Salmo 134


Os debates levantados no Salmo 134 para os dias atuais
Salmo 134.1-3

Introdução

1.Este salmo minúsculo é o último dos cânticos dos degraus. Os cânticos dos degraus eram cantados em procissão em direção à casa do Senhor.

2.O salmo é bem pequeno, mas levanta grandes questões atuais sobre os procedimentos nos cultos públicos e práticas bem conhecidas atualmente nos vários segmentos dos evangélicos.

3.Um salmo de três mil anos pode nos ensinar hoje. São levantados alguns debates no Salmo 134 para os dias atuais


I.O crente deve estar todas as noites na casa do Senhor? (v.1)
1.O crente foi resgatado das mãos de Satanás e, por isso, tem o dever de louvar ao Senhor. O crente tem o desejo de louvar a Deus voluntariamente, pois este amor voluntário de Deus, através da morte de Jesus Cristo, nos deixa à vontade, mas ao mesmo tempo, constrangidos a adorá-Lo.

2.Para alguns crentes o desejo de adorar a Deus é tão intenso que se pudessem fariam isso em todos os momentos do dia, mas é claro que Deus sabe que temos outras atividades a cumprir. Ele mesmo manda que não sejamos preguiçosos. O servo de Deus tem de trabalhar para se sustentar.

3.É verdade que podemos adorar a Deus até em nosso trabalho, silenciosamente, mas reservar um tempo só para isso, também uma necessidade e responsabilidade de todo o crente. Além disso, devemos louvar a Deus junto com outros irmãos e não apenas sozinhos.

4.Alguns servos de Deus se levantavam durante a noite para adorar ao Senhor. Outros até moravam no Templo, como os sacerdotes e levitas que tinham suas câmaras. Nos dias de Davi não havia Templo, mas a Arca da Aliança estava guardada atrás das cortinas num lugar separado, por isso, a prática era a mesma.

5.Ana foi uma mulher que estava sempre à porta do Templo (Lc 2.37). É bem provável que outras mulheres piedosas que não tinham marido e família para cuidar se dedicavam ao Senhor totalmente em Sua casa, adorando-O.

6.Portanto, o debate que as igrejas locais precisam ter cultos e reuniões todas as noites não pode ter fundamento neste salmo. Nós somos o Templo do Espírito Santo e temos acesso diário e ininterrupto ao trono da graça de Deus. Devemos adorar a Deus, independente de local. Mas, é importante nos reunirmos uma vez por semana e os que podem também devem se reunir com outros irmãos em outros dias.

7.É importante que a igreja tenha reuniões regulares, pois estas nos disciplinam aos compromissos na obra de Deus. Algumas igrejas nas regiões urbanas estão substituindo o horário de Escola Dominical, fazendo aos domingos à tarde, seguindo o culto da noite. Talvez a intenção seja boa, pensando em atrair mais pessoas para a igreja, mas pode ser que a motivação seja a de resumir as atividades religiosas para sobrar mais tempo para almoços familiares, passeios e diversão. É verdade que alguns precisam tomar ônibus e há mais gasto de combustível ir duas ou três vezes à igreja, mas Deus supre as necessidades dos santos que estão guardando um dia para o Senhor!

8.Podemos finalizar este debate dizendo que pouquíssimas pessoas poderiam estar na igreja para adorar a Deus todas as noites e, muito menos de madrugada. O próprio Deus não está exigindo isto dos crentes.

II.O crente deve levantar as mãos para adorar ao Senhor? (v.2)
1.Em nossos dias essa prática se tornou muito comum em algumas igrejas que basta começar um cântico os adoradores já levantam as mãos. Como se tornou muito comum, diríamos até obrigatório, a presença de um dirigente de louvor, vemos que o próprio dirigente é quem orienta quando deve levantar as mãos, quando bater palmas, quando cumprimentar os irmãos e quando fechar os olhos enquanto canta.

2.Para o povo de Israel, o ato de levantar as mãos na oração e na adoração era muito comum e voluntário. O apóstolo Paulo, mostrando que levantar as mãos era normal, enfatizou muito mais do que um ato costumeiro, mas que as mãos deveriam ser apresentadas santas, sem ira e sem contenda (1 Tm 2.8).

3.Não devemos repreender pessoas que levantam as mãos para louvar a Deus ou orar, mas cada um deve medir a sua própria motivação, se é um ato voluntário e sincero ou uma influência ou imitação e, pior, se é algum tipo de farisaísmo em que a aparência é mais importante do que o coração. Normalmente, os grupos de crentes se dividem entre os que levantam as mãos e os que não levantam. Parece que quando alguém que levanta as mãos está no meio de outros que não levantam as mãos ele fica constrangido e deixa as mãos para baixo.

4.Os costumes nos cultos em parte são influenciados por grupos maiores. Por isso, não podemos nos entregar a modismos, pois alguns levantam as mãos e se balançam de um lado para o outro, mas nos shows de rock também fazem isso e não estão louvando a Deus.

III.O crente deve ir para Jerusalém para ser abençoado pelo Senhor? (v.3)
1.Este é um debate que atualmente ficamos mais à vontade em discutir. Neste dia março de 2004 as excursões para Israel são quase inexistentes devido ao terrorismo, mas há alguns anos atrás os evangélicos e outros grupos viajavam muito para a Terra Santa. Muitos voltavam radiantes por terem pisado onde Jesus andou.

2.A bênção vem de Sião? O Senhor Jesus disse para a mulher samaritana que a salvação vem dos judeus, mas disse também que um dia haveria adoradores que O adorariam em espírito e em verdade.

3.Deve ser um privilégio ir para Israel e ver os lugares onde ocorreram os maiores acontecimentos da História, mas quando se pensa que há uma bênção especial ao visitar um local, isso começa a se parecer com idolatria.

4.Trazer folhas de oliveiras, água do rio Jordão, areia das praias do Mar da Galiléia e coisas do gênero, já não se trata de souvenir, mas de relíquias, as quais supostamente trariam alguma bênção para o possuidor.

5.Os crentes precisam de orientação, pois senão ainda vão pensar que a Ceia do Senhor, por exemplo, tem um poder místico de transmitir bênçãos àquele que participa. É claro que ficamos abençoados ao participar do memorial da morte de Cristo, mas não temos alguma proteção especial por algum ritual que participamos.

6.Quem pode visitar a Terra Santa, ótimo, visite, mas a bênção do crente está na comunhão íntima com Deus através da leitura da Bíblia, a oração e à obediência diária. Quem não pode, não fique triste, pois todos visitaremos a Terra Santa, Jerusalém, no tempo em que o Rei estiver governando o mundo todo com vara de ferro.

 

Conclusão

Um salmo pequeno, mas nos levanta essas três questões bem atuais. As igrejas devem ter cultos regulares, mas todas as noites, só para os que podem e às madrugadas é quase impossível. Quanto a cantar com as mãos levantadas, devemos cuidar com as imitações dos shows, da aparência exterior e quanto às caravanas para Israel não podemos confundir com as procissões aos lugares sagrados para se obter alguma bênção especial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário