Postagem em destaque

A preferência por sermões expositivos

Apesar de preferir os sermões expositivos, eu não creio que os sermões tópicos não possam ser uma exposição da Palavra de Deus. Se um pregad...

Isaías 42


Capítulo 42: O Servo do Senhor

1.O Servo do Senhor veio para salvar (v.1-9)
2.O Servo do Senhor merece todo o louvor (v.10-17)
3.O Servo do Senhor está sendo ignorado (v.18-25)

1.Os temas de Isaías foram de juízo, mas a partir do capítulo 40 a Pessoa de Jesus Cristo é exaltada como o grande ajudador e salvador da nação de Israel. Ele é a esperança de Israel e de toda a terra. O Pai escolheu ao Filho, Jesus, e o Espírito foi colocado sobre Ele. Aqui temos o ensino da Trindade. Jesus leu esse texto e se identificou diante da nação como o escolhido por Deus (veja Mateus 12.18-21). O Servo do Senhor veio para salvar. Ele não terminará de destruir aquele que já está destruído. O ministério Dele não foi de gritos na praça, mas de consolo silencioso ao coração aflito. O ministério de Jesus tem como objetivo o mundo todo (v.1-4).

2.O amor de Deus para com a humanidade é do tamanho de todo o universo, ou seja, não se pode medir. Ele dá vida a todos como uma forma de graça. Alguns gostam de separar graça comum e graça eficaz. Todos recebem da graça do Servo do Senhor, mas precisam dispor para si mais do que isto, a salvação completa de seus pecados. A nação de Israel teve a justiça, proteção e salvação para se tornar uma nação anunciadora da luz do Servo do Senhor, mas infelizmente não aproveitou de todos os benefícios de ser uma nação eleita (v.5-6).


3.No entanto, o Servo do Senhor, o Messias Jesus, cumpriu o seu papel na terra. Ele autenticou com os sinais que Ele é o escolhido de Deus para a libertação do povo e salvação dos pecadores. Ele curou, libertou e salvou. Todos que leem as Escrituras precisam admitir que este texto fala do Senhor Jesus, o Servo do Senhor. Ele mesmo leu esse texto e se identificou como o Messias libertador. Ele diz que o nome Dele é “Senhor”. No hebraico, a palavra é Jeová. Portanto, não aceitar Jesus como o verdadeiro Deus é heresia, é espírito do anticristo, conforme diz João em sua epístola. O Messias não transfere Sua glória aos ídolos. Assim, quem não O aceita não tem nenhum tipo de salvação. Essas são boas novas. Quem se chegar à luz precisa conhecer Jesus, o Servo do Senhor (v.7-9).

4.O Servo do Senhor merece toda a adoração por todo o mundo. O trabalho missionário não é um programa de alguma igreja, mas é a própria vida da Igreja. Israel falhou em testemunhar a glória de Deus ao mundo. Nós, Igreja, temos a responsabilidade de avançar anunciando a salvação do Servo do Senhor. Um dia, o Servo do Senhor virá, mas não mais como servo e sim como o grande Rei. Virá valente. Por muito tempo Ele ficou calado. Ele não gritou nas praças, mas em Sua vinda virá com gritos e respiração ofegante de quem ataca o inimigo na guerra. Em Sua vinda, destruirá a arrogância dos incrédulos. Após Sua vinda tenebrosa, Ele traz salvação aos crentes. Ele os conduzirá por caminhos retos. A salvação de Israel está prometida, mas para os que crerem. Os idólatras ficarão em seus pecados (v.10-17).

5.O Servo do Senhor veio para salvar, mas os Seus O rejeitaram. Ele virá para estabelecer Seu reino. Hoje é o dia da salvação para os incrédulos os quais estão agindo como surdos e cegos. Agora, o profeta, trata a nação de Israel como o servo de Deus. O Servo do Senhor, Jesus, dá salvação, mas o servo do Senhor, Israel, não aceita o livramento de Deus. A cegueira e surdez espirituais são perigosas, pois são decisões feitas contra Deus, pois na verdade, os cegos e surdos estão vendo e ouvindo só o que lhes agrada. São deficiências convenientes para se afastarem de Deus (v.18-20).

6.A lei do Senhor para ser engrandecida precisa acusar o pecador que não é justo. Quanto mais gloriosa a Palavra de Deus, mais o pecador reconhece que carece do Servo do Senhor. A incredulidade é uma prisão que coloca o pecador nas mais escuras cavernas. O pecador é roubado por Satanás e pelo mundo. Por isso, Jesus disse que ao conhecermos a verdade esta nos liberta. Israel já sofreu tanto, mas não percebeu que era a misericórdia do Senhor tentando alcançá-la. Na tribulação será o último sofrimento. Dois terços da nação perecerão. Dessa vez, muito se converterão a ponto de Paulo dizer: “todo o Israel será salvo” (v.21-25).