.A sociedade aprendeu a inocentar, até certo ponto, o ladrão que rouba pão por causa da fome. É claro que é culpado, mas culpa e pecado tem tamanho, sim. Porém, ele terá de restituir, conforme Êx 22.1,4. Mas o adultério é uma insanidade, pois não há restituição. Ele receberá castigo (em hebraico “nega`”, “praga”). A mesma palavra para Gn 12.17, sugerindo que Deus pode infligir doenças no adúltero. Muitos crentes se preocupam com o “pecado imperdoável”, mas não se lembram do adultério, um pecado que não se apaga. “O quanto ele viver, mesmo que sua vida seja poupada; sim, mesmo após a sua morte; embora tenha se arrependido de seu pecado e mudado, como no caso de Davi.” { }. O marido ofendido não perdoará e nenhum presente poderá aplacar a sua ira. Deus também é assim quanto ao adultério espiritual (v.30-35).

Nenhum comentário:

Postar um comentário