Romanos - Introdução


Carta de Paulo aos Romanos

Introdução
1.O apóstolo Paulo foi o escritor desse escrito que foi o mais sistematizado dele e também a maior das cartas de Paulo. Foi escrito cerca do ano 56 a.D. quando Paulo estava em Corinto (15.26, 16.1-2), em sua 3ª Viagem Missionária.

2.Paulo escreve para os crentes em Roma. Paulo nunca visitou esta igreja antes de escrever esta carta (1.10,11,15). Paulo só viu aqueles crentes na chamada 4ª Viagem Missionária quando foi levado preso para Roma (Atos 28.15). Não se sabe como surgiu esta igreja. É possível que tenha sido através dos judeus que participaram da festa do Pentecoste (Atos 2) quando se deu o início da Igreja ou por meio de crentes gentílicos, comissionados ou não, chegaram naquele local.

3.Esta carta trata do assunto da justificação pela fé. Mostra, principalmente, nos três primeiros capítulos, que todos os homens são pecadores, inclusive os judeus. A carta mostra que se alguém é salvo, justificado de suas más obras, só pode ser por meio da Graça de Deus e esta é demonstrada por meio do sacrifício do Justo Jesus Cristo, o Filho de Deus.


4.A carta aborda também a justificação de Abraão e a rejeição dos judeus, bem como o plano de Deus para a nação de Israel e, termina com várias exortações de como deve funcionar o Corpo de Cristo, a Igreja. Embora toda a Bíblia seja inspirada por Deus, de fato, a carta aos Romanos é o tratado mais completo do Novo Testamento justamente por tratar de forma expositiva as verdades centrais do Cristianismo, enquanto as outras cartas dão a base mais completa de como deve funcionar uma igreja.

5.Embora não tenha sido a primeira carta que Paulo escrevera aos gentios, no arranjo do Novo Testamento a carta aos Romanos foi colocada em primeiro lugar por se tratar da principal carta escrita pelo apóstolo.

6.Descobrimos através dessa carta que salvação é muito mais do que "mudar de endereço: do inferno para o céu" ou ter os pecados perdoados, mas vai além disso sob o tema da Santificação, da Mortificação da carne e da Transformação do crente segundo à imagem de Cristo. O alvo perdido da humanidade, ou seja, o alvo que todos erramos em Adão, foi glorificar a Deus participando de sua natureza. Embora seja muito fácil exagerar este ensino e distorcê-lo a ponto de alguns confundirem com a "divinização do homem". A verdade, porém, é que nunca o homem será Deus, e nem mesmo um "deus pequeno". Portanto, entendemos que, mesmo no céu, cresceremos de "glória em glória".

7.Se teve um lugar que Paulo "semeou em terreno alheio" foi em Roma, pois ele edificou crentes que não surgiram de seu ministério direto, contudo isso não o desmerece de forma alguma, pois o conteúdo dessa carta é tão abrangente que serve para qualquer igreja em qualquer época. E, além disso, Roma seria apenas uma passagem de Paulo e não o lugar do seu ministério, pois Paulo sempre foi um obreiro itinerante.

8.Ao que tudo indica, Paulo queria, começando em Roma, na Itália alcançar o Ocidente, partindo depois para a Espanha. Podemos, por assim dizer, que "somente uma vida de 60 anos era muito pouco para o incansável apóstolo Paulo". Tomando por base que ele se convertera com mais de 20 anos, sobraram "apenas" uns 40 anos de ministério.

Nenhum comentário:

Postar um comentário