Atos 14


Capítulo 14: Ainda a primeira viagem missionária
1.Novamente os judeus, invejosos por perderem a primazia, perseguiram os missionários. Mesmo assim, ficaram muito tempo pregando em Icônio. Note que os sinais eram realizados, pois a mensagem era nova. Não foram apedrejados, porém, era plano dos opositores (v.1-7).

2.Não havia sinagoga ali, portanto, a pregação era em praça. A cura foi semelhante ao capítulo 3. O resultado da cura não foi o desejado. Os deuses mencionados eram os adorados em Listra. Chamaram o sacerdote de Júpiter que fez os preparativos para a adoração. Rasgar as vestes mostra a indignação. O deus grego Zeus equivale ao deus romano Júpiter. O deus grego Hermes equivale ao deus romano Mercúrio (Hermes ou Mercúrio é o mensageiro dos deuses. Assim, como Paulo falava mais foi identificado como o porta-voz de Barnabé). A língua falada era a licaônica. Paulo e Barnabé só entenderam quando viram os preparativos para a adoração. Timóteo era de Listra (16.1), talvez tenha presenciado este acontecimento (v.8-18).


3.Os perseguidores anteriores não desistiram de matar Paulo. Estes queriam matá-lo, enquanto em Listra era aclamado deus; nenhum dos dois grupos acertou diante de Deus. Aqui Paulo sentiu um pouco a situação de Estevão (2 Coríntios 11.25). A cura foi imediata e sem ajuda médica, pois havia hematomas e, talvez ossos quebrados, totalmente doloridos. Humanamente, a recuperação imediata numa situação dessa é impossível (v.19-26).

4.Além de outros lugares, voltaram aos lugares onde queriam matá-los. Voltaram para confirmar e alicerçar os crentes e estabelecer liderança entre eles. É possível que esta viagem tenha durado dois anos e ficaram em Antioquia um ano. Paulo nomeou líderes das igrejas novas, porém, já eram judeus ou prosélitos de vida reta e acostumados com culto (v.27-28).

Nenhum comentário:

Postar um comentário