Isaías 66

Capítulo 66: O nascimento de uma nação perfeita

1.Uma nação imperfeita (v.1-6)
2.O nascimento de uma nação perfeita (v.7-9)
3.A eternidade da nação perfeita (v.10-24)

1.Não existe uma nação perfeita. Todos os governantes e governados são pecadores e egoístas. Mas, Deus sempre planejou que a nação de Israel fosse a nação perfeita. Israel se tornou ritualista pensando que um Templo fosse suficiente para Deus se sentir em casa com o povo. O desejo de Deus é um povo pobre de espírito, ou seja, humilde. No entanto, o povo descansou em seus sacrifícios de animais como um ritual aceito por Deus. Porém, o Senhor abomina até os atos religiosos para Ele, pois são feitos por pessoas hipócritas que dão mais valor à forma do que à piedade. Assim como o pecador escolheu o seu próprio caminho, Deus escolheu o juízo sobre o pecador. Os piedosos verão o castigo de Deus sobre os pecadores. É claro que também sofreriam com o povo o cativeiro, mas a diferença é que entenderiam os planos de Deus e, por isso, aguardariam a Sua salvação (v.1-6).


2.Deus voltará às promessas feitas a Abraão, Isaque e Jacó. O Senhor levantará a nação como sempre quis. Será mais rápido do que um parto. A nação de Israel nascerá num só dia, ou seja, na segunda vinda de Cristo para julgar a terra e estabelecer o Seu reino. Alguns escatologistas fervorosos acham que isso aconteceu no dia 14 de maio de 1948 quando Israel recebe de volta seu país depois de 1878 anos. Temos problemas em afirmar que a profecia de Isaías se refere a esse acontecimento histórico. O texto diz claramente que será o nascimento da nação como Deus quer, ou seja, com a restauração de uma nação que amará o Senhor o qual reinará em Jerusalém. Vemos uma nação fragmentada, atualmente, sem ao menos ter Jerusalém como sua capital, sem Templo e sem o Messias regendo as nações com vara de ferro. Portanto, cremos que o nascimento dessa nação ou a conversão de Israel se dará com a segunda vinda de Cristo (v.7-9).

3.Na última parte do capítulo que também é a última parte do livro, aprendemos sobre a alegria que tal reino provocará em Israel e em todos os que amam a vinda do Messias. A seguir um quadro com os fatos do reino messiânico.

1)      Alegria depois do parto (v.10)
2)      Consolo no seio da mesma mãe, a gloriosa Israel (v.11)
3)      Paz e glória sobre as nações (v.12-13)
4)      Alegria pela presença do Messias que revigora os justos e castiga os inimigos (v.14)
5)      Fogo, ira e espada do Senhor em Sua Vinda (v.15-16)
6)      Fim da idolatria (v.17)
7)      Todas as nações se submeterão ao Messias (v.18)
8)      Proclamação mundial da glória de Deus (v.19)
9)      Os judeus em Jerusalém como oferta ao Senhor (v.20)
10)   Continuação do ofício de sacerdotes e levitas (v.21)
11)   Todos terão que adorar ao Senhor nas festas israelitas (v.22-23)
12)   Perdição eterna para os rebeldes (v.24)


4 comentários:

  1. Gostei. Muito produtiva essa dissertação. Simples, objetiva e edificante. Sidney - Guarulhos - São Paulo

    ResponderExcluir
  2. Deus abençoe sua vida e toda sua família, Sidney. Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Muito boa explicação, muito obrigado. Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  4. Uma grande benção este estudo, Deus o abençõe.

    ResponderExcluir