Romanos 10

Capítulo 10: A apostasia de Israel
1.Quanto a isto não há de se duvidar, depois do que Paulo falou em 9.1-3. Todos os crentes devem orar pela salvação dos judeus, por mais distantes que estejam de aceitar o Evangelho, e ainda que saibamos dos planos de Deus em relação à nação de Israel, durante a Tribulação. Este versículo combate de modo categórico à idéia de que alguém possa ter de que Deus prepara vasos para a perdição, pelos quais não deveríamos nem orar. O incrédulo precisa de nossas orações para que entenda a mensagem de Deus (v.1).

2.Paulo dá testemunho para os crentes gentios daquilo que ele conhece muito bem, ou seja, a mentalidade judaica. O judeu ama a Deus e não podemos dizer que é outro Deus, pois o judeu é monoteísta, amando somente a Jeová, porém, por estranho que pareça não ama a Deus com entendimento verdadeiro, pois perdeu-se nos rituais e observâncias externas da religião. Os que dão ênfase demasiada ao aspecto externo da religião, estão correndo o mesmo perigo, pois zelo sem conhecimento não é suficiente (v.2).


3.Os judeus entenderam por si mesmos que as observâncias eram o fim em si mesmo, que os rituais tinham vida própria e obteriam a justiça através da obediência a estas coisas. Assim, desconheceram a justiça de Deus e estabeleceram a sua própria e acabaram resistindo `Aquele que estavam tentando agradar. Adoraram a religião ao invés do Deus da religião (v.3).

4.Se atentassem claramente para os planos no desenrolar da História da Redenção, teriam encontrado que o fim de todas aquelas observâncias estava na Pessoa de Cristo Jesus. A Lei faz o pecador correr até Cristo e após isto esta o deixa. Mas o judeu continuou correndo, mas ao invés de correr da Lei, continuou a correr com a Lei, pensando que esta de alguma forma seria sua amiga. Em tudo isto vimos que o judeu agiu sem entendimento da Lei (v.4).

5.O judeu que não foi inteligente no entendimento correto da Lei, nunca meditou sobre a impossibilidade da promessa da Lei. O judeu nunca parou para pensar que ninguém poderia atingir o padrão elevado da Lei e, por isso, assumiu a forma de hipócrita, sabendo que não era obediente, mas insistindo que estava obedecendo a Lei (v.5).

6.Dt 30.11-14. Moisés afirmava que a Lei não estava longe ao ponto do homem não conhecer; Paulo aplicou estas palavras para dizer o mesmo a respeito de Cristo Jesus e a salvação. O judeu não precisa fazer uma viagem tão longa ("subir até o céu" ou "descer ao Hades") para obter a justiça de Deus. A viagem longa era o legalismo. Nunca alcançariam a justiça de Deus através do legalismo. A palavra estava perto do judeu, da boca e do coração. Paulo aplica isto para a palavra da fé que ele prega (v.6-8).

7.Paulo aplica Dt 30.11-14 para o judeu crer na mensagem de Cristo e dá uma síntese do que deve crer: na Pessoa de Jesus Cristo ressuscitado. Este versículo tem sido usado por muitos pregadores para fazer pessoas repetirem suas orações, e assim, anunciar-lhes que estão salvas, pois confessaram com a própria boca. Ora, é verdade que a boca fala do que o coração está cheio, porém, é verdade também, que pessoas pressionadas podem falar sem, contudo, crer no coração, por isso, deve-se evitar tais confusões. Paulo não está pressionando nenhum judeu a falar, mas a crer. A confissão sempre vem espontaneamente ao que crê. Alguns não admitem que alguém seja salvo se não confessar com a boca. Dessa forma, o cristianismo seria outra forma de legalismo, onde a pessoa é salva mediante orar e falar o que lhe é mandado (v.9-10).

8.Is 28.16. O judeu não seria envergonhado se cresse na mensagem do Evangelho, assim como o gentio não foi envergonhado porque creu. Deus aceitaria o judeu, assim como aceitou o gentio (v.11-12).

9.Novamente Paulo aplica uma referência do VT para o Evangelho. Desta vez trata-se de Joel 2.32, que refere-se à invocação que os judeus farão no dia do Senhor, final da Grande Tribulação e serão socorridos pelo Messias. Mas Paulo aplica aos dias atuais, quando os judeus podem buscar o Evangelho e serem salvos (v.13).

10.Is 52.7. O contexto era que as boas novas da libertação do cativeiro deveria ser anunciada. Paulo aplica isto no sentido que Israel deve invocar Cristo Jesus para ser salva. Mas precisa ouvir falar e para isto é preciso alguém que pregue e para tal precisa ser enviado. Paulo foi um desses que preocupou-se em levar as boas novas do Evangelho para o povo judeu (v.14-15).

11.Is 53.1. Os que não ouviram foram os judeus e não os gentios. Por isso, é que não creram, pois a fé vem pelo ouvir. Ouvir refere-se a aceitar a mensagem, e não propriamente ouvir, apenas, como o versículo seguinte prova (v.16-17).

12.Sl 19.1-6. Os judeus ouviram, sim, pois Paulo proclamou esta mensagem a todo o mundo conhecido e, com certeza a todo o mundo dos judeus. Assim como o sol percorre toda a terra, Paulo anunciou o Evangelho a todos os judeus (v.18).

13.Será que Israel ficou sem ouvir a mensagem? Não, conforme já provou no versículo anterior. Mas será que a mensagem foi bem explicada? Paulo responde a esta pergunta, dizendo porque não entenderam e usa Dt 32.21. No passado provocaram ciúmes em Deus por sua rebeldia em buscar outros deuses; agora, por não quererem a mensagem de Cristo, Deus os colocará em ciúmes, dando honra a um povo que não é povo (os gentios). O contexto de Deuteronômio se limita ao fato que Deus usaria um povo para afligir Israel, mas aqui em Romanos, Deus usa um povo (os gentios crentes) para causar ciúmes em Israel, salvando este povo (v.19).

14.Is 65.1. Os gentios crentes são mais nobres que os judeus descrentes, pois estes buscaram a Deus e não encontraram, enquanto aqueles que nem estavam à procura de Deus, Este manifestou-Se a eles. O texto mostra como a apostasia de Israel não ficou oculta aos olhos de Deus, pois Este buscou outro povo para Si (v.20).

15.Is 65.2. De modo deliberado a nação de Israel se desviou do cuidado do Senhor. Deus sempre buscou Israel, mas Israel fugiu do Senhor (v.21).

Conclusão do capítulo 10
A nação de Israel recebeu a mensagem completa: da Lei de Moisés e do Evangelho de Cristo, porém, agiu com a mesma rebeldia que no passado e, assim, tornou-se apóstata. A seguir, no capítulo 11, veremos como Israel será restaurada para o Senhor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário