1 Coríntios 13


Capítulo 13: A supremacia do amor em relação aos dons

Embora este capítulo seja usado para oferecer princípios de casamento e amor entre os irmãos, o que não é de modo algum errado, devemos entender a sua interpretação primária, que é exclusivamente o parênteses entre os assuntos de dons. Desta forma, o que Paulo queria era mostrar aos coríntios que independente dos dons que possuíam ou buscavam, o amor devia reger as ações, pois se não fosse assim não se podia edificar a Igreja, mesmo possuindo todos os dons. Portanto o "capítulo do amor" refere-se aos dons espirituais e como usá-los.

1.Língua nenhuma da terra ou do céu são comparadas com a prática do amor. "O bronze que soa e o címbalo que retine" têm uma característica comum: o som desaparece logo. Os anjos têm uma língua, não fica claro aqui se era possível alguém falar esta língua entre os coríntios ou se o próprio Paulo podia falar. Alguns rabinos diziam que os anjos falavam hebraico....! O certo é que nem os anjos conversando são mais excelentes do que a prática do amor por pessoas redimidas como os crentes (v.1).


2.São mencionados três dons aqui: profecia, ciência e fé. O amor ainda é mais excelente do que estes três dons. Observe que o amor não é mencionado na lista dos dons, mas não há exercício correto dos dons se não houver amor (v.2).

3.Aqui Paulo faz alusão ao dom de socorro. Os amigos de Daniel em Dn. 3.28 estavam na fornalha por uma causa louvável: o amor a Deus. Um indiano por nome Zarmano-Chegas se apresentou na praça em Atenas e queimou-se num ato público de "amor", foi venerado por todos. Mas não passou de um ato de exibicionismo inútil, egoísmo e não amor. Este ato já foi repetido por algumas pessoas (v.3).

4.As características do amor - v.4-8a

1)Paciente (macrothumei) - É a ação de segurar os sentimentos até a paixão passar. Quando se refere a pessoas isto mostra auto-controle em não ser cruel nos julgamentos.

 2)Benigno (kresteu) - Dá-se ao serviço pelos outros.

 3)Não ciumento (dzeloo) - Não se ferve de inveja e não se aborrece com o sucesso dos outros.

 4)Não se ufana (perpereuetai) - É o orgulho. O amor se preocupa em dar-se e não em afirmar-se. Literalmente a palavra quer dizer "cheio de vento" e assim é o orgulho.

 5)Não se ensoberbece (phusioo) - Inchaço causado pelo orgulho.

 6)Não se conduz inconvenientemente (aschemonei) - Não se comporta sem boas maneiras.

 7)Não procura os seus interesses (dzetei eantes) - Dá de si mesmo pelos interesses alheios.

 8)Não se exaspera (paroksunetai) - Não se irrita e não fica nervoso.   A irritabilidade produz ressentimento que é uma forma de ódio.

9)Não se ressente do mal (logidzetai) - Não registra o mal, não pensa mal, espera o melhor e não o pior das pessoas. Não fica relembrando males antigos ou julgando as pessoas pelo que fizeram no passado. Não tem um arquivo das pessoas que um dia lhe ofenderam.

10)Não se alegra com a injustiça - Não se alegra quando alguém comete pecado. Não se alegra com a queda alheia, nem com a fraqueza dos outros.

11)Regozija-se com a verdade - Alegra-se não só COM a verdade, mas também alegra-se PERANTE a verdade.

12)Tudo sofre (stego) - A palavra "stego" quer dizer "telhado". Assim como o telhado suporta tudo e protege, o amor cobre e protege os outros.

13)Tudo crê (pisteuo) - O amor não é desconfiado. O crente não precisa ser enganado, mas também pode procurar ver o melhor nos outros.

14)Tudo espera (elpidzo) - Espera um final brilhante. É otimista sem ser cego.

15)Tudo suporta (opomeno) - Luta até o fim (Ct 8.7).

16)Jamais acaba (oude pote pipto) - Literalmente "o amor não cai em colapso). O amor não sofrerá um destino derrotado.

Obs: Devemos entender mais claramente sobre a "eternidade" do amor, visto que algumas passagens parecem mostrar o contrário. No que diz respeito à qualidade do amor de Deus a perfeição é total, mas quanto a nós isto não é verdade. Quando o objeto do amor é errado, deve-se mesmo acabar. Quando a pessoa que ama somos nós pecadores, também pode acabar. Por isso, note cuidadosamente as seguintes referências: Ap 2.4, 1 Jo 2.15, Mt 24.12. Em outras palavras "deixe de cultivar o amor e logo este acabará".

5.São mencionados três dons: o conhecimento, a profecia e línguas. Os coríntios são alertados quanto à limitação desses dons, bem como a transitoriedade deles (8b-9).

6.Os dons mencionados serão aniquilados. A palavra grega usada é "katargeo" que significa "tornar ineficaz", "colocar de lado". A pergunta é: Quando estes dons serão deixados de lado? A resposta está no versículo: "Até quando vier o que é perfeito". A palavra "perfeito" é a tradução de "teleion" que tem o sentido de "fim", "completado", "concluído". Evidentemente existem duas opiniões, por isso, que há divisões drásticas quanto ao assunto de dons espirituais (v.10):

1ª OPINIÃO - "O que é perfeito" é o cânon completo, ou seja, as Escrituras completadas, o que aconteceu ao final do período apostólico.

2ª OPINIÃO - "O que é perfeito" é a segunda vinda de Cristo, que é a perfeição completa.

Portanto, os dons são transitórios, mas quais e quando deixarão (ram) de existir? Esta é a divergência entre os "tradicionais" e os "pentecostais, carismáticos e neo-pentecostais".

Paul Regard, um tradicional, que crê que os dons transitórios já deixaram de existir,  diz que esses dons secundários acabaram por infidelidade da Igreja. Portanto, é um acréscimo à interpretação da cessação dos dons transitórios.

7.Assim como um menino amadurece, a Igreja não terá necessidade dos dons secundários para autenticar a mensagem do Evangelho, visto que na época não havia o N.T. completo e, também, que depois de 100 ou 150 anos a mensagem do Evangelho não será mais nova. Esta é a opinião do "cânon completo". Os que são da opinião da "segunda vinda de Cristo" crêem que ainda existem os dons mencionados em 1 Coríntios (v.11).

8.Por que Paulo fala que hoje (na época dele) "vemos como um espelho, obscuramente" (em enigma conforme o original)? A razão é que a cidade de Corinto produzia os melhores espelhos, mas ainda assim eram imperfeitos, via-se o reflexo de forma obscura, pois eram feitos de metal polido e não com as tintas especiais que temos atualmente (v.12).

9.Enquanto os dons são temporários, essas três realidades são permanentes. A fé e a esperança fortificam o amor. Godet disse: "A fé se transformará em visão, a esperança se transformará em posse, mas o amor continuará no céu" (v.13).

Nenhum comentário:

Postar um comentário