Cantares 7


Capítulo 7: Mais exaltação à beleza física
1.Ele repara no andar e nas sandálias dela. A obra do criador é exaltada quando ele fala sem constrangimento da forma física feminina. As formas femininas são apresentadas de forma poética, mas sem pudor. Ele aprecia o ventre, que é o púbis. Em outro versículo esta ilustração já foi usada. Os seios são como duas gêmeas da gazela. Antes, ele comparou o pescoço dela à torre de armas de Davi, agora compara à torre de marfim, indicando pureza. Torre de marfim se tornou um termo moderno para designar os acadêmicos e pensadores com suas ideias pouco práticas para o dia a dia. A Universidade George Washington construiu um prédio com o nome Ivory Tower (Torre de Marfim) para homenagear os acadêmicos e suas questões de “torre de marfim”. Evidentemente ninguém faria uma construção com um material tão improvável como o marfim. É apenas uma maneira de dizer que “isto não existe”, “não é prático” ou “ninguém acreditaria”. As piscinas de Hesbom na Jordânia eram os açudes de peixes que havia nessa cidade. Os olhos dela são desejáveis assim como eram os açudes. Os povos do Oriente Médio apreciam nariz grande nas mulheres. O monte Carmelo ficou marcado pela vitória do profeta Elias contra os profetas de Baal. É um monte majestoso. Ali fica, atualmente, o sepulcro de Bab, o profeta da seita Bahi. A cabeleira dela provavelmente estava enfeitada com flores violetas (cor púrpura) ou estava pintado. Historiadores dizem que as mulheres judias pintavam o cabelo de púrpura. O rei ficou “preso” pelo cabelo dela. O amor de um casal não deve se limitar a um compromisso fiel, mas tem que dar prazer um ao outro. A presença do cônjuge deve ser prazerosa. Ele a compara à palmeira e os seios a cachos (de uvas). Ele fala também do bom hálito dela. Como de maçã (v.1-9).


2.Ele tem saudades dela, mesmo sendo recém-casados. Ela quer passar as noites com ele nas aldeias. Em seus passeios terão momentos de amor físico. É mencionado o perfume das mandrágoras. É considerada uma planta afrodisíaca, ou seja, com substâncias que aumentam o desejo sexual, porém, não há dados científicos para isto. A mandrágora foi criada por Deus, mas Satanás se apropriou da criação pura Dele para inserir na bruxaria. A mandrágora é usada para feitiços de fertilidade. Durante a Inquisição, a mandrágora era uma planta maldita e proibida. Mulheres apanhadas com essa planta eram consideradas bruxas. Como simpatia, queimava-se a raiz da mandrágora, enrolava-a em um lenço de seda para trazer a felicidade. O misticismo da planta: Um mágico de história em quadrinhos chama-se Mandrak (mandrágora em inglês)[1]. Rúbem guardou a mandrágora para um rito supersticioso (Gênesis 30.14). A mandrágora também ganhou fama de feitiço porque é anestésico. Os romanos faziam cirurgias sob a anestesia de mandrágora. Raquel era estéril, sua crença nas mandrágoras não a tornou fértil lhe dando o filho tão esperado.Deus abomina todo e qualquer tipo de superstição (Gênesis 30.22). Apesar de tudo isso, o significado em Cantares para as mandrágoras é totalmente puro e destituído de misticismo, afrodisismo e superstição (v.10-13).



[1] Mandrake era um ilusionista que usava a técnica de hipnose instantânea, aplicada com os olhos e gestos das mãos, e de poderes telepatas.

Um comentário:

  1. Para edificação:
    Cântico dos Cânticos
    Uma visão abrangente, ludica, profética, histórica, linguistica, o romance de Cantares, os paralelos com cultura Indiana, as jóias, a visão sensacional da dança de Maanaim.
    http://estudodecantares.blogspot.com.br/
    e
    https://www.facebook.com/estudodecantares?ref=hl

    ResponderExcluir