Jeremias 23-28


Capítulo 23: Maus pastores e falsos profetas
Assim como nos dias de Jeremias, hoje também existem maus pastores. Pedro, no capítulo 5, fala da conduta que devem ter os pastores e a recompensa que terão do Supremo Pastor, Jesus Cristo. Há uma promessa das ovelhas de Israel voltarem ao aprisco. Isso acontecerá no estabelecimento do reino messiânico. O verdadeiro pastor é o Renovo de Davi, Jesus, o Messias. Um renovo sugere um corte. A nação já foi cortada e o broto já surgiu que é Jesus de Nazaré. Lembrando que Nazaré (netzer) significa renovo. Os falsos profetas são adúlteros. Podemos entender adultério nos dois sentidos, espiritual e também carnal. Além disso, os falsos profetas são mentirosos, pois profetizam paz sem arrependimento. Atualmente, observamos que há falsos profetas que prometem salvação sem cruz. A mensagem do evangelho se diluiu a ponto de considerarem apenas benefícios materiais como salvação, sem qualquer menção de pecado e responsabilidade pessoal. Portanto, vivemos em época de maus pastores e falsos profetas.

Capítulo 24: Os dois cestos de figos
Essa parábola é fácil de entender. Há figos bons e figos ruins. Os figos bons são aqueles judeus que aceitaram o jugo dos babilônios e foram levados para o cativeiro. Os figos ruins são aqueles que resistiram ao cativeiro e fugiram. Esses sofrerão mais, pois serão perseguidos e mortos ou morrerão de fome ou doenças. Não vale a pena resistir à disciplina do Senhor. A repreensão do Senhor vem para o bem, mas nunca há a promessa que não doi. No entanto, o consolo do Senhor jamais abandona aquele que sofre, mas se coloca em Suas mãos.

Capítulo 25: Setenta anos de cativeiro
Desde o início do ministério de Jeremias, o povo recebeu advertência a respeito do cativeiro. A nação nunca quis atentar às palavras do Senhor. Foram 23 anos de pregação dura sem ouvintes arrependidos. Deus não deixará de castigar a Babilônia, mas essa é outra parte da história. O crente não deve se preocupar com as injustiças, mas aprender delas se não há algo para ser corrigido na própria vida. É como Jesus falou com Pedro a respeito de João. Não é da conta de Pedro se Deus quiser manter João vivo até a vinda de Jesus. Cada um deve cumprir sua parte na obediência ao Senhor. Ele cuidará dos demais crentes e dos incrédulos, daqueles que nos fizeram bem ou nos prejudicaram. Jeremias também destaca neste capítulo uns 20 povos que receberão ou já receberam o castigo de Deus. Portanto, o controle absoluto da história da humanidade está nas mãos de Deus. Nós estudamos História, Deus controla a História de acordo com Sua vontade e também considerando as atitudes dos povos em relação ao Governo Humano e seu relacionamento ou falta de relacionamento com Ele.

Capítulo 26: Jeremias e Urias
Dois profetas do Senhor, mas com destinos diferentes. Jeremias pregou uma mensagem de condenação. Os ouvintes, poderosos na nação, não aceitaram bem as palavras proféticas. Prenderam o profeta, mas finalmente o soltaram, pois não tinha como contestar a mensagem. Deram exemplo de profetas que advertiram e se mostraram ser do Senhor. Havia ainda algum medo da pesada mão de Deus. O outro profeta, Urias, não teve a mesma sorte ou destino de Jeremias, pois foi preso e não teve a mesma proteção, por isso, foi morto. Jamais podemos julgar que Jeremias foi mais fiel e, por isso, não foi morto. Deus não está colocando mártires no mundo para fazermos apostas sobre quem viverá e quem morrerá. Os planos eternos do Senhor nem sempre são revelados a nós. Devemos aceitar a Sua vontade que é perfeita. Na eternidade com Ele certamente descobriremos muitas razões para Ele ter agido como agiu. Hoje nos basta saber que Ele sabe o que é melhor.

Capítulo 27: Canzis e jugos
Deus está fazendo a limpa entre os povos. As nações vizinhas de Israel e Judá foram destruídas pela
Babilônia e outros povos. A vez de Judá chegaria. Até lá, a oportunidade de arrependimento é muito grande. O melhor é se render. A resistência e aliança só se resultarão em mais vergonha e fracasso. Os canzis eram “coleiras” de prisioneiros. Primeiro Jeremias fez de madeira como símbolo do cativeiro, mas quebraram como forma de protesto contra a mensagem do profeta. Depois ele fez canzis e jugos de ferro, indicando que ninguém é poderoso para resistir ao jugo de Deus sobre as nações e sobre Judá. Mais sobre Jeremias 27 clique aqui

Capítulo 28: Jeremias e o falso profeta Hananias
Hananias profetizou mentira. Em tempos de aflição, as pessoas querem ouvir algo que lhes dê esperança. A mensagem de paz é muito mais popular do que a mensagem de chamada à responsabilidade pessoal e consequências por causa do pecado. Deus capacitou Jeremias para discernir os ensinos errados. Temos a mesma capacidade dada pelo Espírito Santo. João diz que temos que discernir os espíritos. Isso nada tem a ver com a suposta capacidade de saber quem está endemoninhado, mas, antes, é uma ordem para ouvirmos os ensinos e discernirmos se são bíblicos e doutrinariamente saudáveis ou se são reprovados pela sã doutrina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário