Jeremias 21-22

Capítulo 21:  O cerco da Babilônia
O Pasur deste capítulo não é o mesmo do capítulo anterior. O desespero por causa do cerco fez com que a nação, por intermédio do rei Zedequias, buscasse o profeta Jeremias para saber porque estavam sofrendo tanto. Esperavam que o Senhor agisse como no passado quando libertou a nação do Egito. No entanto, Jeremias disse que o ruim não era o pior, ou seja, se a nação se render à Babilônia seria salva. Podia ser ruim, mas resistir seria pior. Não devemos resistir à disciplina do Senhor, pois em se render à sua mão disciplinadora há misericórdia.

Capítulo 22: A vergonha dos reis
Os reis foram os responsáveis pelo declínio de Israel e Judá, juntamente com os sacerdotes e príncipes.
Josias morreu em batalha e, por isso, não foi uma vergonha. Não deviam chorar o morto Josias, mas deviam chorar por si mesmos. Jesus disse àquelas mulheres para não chorarem por Ele, mas deviam chorar por seus filhos. Se fizeram aquilo com o lenho verde, o que fariam com o lenho verde? Temos a tendência de chorar por muitas coisas menos pelos nossos pecados. Salum que era o rei Jeoacaz foi uma vergonha e por esse deviam chorar, pois ele morreria fora da terra, em cativeiro. Jeoaquim também foi uma vergonha por causa da ostentação em construir lindas casas, mas não pagava aos trabalhadores. Jeconias ou Jeoaquim também foi uma vergonha, pois ouviu sua mãe, Zebida. Nem todas as mães são bênção. A mulher sábia edifica o lar, mas a tola com as próprias mãos o derruba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário