Atos 18


Capítulo 18: O fim da segunda viagem missionária. A terceira viagem missionária
1.Paulo chegou em Corinto sozinho, desanimado pelo aparente fracasso em Atenas e cheio de temor (1 Coríntios 2.1-3). Silas e Timóteo não o encontrou em Atenas conforme o combinado, talvez pelo próprio pedido de Paulo (1 Tessalonicenses 3.1) por causa da situação difícil em Tessalônica. Paulo fez novas amizades (v.2). Áquila e Priscila tiveram que deixar Roma, pois eram judeus. Em Corinto Paulo pregava na sinagoga. Paulo já não tinha nenhuma responsabilidade com os judeus incrédulos (v.6). a casa de Tício era contígua (próxima) à sinagoga. O ataque dos judeus foi frustrado (v.9,12-17). Paulo ficou ali um ano e meio (v.11). Fora Éfeso que ficou três anos, Corinto foi o lugar onde mais tempo permaneceu. O texto não diz nada se Áquila e Priscila já eram crentes quando deixaram Roma e nada se sabe sobre a origem da Igreja em Roma. Crispo, o principal da sinagoga se converteu (v.8), isso irritou os judeus.  Gálio (v.12) era o irmão do filósofo Sêneca. Sóstenes (v.17) foi o sucessor de Crispo e também se converteu (1 Coríntios 1.1). Paulo, novamente satisfazendo os costumes judaicos (v.18) em Cencréia. Este voto significa ações de graça de um nazireu (Números 6.1-21) (v.1-18).


2.Em Éfeso havia uma maior nobreza quanto a ouvir a mensagem de Paulo, pois insistiram que ele ficasse. Paulo deixou Áquila e Priscila em Éfeso. De Éfeso foi para Cesaréia na Palestina e depois para Jerusalém. Lá relatou por onde andou, dando as informações do Concílio. Dali voltou ao seu "quartel general" em Antioquia. A pressa de Paulo em deixar Éfeso, talvez fosse por causa de alguma festa em Jerusalém. Esta viagem missionária durou cerca de três anos, num percurso de 4.500 Km por mar e por terra (v.19-22).

3.Paulo voltou a Éfeso, onde passou rapidamente na 2ª viagem missionária. Paulo NÃO encontrou Apolo, pois ainda não havia chegado em Éfeso. Apolo pregava as Escrituras do Velho Testamento, ensinava sobre o Messias, mas nada sabia, ainda, sobre a morte e a ressurreição de Cristo e a descida do Espírito Santo. As notícias era veiculadas com muita lentidão naquela época, ainda mais, estando fora da Palestina onde tudo aconteceu. Áquila e Priscila colocaram-no a par dos acontecimentos do evangelho e certamente o batizaram. Após isto Apolo quis ir para Acaia (Corinto); foi incentivado e até deram carta de recomendação. Lá ele foi uma bênção, embora os crentes fossem partidários, preferindo Apolo a Paulo (v.23-28).

Nenhum comentário:

Postar um comentário