João 14


Lição 14: Jesus é o caminho, a verdade e a vida. Jesus promete o Espírito Santo. A paz de Jesus (capítulo 14)
a.o lar celestiial - v.1-12
1.A tristeza pela morte de Jesus era desnecessária. É claro que os discípulos sem Jesus ficariam com medo e, também, tristes e muito mais agora ao ouvirem que o “líder” do grupo, Pedro, negará o Mestre.

2.Tudo está em colapso, por isso, era preciso renovar a fé na Pessoa de Jesus. Os discípulos estavam intranqüilos, pelo menos por dois motivos:

                - Jesus se angustiou no espírito
                - Os discípulos não podiam seguir Jesus para onde Ele iria.

3.Jesus promete um “oikiameno”, um lugar. “Oikia” significa “casa” e “meno” significa “lugar para ficar”. Termo usado para uma casa de vários quartos.

4.Jesus promete ir para preparar lugar, assim como João e Pedro foram a frente preparar o cenáculo para a Ceia. Jesus vai preparar “cenáculos”.


5.Jesus desafia a fé dos discípulos quando diz “se  assim não fora, eu vo-lo teria dito”. Portanto, a palavra de Jesus está em questão. Se não houvesse lugar e esperança, Ele diria.

6.Jesus promete, também, que voltará pessoalmente para buscar Seu povo. A vinda do Senhor sempre deve ser considerada iminente, ou seja, a quallquer hora. Os discípulos, a Igreja Primitiva e Paulo esperavam ansiosamente pela vida do Senhor.

7.A vinda do Senhor deve ser considerada por nós como uma montanha ho horizonte: ao mesmo tempo que está longe a montanha do céu, está, também, encostando nele.

8.Jesus não deixa dúvida alguma sobre o caminho para o Pai.

9.O tipo de pergunta de Tomé nunca foi desprezada por Jesus, mas sempre usava este tipo de pergunta para expandir Seu ensino. Se o próprio Verbo Encarnado disse qual é o único caminho, então fica estabelecido que nenhum povo chegará a Deus se não ouvir a Salvação que há em Jesus Cristo.

10.Os discípulos, ainda, não tinham total compreensão sobre Cristo como caminho para o Pai (v.7). Filipe, assim como os outros, talvez, não entendia todo o ensiino envolvido sobre a divindade de Jesus. Filipe desejava uma teofania (o Anjo do Senhor), mas não entendia em profundidade que o  próprio Jesus é o Verbo Encarnado.

11.Jesus fala de Sua união com o Pai em termos de igualdade e não apenas de Comunhão e Companheirismo.

12.Os discípulos farão “maiores obras” não em qualidade, nem em sinais, mas em extensão. Por exemplo, a tradição diz que Tomé pregou para os partas, viajou para a Índiia e foi martirizado, sendo que Jesus nunca tirou os pés da Palestina, enquanto exerceu Seu ministério na terra. Hoje em dia, a Igreja avançou muito mais que os discípulos e Paulo fizeram.

ALGUMAS MANEIRAS DE COMPREENSÃO DO TERMO “MAIORES OBRAS”

                1.EM EXTENSÃO - Os sucessores de Jesus alcançarão mais regiões.
                2.EM QUANTIDADE - Os sucessores de Jesus alcançarão mais pessoas e povos que
             Ele.
                3.EM QUALIDADE - Os sucessores de Jesus farão sinais mais extraordinários e
             terão um  ministério mais excelente.
                4.EM GÊNERO (espécie ou tipo) - Os sucessores de Jesus farão outros tipos de
             sinais.
                5.EM RELAÇÃO SOMENTE AOS DISCÍPULOS IMEDIATOS DE JESUS - Os
             sucessores de Jesus que farão “maiores obras” serão somente os doze e não os
             crentes em geral.

b.a garantia das respostas das orações - v.13-14
1.Os pedidos são feitos ao Pai, em nome de Jesus. O Pai não nega nada ao Filho, por isso, um pedido feito em nome de Jesus é como se o Filho mesmo estivesse pedindo.

2.Orar em nome de Jesus significa mais do que meras palavras “em nome de Jesus”, mas significa comunhão com Ele e com Sua vontade.

3.O Filho responde para o bem estar dos crentes e, também, para a glorificação do Pai. Toda resposta de oração, seja qual for, é a glorificação do Pai.

c.a promessa do espírito santo - v.15-26
1.O amor a Deus sempre resultará em obediência. Prova-se que se ama a Cristo, quando há obediência a Ele.

2.O amor é antes de tudo obediência e submissão a alguém. Quem cumpre os mandamentos do Senhor, de fato, O ama. Os mandamentos não se resumem nos “Dez Mandamentos” e nem às diversas instruções que Jesus deu aos Seus discípulos, mas os “mandamentos” são tudo o que o crente pode aprender com Jesus, inclusive o “novo mandamento”.

3.Jesus deixou a promessa do Consolador. “Parácleto” é o nome grego dado para o Espírito Santo e tem o sentido de Consolador e, também, Advogado.

4.Jesus diz que teriam “outro Parácleto” (Consolador), isto quer dizer que já possuíam um Consolador que é o próprio Jesus Cristo.

5.O Consolador, desta vez, não estaria apenas com eles, mas dentro deles. Esse Consolador é, também, o Espírito da Verdade.

6.Os discípulos estavam se sentindo “órfãos”, mas o Espírito Santo não vai deixá-Los assim.

7.O mundo não pode receber o Espírito Santo, pois o mundo só entende coisas naturaiis e o Espírito Santo é sobrenatural.

8.Jesus diz que logo não estará aqui, mas os discípulos O verão, porque Ele vive e os discípulos, também. Isto significa que quando Ele ressuscitar, os discípulos ainda estarão vivos e Jesus só aparecerá a eles.

9.Quando os discípulos virem Jesus ressurreto entenderão o “mistério”, que no caso, é a Unidade de Jesus no Pai, os discípulos em Jesus e Jesus nos discípulos.

ALGUMAS ILUSTRAÇÕES PARA INDICAR A UNIÃO PAI-FILHO-CRENTES

                1.Cabeça e o Corpo - Efésios 1
                2.Vinha e varas - João 15
                3.Família de Deus - Efésios 3
                4.Alicerce e Edifício - Efésios 2
                5.Marido e mulher - Efésios 5

10.Jesus se manifestará somente aos que O amam. Jesus só pode vir onde há comunhão e amor (v.23).

11.O Judas mencionado é o Tadeu. Quase não era preciso fazer distinção, pois o Iscariotes já tinha deixado o recinto, mas mesmo assim, João não quer nenhuma confusão a este respeito. A dúvida de Judas Tadeu era porque o messias não surgiria ao mundo todo, mas só aos discípulos.

12.No v.26 vemos que grande parte da tarefa do Consolador é lembrar-nos dos ensinos de Jesus.

d.a morte e a paz de jesus - v.27-31
1.Jesus estava se despedindo dos discípulos e não tinha nada para deixar para eles, no que diz respeito às necessidades físicas, pois até as Suas vestes logo seriam propriedade dos soldados romanos.

2.Contudo, o Mestre deixaria uma herança muito rica: a paz consoladora.

3.Epicuro chamava de “tranqüilidade mental”. A paz de Jesus é, de fato tranqüilidade mental, com a diferença de não precisar um exercício mental como ensina Epicuro, mas é a paz celestial, um presente dado aos que são do Senhor Jesus.

4.Jesus tentou acalmá-los com as palavras “não se atemorize”, o que era isso mesmo que aconteceria, assim que Jesus fosse preso.

5.O momento é de alegria e não de tristeza, pois Jesus vai para o Pai, o Seu lugar, e logo buscará os Seus na terra.

6.Jesus diz que “o Pai é maior do que Eu”. Entendemos que seja em função, sendo que voluntariamente Jesus se sujeitou ao Pai. Jesus não foi criado pelo Pai em outro sentido, senão não seriam co-iguais e não poderia ser eterno.

7.O amor dos discípulos ainda é incompleto. O amor deseja o melhor e nno, momento, o melhor é que o Mestre volte para o Pai.

8.A exaltação de Jesus fará com que o “Príncipe deste mundo” seja rebaixado. Jesus diz que “nada tem em mim”, referindo-se a Satanás e que, portanto, este não poderá se aproveitar em nada de Jesus na cruz.

9.Jesus convida a todos a saírem dali (“levantai-vos, vamo-nos daqui”). Com isso, levanta-se uma dúvida sem muita importância:

                -  Ou saíram imediatamente e os capítulos 15 e 16 foram proferidos em algum lugar a
             caminho do jardim de Getsêmane.
                -  Ou não saíram imediatamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário