Mateus 28


Capítulo 28: A ressurreição e a Grande Comissão
1.Cristo cumpriu Sua missão e deixou para os discípulos a continuação da pregação na ausência do Rei como vemos no último capítulo deste evangelho. O “findar do sábado” não se refere à tarde, mas à madrugada do domingo. A palavra grega “opse” é melhor traduzida como “depois” e não “ao findar”. A ressurreição veio antes do terremoto, este foi um anúncio da sepultura vazia. As mulheres tiveram o privilégio de presenciar todos aqueles momentos. Os discípulos fugiram, mas as mulheres acompanharam a crucificação, morte e a primeira notícia da ressurreição. Ao anunciar aos discípulos não foram acreditadas, mas o próprio Senhor Jesus confirmou. Os líderes religiosos subornaram os guardas para dizerem que dormiram enquanto “roubavam” o corpo. Essa versão ficou muito mal contada e os líderes religiosos tiveram que carregar este engodo, mas a Palavra de Deus nos dá base para dizer que muitos desses se converteram mais tarde (v.1-15, ver Atos 6.7).


2.Alguns discípulos ainda estavam incrédulos quanto à ressurreição. É claro que a ênfase sobre a incredulidade ficou quase toda sobre Tomé. O Senhor Jesus disse que “toda a autoridade me foi dada” e não vos foi dada. Baseado nisto, podemos afirmar que o discípulo de Cristo não precisa buscar poder e nem mesmo que ele tem poder em si mesmo. Atos 1.8 diz que receberiam poder ao descer o Espírito. Este entendimento evitaria muito abusos doutrinários e orgulho religioso. A ordem do Senhor Jesus sobre o batismo é muito clara e também as palavras: “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. A ideia de que só se deve batizar em nome de Jesus porque em Atos fala o “batismo de Jesus” é um engano, pois se vamos realizar o “batismo de Jesus” este deve ser feito da maneira como Ele próprio ensinou, ou seja, “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. A ordem de ensino integral também foi dada e a segurança e motivação do discípulo estão nas palavras “e eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”.


Pércio Coutinho Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário