Mateus 17


Capítulo 17: A transfiguração, Elias e os impostos
1.A Transfiguração era um vislumbre do estabelecimento do reino, pois este já teria sido postergado (adiado). O assunto a seguir com os discípulos era a morte de Cristo, a rejeição máxima por parte dos judeus. Moisés e Elias representam a Lei e os Profetas (v.1-8).

2.Elias deveria vir antes do estabelecimento do reino. Se contar esta vinda e a de João Batista já teria se cumprido a profecia para o estabelecimento do reino de Cristo. Porém, os judeus não aceitaram Jesus como o Cristo. Jesus não nutre nenhuma esperança aos discípulos sobre o reino para a época deles. O reino agora será diferente, pois será um reino sem o Seu Rei. O Rei será morto. O reino será no coração até que o Rei retorne e estabeleça definitivamente o Seu reino na terra. Enquanto isso, Jesus opera os sinais que somente o Messias poderia realizar como a cura do jovem possesso. Os discípulos também poderiam expulsar, pois receberam autorização Dele, porém, não creram em Suas palavras. Jesus reforça a advertência de que será preso, morto e ressuscitado (v.9-23).


3.Em tudo Jesus é um homem perfeito, mas como todo teste de honestidade e integridade deve incluir as finanças, Jesus é provado ser um homem submisso e justo ao pagar corretamente suas contas enquanto estava na terra. A desculpa de impostos abusivos e falta de rendimentos não são aceitas. Jesus é o supridor das necessidades para que os Seus servos vivam aqui com bom testemunho. Ele tira o suprimento até da barriga de um peixe se for necessário. O ensino principal é que o Reino não será estabelecido agora, pois se fosse o Rei e os filhos não deveriam pagar impostos (v.24-27, ver também 22.15-22).

Nenhum comentário:

Postar um comentário