Daniel 7


Capítulo 7: Os quatro animais
1.O profeta registra o reinado de Belsazar novamente, ou seja, antes do reinado medo-persa, quando Daniel ainda estava na Babilônia. Na visão, o Mar Grande refere-se às nações, assim como os quatro ventos nas profecias referem-se aos quatros cantos da terra (veja Apocalipse 7.1, 13.1, 17.1,15). A visão dos quatro animais é apenas uma variação do sonho de Nabucodonozor. Os materiais da estátua representam os animais. Abaixo a repetição do quadro visto anteriormente.

Capítulo 2
Capítulo 7
Babilônia (606-539 a.C.) - a cabeça de ouro (v.36-38)
Leão com asas de águia (v.4)
Média-Pérsia (539-330 a.C.) - braços e peito de prata (v.39)
Urso com três costelas (v.5)
Grécia (330-150 a.C.) - quadris de bronze (v.39)
Leopardo com quatro cabeças (v.6)
Roma (150 a.C. até 500 d.C.) - pernas de ferro (v.40)
Animal terrível (v.7)
Anticristo - dez dedos de ferro e barro (v.41-43)
Pequeno chifre (v.8)
Cristo - a Pedra que esmiúça (v.44-45)
O Filho do homem (v.9-14)

2.Algumas explicações adicionais da visão dos quatro animais. O leão de asas arrancadas, posto em pé como homem e com mente de homem refere-se à insanidade de Nabucodonozor que depois foi curada por Deus. O símbolo da Babilônia é um leão alado (v.4).


3.O urso que levantou um dos lados com três costelas entre os dentes com a ordem de comer muita carne se refere ao governo medo-persa. O lado levantado refere-se à Pérsia que era mais forte nessa coligação. As três costelas talvez se refiram a três províncias conquistadas (v.5).

4.O leopardo com asas mostram a velocidade das conquistas de Alexandre, o Macedônio, portanto, o Império Grego que surgiria após a Média e a Pérsia. As quatro asas falam da rapidez das conquistas e as quatro cabeças as divisões do Império (Síria, Egito, Macedônia e Ásia Menor) (v.6).

5.O quarto animal se refere ao Império Romano. A palavra Roma significa “força”. São as duas pernas de ferro e os dez dedos dos pés. É curioso notar a deteriorização das monarquias, vista na diminuição de importância popular das feras. De leão para urso de urso para leopardo e de leopardo para um animal desconhecido. Da mesma forma, no sonho da imagem, os materiais de cima para baixo vão diminuindo em seu valor. Quanto ao chifre pequeno em lugar de três chifres, talvez se refira a governos menores que caíram em Roma e, futuramente, três governos das dez confederações do Anticristo, porém, nada sabemos especificamente sobre estes três chifres. Sobre dois chifres veremos no próximo capítulo (v.7-8).

6.Os próximos versículos falam do Senhor Jesus como Juiz. O Ancião de Dias é Deus o Pai e o Filho do homem é o Messias. Note os livros também citados em Apocalipse 20.11-15 no Grande Trono Branco. Também há um retrato, para nós hoje bem mais claro por causa de Apocalipse 13 sobre o Anticristo (v.9-28).

Nenhum comentário:

Postar um comentário