Isaías 50

Capítulo 50: O Servo do Senhor é fiel ao pacto de casamento com Seu povo

1.O Servo do Senhor é fiel (v.1-3)
2.O Servo do Senhor é sofredor (v.4-9)
3.O Servo do Senhor é salvador e vingador (v.10-11)

1.A nação de Israel está indo embora da presença do Senhor porque quis. Ele jamais a mandou embora. Ele é um esposo fiel e perdoador. Ainda que uma mãe abandone um filho, Ele disse que jamais abandonaria o Seu povo. Ele também não vendeu o Seu povo por causa de alguma dívida. O povo foi embora como escravo por causa de suas próprias transgressões. O pecado escraviza. Deus é fiel não por causa daquilo que fazemos, mas porque faz parte de Seus atributos a fidelidade. O povo não conseguiu libertação porque não O buscou. A mão Dele sempre esteve estendida. Entendemos que o cativeiro poderia ser evitado e até diminuído, mas o povo não buscou o Senhor. Ele pode secar o mar, mas não pode fazer pecadores não arrependidos se voltarem a Ele. Deus não pode se arrepender pelo povo. Ele pode até fazer os céus ficarem de luto ou em lamento, como Ele fez na crucificação de Cristo, quando o céu se escureceu. A responsabilidade de ouvir a Palavra de Deus e se converter ao Senhor é do pecador. Ele oferece os recursos, mas o passo tem que ser do pecador (v.1-3).


2.O Senhor Jesus recebeu língua de erudito, ou seja, língua sábia, palavras de entendido. As palavras Dele nunca foram para se ostentar, mas para convidar o cansado ao descanso, o faminto ao alimento e o sedento à água viva. Ele não apenas falava, mas ouvia. Ele sempre foi obediente ao Pai. A obediência Dele chegou até à morte. Ele foi humilhado, descabelado, espancado, cuspido e crucificado. Ele é o Servo Sofredor. Apesar de toda a afronta, ele não se envergonhou, pois em Sua humilhação estava buscando o Seu povo. Se uma mãe estivesse correndo para salvar o seu filho de ser esmagado por um trem e no percurso, enquanto corria, sua roupa caísse, será que ela pararia para se vestir? É claro que não, pois o seu filho é mais importante do que sua vergonha. O Filho de Deus foi crucificado, mas estava fazendo isso para alcançar o pecador a quem Ele ama (v.4-7).

3.Jesus Cristo foi justificado por Deus. Ele pode ter morrido como um criminoso diante da lei humana, mas diante de Deus, Ele morreu como o Salvador, inocente e substitutivo, ou seja, morreu em lugar do pecador. A cruz é um convite, não para discussão, mas para salvação. O único adversário foi esmagado na cruz. O pecador precisa se chegar para o salvador e aceitar a salvação. Os demônios foram envergonhados e expostos quando Cristo foi crucificado. Ninguém pode condenar o salvador. Ele é o sofredor substituto. O pecador pode receber a salvação aceitando-O (v.8-9).

4.O Servo do Senhor é o salvador, mas também é o vingador daqueles que o rejeitarem. A nação de Israel estava em trevas, mas não se chegava para a luz. O pecador está no mundo e este está na escuridão. A luz veio, mas o mundo amou mais as trevas do que a luz porque as suas obras são más. O pecador prefere o pecado a andar em comunhão com a luz. A luz tem dois resultados. Ela direciona, mas ela cega. Quem está em trevas sente-se machucado pela luz. O pecador que não aceita a salvação acende as flechas para atirar contra Deus, mas essas virão contra ele (v.10-11).

Um comentário:

  1. Agradeço a Deus pela sua vida, seus estudos tem me ajudar muito. Deus te abençoe rica e poderosamente... Shalom!

    ResponderExcluir