Daniel 5


Capítulo 5: A festa de Belsazar e a escrita na parede
1.O declínio da moralidade é evidente neste capítulo. Usaram os utensílios sagrados e roubados de Jerusalém para se embebedarem e louvaram aos deuses de materiais perecíveis. A mão de Deus escreveu. Há um antropomorfismo, isto é, Deus se comunicando com o homem com formas humanas, neste caso, com dedos de mão de homem. O rei tremeu e apelou aos seus feiticeiros, mas sem sucesso (v.1-9).

2.A rainha lembrou-se de Daniel e este foi apresentado ao rei para interpretar a escrita. O profeta Daniel não se interessou pelos presentes, mas em cumprir aos propósitos de Deus, mostrando ao rei que o pai dele foi humilhado e reconheceu a grandeza de Deus, mas ele não estava seguindo os caminhos do pai e sim ao roubo dos pertences da casa do Senhor, à bebedeira e à idolatria. A escrita é Mene, Mene (Numerado ou contado), Tequel (Balança) e Parsim ou Peres (Dividido). A profecia foi imediatamente cumprida. A Babilônia foi contada, medida e pesada por Deus, foi achada em falta e didivida e dada aos medos e persas (v.10-31).

Nenhum comentário:

Postar um comentário