Atos 10


Capítulo 10: O centurião Cornélio e o Espírito Santo sobre os gentios.
1.Cornélio era centurião da coorte italiana. As tropas eram recrutadas na Itália (Roma) e não na Palestina. Embora Cornélio não fosse circuncidado e nem prosélito era temente a Deus, isto é, adorava ao Deus dos judeus. Mesmo assim, os judeus consideravam tais pessoas semi-prosélitas. Às quinze horas ele recebeu a visão, horário das orações no Templo, tanto judeus quanto prosélitos obedeciam, mesmo fora do Templo. De Cesaréia a Jope tinha 48 km. Cornélio foi o primeiro gentio a se converter. Embora fosse piedoso não era salvo. O fato de Deus ouvir a oração dele é facilmente explicado da seguinte maneira: O desejo de Deus é salvar o perdido. Deus não ouve orações dos incrédulos, pelo simples fato de não serem filhos de Deus, porém, visto que o desejo de Cornélio era conhecer a Deus e sendo que Deus tinha o mesmo desejo, acabou se concretizando. Este incidente trouxe problemas entre os crentes judeus quanto à aceitação em relação aos gentios, embora não fosse Pedro quem o procurara. Ele e a família eram semi-prosélitos, isto é, abraçaram a fé judaica, que é uma fé monoteísta. Um “temente a Deus” se distinguia de um prosélito quanto às práticas da circuncisão e batismo. O temente a Deus não passava por esses ritos, mas apenas era simpatizante do judaísmo (v.1-8).

2.Era meio-dia. Os judeus oravam no templo às 9, 12 e 15 h. A fome desviou Pedro de orar. Entende-se que na visão do lençol não havia nenhum animal limpo, ou seja, que rumina e que tenha unhas fendidas, embora animais puros, junto com animais imundos, não fossem mais considerados puros (v.9-16).


Os dois princípios da visão do lençol

1.Deus estava cancelando a dieta prescrita no Velho Testamento e que não haveria mais distinção entre limpo e imundo.
2.Os gentios e judeus professariam a fé em Cristo, juntos, sem distinção.

Os animais não eram reais, mas visão. Pedro estava na casa de um curtidor, mas comer aqueles animais era demais para ele. O judeu nunca pensou em Lei transitória, mas permanente.

3.Pedro é interrompido em suas reflexões. A interpretação da visão: O lençol representa a Igreja, os quatro cantos representam os quatro cantos da terra, os animais limpos representam os judeus e os animais imundos representam os gentios. Na Igreja, porém, todos são puros (Efésios 3.6). Não há contradição na narrativa, quanto ao número de pessoas, pois de fato foram três homens, dois criados e um soldado (10.7, 11.11). Foi um incidente totalmente dirigido pelo Espírito Santo. Pedro não foi buscar os gentios, pois na mente dele não existia este conhecimento. Portanto, unir judeus e gentios num só corpo foi obra exclusiva do Senhor, o mistério de Efésios, outrora encoberto, nunca antes revelado, agora acontecendo sem qualquer iniciativa de homens (v.17-22).

4.Outros seis homens foram com Pedro (11.12). Cornélio como um bom militar preparou tudo, esperou com amigos e parentes íntimos. Claro que Cornélio não queria adorar Pedro, mesmo assim, este o alertou. Pelo visto Pedro entendeu a visão. Talvez tenha levado testemunhas porque pediriam satisfação desse incidente, o que de fato, aconteceu (v.23-43).

Um resumo dos acontecimentos
Primeiro dia: visão de Cornélio
Segundo dia: visão de Pedro e mensageiros de Cornélio
Terceiro dia: deixaram Jope
Quarto dia: chegaram em Cesaréia.

5.Desta vez os apóstolos não vieram e nem Pedro impôs as mãos para receberem o Espírito Santo, mas o próprio Deus mandou, fornecendo um sinal para os judeus que a inclusão dos gentios no Corpo de Cristo é algo totalmente planejado por Deus e não por Pedro ou qualquer outro apóstolo. Entendemos que os gentios foram salvos enquanto Pedro falava, sem apelo final, pois Pedro ainda não terminara o sermão quando foi interrompido pelo Espírito Santo. Os judeus crentes dariam as boas vindas aos gentios, batizando-os. Note que a circuncisão já não é mais necessária. O sinal aqui não foi para os gentios, mas para os crentes judeus, a fim de compreenderem a nova união: gentio e judeu, juntos no mesmo corpo, a Igreja de Cristo. Não foi outro Pentecoste, mas a extensão deste. O sinal externo serviu para Pedro, o apóstolo judeu, convencer-se de que Deus, agora, aceita gentios, assim como judeus. A única língua (idioma) que poderia ter havido como sinal seria o aramaico, pois, o sinal era para impressionar os judeus e não os gentios (v.44-48).

Nenhum comentário:

Postar um comentário