Mateus 23


Capítulo 23: Os escribas e fariseus e o choro de Jesus sobre Jerusalém
1.Este capítulo é impressionante, pois Jesus faz uma “Ressonância Magnética” da vida dos escribas e fariseus. Ele chega bem ao fundo, onde nenhum ser humano pode chegar. Ele revela as intenções do coração dos fariseus e escribas. As motivações deles podem ser encontradas em nós próprios e, por isso, ler este capítulo refletindo contra nossa própria hipocrisia só nos ajudará a diagnosticar prováveis atitudes erradas para confessarmos e nos submetermos ao Rei que é tão bem apresentado por Mateus que foi submisso ao Senhor ao escrever para todos nós. As palavras de Jesus contra os fariseus abrangeram diversos assuntos. Eles estavam no lugar de Moisés como os instrutores do povo. A seguir uma tentativa de identificar essas acusações (v.1-36).

1.São hipócritas (v.3)
2.Sobrecarregam o povo (v.4)
3.São ostentativos[1] (v.5)
4.Buscam a primazia (v.6)
5.Valorizam seus títulos[2] (v.7)
6.Fecham o reino dos céus[3] (v.13)
7.Roubam viúvas (v.14)
8.Escravizam seus prosélitos[4] (v.15)                                        
9.São guias cegos (v.16)
10.Pervertem o juramento[5] (v.16-22)
11.Supervalorizavam os deveres menos importantes
e omitiam os deveres mais importantes (v.23-24)
12.São ritualistas e não piedosos (v.25-28)
13.São assassinos (v.29-36)


2.Nada do que Jesus disse contra os escribas e fariseus foi para nos divertir ou para nos sentir superiores a eles. Ele se sensibilizou muito pela situação espiritual deles. Cristo chorou sobre a Jerusalém rebelde, pois seguia os seus líderes contra os quais Ele acabara descrever como hipócritas e incapazes de guiar a nação escolhida por Deus. A casa ficará deserta certamente fala da invasão de 70 a.D., de 142 a.D. e de tantas outras até Israel perder seu território para conseguir novamente só em 1948. No versículo 39, Jesus se despede do público para falar somente com Seus discípulos para aparecer em público somente para ser preso e crucificado (v.37-39).



[1] Os filactérios eram quatro seções da lei, escritas em pergaminhos, dobrados no pelo de animais limpos e amarrados à cabeça e na mão. As quatro seções são as seguintes: a primeira Êxodo 13.2, a segunda Êxodo 13.11, a terceira Êxodo 6.4 e a quarta Deuteronômio 11.13 (John Gill's Exposition of the Entire Bible, 1690-1771).

[2] Os versículos 8-12 são dirigidos aos discípulos. Embora devamos respeitar as pessoas, seus estudos, preparos, posições e capacidades, devemos nos lembrar que tudo vem de Deus que a todos capacita.
[3] A porta para o reino dos céus é Jesus, mas além de não entrarem por essa porta, os escribas e fariseus estão impedindo que outros não O aceitem. Há sete “ais” que o Senhor Jesus proferiu contra eles.
[4] Duas vezes filhos do inferno porque ao buscarem um gentio sem Deus, além de não lhe mostrar o caminho da salvação o impedem de encontrar esse caminho.
[5] O Senhor Jesus disse para não fazer nenhum juramento, porém, os fariseus dividiam seus juramentos entre os confiáveis e os não confiáveis. Quando alguém jurava pelo templo ou altar podia quebrar o juramento, mas quando juravam pelo ouro do santuário ou a oferta do altar, então, não se podia quebrar o juramento. Por isso, Jesus disse “sim, sim e não, não”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário