Atos 17


Capítulo 17: Ainda mais da segunda viagem missionária
1.Paulo ficou ali um tempo, fabricando tendas e alcançando os tessalonicenses (2 Tessalonicenses 3.7-8). Procuraram a sinagoga e muitos se converteram, inclusive mulheres de alta posição na sociedade. Os judeus invejosos ajuntaram os vadios (os da malandragem) e fizeram alvoroço para chamar a atenção dos politarcas (magistrados de Tessalônica). Jasom, que hospedou os missionários, (Romanos 16.21) ficou seriamente comprometido; assaltaram a casa dele e não achando os missionários, o levaram. Jasom só foi solto porque pagou fiança, bem como os outros crentes que estavam com ele. Os crentes não eram rebeldes (v.7), mas exaltavam Jesus como o Rei no sentido espiritual, embora também fosse rei politicamente, no futuro. Essa fiança envolvia a responsabilidade de mandar Paulo e Silas embora da cidade (v.1-9).

2.Novamente procuraram a sinagoga. Aqui também, mulheres gregas da alta sociedade creram. Os de Tessalônica foram atrás dos missionários. Lucas deve ter ficado em Filipos. De Beréia Paulo vai sozinho, pois Silas e Timóteo ficaram. Encontrar-se-iam com Paulo em Atenas (v.16). Os judeus de Beréia ouviam e confirmavam com as Escrituras do Velho Testamento, não eram preconceituosos como os de outros lugares. Os bereianos percebiam que a mensagem era de extrema importância para outros lugares, por isso levaram Paulo até Atenas, como proteção e voltaram dando as ordens dele para Silas e Timóteo (v.10-15).


3.Atenas era a cidade da filosofia, arquitetura e arte. Tinha 30 mil estátuas públicas. Petrônio, escritor latino disse: "É mais fácil encontrar um deus em Atenas do que um homem." Paulo falava na sinagoga e na praça. Epicureus (seguidores de Epicuro) defendem o deísmo, isto é, um deus qualquer criou tudo e abandonou sua criação; os Estóicos defendem que Deus é o universo e o universo é Deus, portanto, o homem é Deus. O panteísmo segue a mesmo pensamento. (v.18). Todo o estrangeiro era ouvido com atenção (v.21), pois talvez tivesse mais uma informação filosófica para acrescentar suas mentes, que já estavam tão acumuladas de humanismo. Paulo mostra interesse pela religiosidade dos atenienses e apresenta, não mais um deus, mas o Deus da História. Era muito comum Paulo citar os poetas dos povos (v.28). Paulo tinha familiaridade a estas literaturas. Aqui Paulo cita Arato de Soli da Cilícia. Deus não deixou o mundo impune até o momento, mas aceitou os sacrifícios de animais segundo o padrão a Sua Palavra até que veio Cristo, pois o sangue de touros e bodes não podem perdoar pecados (v.30-31), conforme Romanos 3.25, mas o Juiz julgará e Paulo está anunciando pela primeira vez em Atenas, portanto, já são conhecedores do juízo. Ressurreição para eles era mera fantasia (v.32). Areopagita (v.34) era o membro da Corte do Areópago (v.16-34).

Nenhum comentário:

Postar um comentário