Jeremias 18-20

Capítulo 18: O vaso do oleiro
Jeremias recebe mais uma lição ilustrada de Deus. A nação de Judá não pode contender contra Deus, pois Ele é o oleiro que molda o barro como desejar. Dessa vez, Ele quer formar um plano de disciplina sobre a nação. Não entendemos os planos de Deus ou o que Ele está formando. Mesmo que seja por causa do pecado, os planos disciplinares de Deus sempre terão bom resultado. Se aquela geração é um empecilho para os novos conhecerem ao Senhor, Ele pode perfeitamente moldar um plano de destruição da
geração, mas ao mesmo tempo não consumi-los a ponto de impedirem o crescimento de seus filhos. Imaginemos que uma instituição seja um problema para a nova geração. Deus pode disciplinar e até acabar com aquela instituição aos poucos, mas preservá-la o suficiente para ver uma nova geração se formando a partir daquela instituição falida. Parece que é o que acontece com Judá. Jeremias passa a orar de modo diferente pelos inimigos. Por causa da dureza do coração, ele pede a Deus a Sua vingança. Não nos parece que temos essa permissão no Novo Testamento.

Capítulo 19: A botija quebrada
A nação de Judá precisa ser quebrada, pois não tem sido um recipiente de bênçãos. Um vaso quebrado enquanto barro pode ser remodelado, mas uma vez formado, ao quebrar-se precisa ser enterrado. Vira entulho. A geração atual, a do cativeiro, será enterrada para dar lugar a uma nova massa de barro. O motivo da rejeição de Deus por Judá é a repetição dos pecados de Israel. A idolatria e até mesmo o sacrifício de bebês em favor de Baal. O povo profanou a terra de Deus.

Capítulo 20: Os sofrimentos do profeta Jeremias
A mensagem do profeta custou-lhe um alto preço. O sacerdote não suportou as palavras de denúncia e condenação. Jeremias foi espancado e colocado no tronco. Além do sofrimento físico, Jeremias suportou o peso e a vergonha por causa da mensagem. Jesus também suportou o peso da cruz por causa da mensagem de Sua divindade. Jeremias entra em desespero e, à semelhança de Jó, Moisés, Jonas, Elias e talvez outros servos de Deus, pensa que a morte seria melhor do que aquele peso. Ninguém disse que o ministério seria fácil, porém, quando a realidade da decepção bate no coração do servo, a desistência é o sentimento natural. No entanto, nenhum mensageiro de Deus ficará sem consolo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário