Mateus 14


Capítulo 14: A morte de João, a multiplicação e sobre as águas
1.Herodes não estava acompanhando o ministério de Jesus, por isso, ouviu apenas de Sua fama. Ele tinha sido repreendido por João Batista por estar adulterando com a cunhada, irmã de Filipe. Querendo agradar ao povo judeu e também satisfazer sua amante, Herodes Antipas mandou decapitar João. Os discípulos de João, fiéis a ele até à morte, o sepultaram. Triste sepultamento, pois seu mestre estava decapitado. Agora, finalmente, os discípulos fazem o que deveriam ter feito há dois anos atrás e juntaram-se a Jesus, seu novo mestre (v.1-12).

2.A multiplicação dos pães e peixes foi o único milagre relatado em todos os Evangelhos. Sendo que foi na ocasião da Páscoa, podemos afirmar que foi um ano antes da morte de Cristo. É provável que havia pelo menos 15 mil pessoas alimentadas com os cinco pães multiplicados 3 mil vezes e dois peixes multiplicados 7.500 vezes (v.13-21).


3.O Senhor Jesus precisava de privacidade e aproveitava essas raríssimas oportunidades para falar com Seu Pai a quem era submisso. Jesus normalmente não usava meios de locomoção extraordinários enquanto esteve na terra, porém, aqui teve um propósito de fortalecer a fé de Seus discípulos que nesta altura precisariam decidir se realmente seguiriam um homem perseguido por toda a nação. Eles mostraram que na hora do medo, a superstição ainda os acompanhava, pois pensaram que Jesus fosse um fantasma, ou talvez, o anjo da morte. Cristo é o Filho de Deus independente dos comentários do homem. No entanto, a vinda de Cristo ao mundo deveria ser cheia de sinais, pois o objetivo era chamar a atenção do pecador não apenas para as Suas palavras, mas para os Seus atos comprobatórios de Sua divindade. Hoje, não precisamos de provas da divindade de Cristo e muito menos de sinais duvidosos reivindicados pelos homens (v.22-36).

Nenhum comentário:

Postar um comentário