Jeremias 29


Capítulo 29: A carta de Jeremias aos cativos da Babilônia
1.O livro de Jeremias não segue necessariamente uma ordem cronológica, por isso, já encontramos o povo no cativeiro. Jeremias escreve uma carta aos cativos para animá-los a se adaptarem a um novo estilo de vida. Aquilo que vemos como o fim pode ser o começo para uma vida perto de Deus. O conselho de Jeremias é que vivessem uma vida normal, plantando, casando-se e se multiplicando. Às vezes pensamos em acorrentados pelo pescoço e vivendo uma vida miserável. Não era um campo de concentração nazista. Era o refúgio de Deus para o povo. A nossa disciplina pode ser o nosso refúgio e descanso. Talvez líderes desqualificados ou disciplinados aprendem em seu novo estilo de vida uma nova maneira de encarar a vida. Alguns passam a escrever ou a tomar novos rumos para sua vida devocional. Aquilo que não podiam por causa da sufocante agenda de atividades passa a ser possível no “cativeiro”. Os cativos de Judá deveriam orar pela paz da cidade onde estavam habitando agora. Os falsos profetas queriam arrastá-los de volta, mas deveriam se acomodar na Babilônia, pois a bênção do Senhor seria ali agora. Os pensamentos do Senhor eram de paz. O tempo seria de setenta anos.
As dores do recomeço (Jr 29.5-14)
1.Edificar novamente o que foi destruído (v.5)
2.Desenvolver novos sentimentos e afetividade (v.6)
3.Interessar-se por novas amizades (v.7)
4.Diferenciar a realidade da utopia (v.8-9)
5.Calcular que o recomeço pode ser permanente e não temporário (v.10)
6.Conformar-se com os pensamentos de Deus para a nova realidade (v.11)
7.Reaprender a buscar ao Senhor em oração (v.12-14)


2.A lição marcante deste capítulo talvez seja a de ser bênção nos cativeiros nos quais Deus nos coloca. Vários personagens bíblicos se encontraram fora de suas atividades normais, mas foi quando Deus mostrou algum aspecto de Si mesmo que Eles não estavam prestando atenção ou que precisavam sentir o Seu amor mais íntimo.

·         O rei Davi depois de ser confrontado com seu pecado (Sl 32 e 51).
·         Jonas no ventre do grande peixe (Jn 2).
·         Elias junto ao ribeiro de Querite (1 Rs 17).
·         O apóstolo João na ilha de Patmos (Ap 1.9).
·         A filha de Jefté, nos montes, chorando a virgindade (Jz 11.37-40).
·         Agar no deserto abandonando o filho, Ismael, debaixo de um arbusto (Gn 21.15-16).
·         Moisés pastoreando no deserto de Midiã (Êx 3).
·         José vendido como escravo para o Egito (Gn 37 em diante).
·         Paulo escrevendo cartas na prisão.
·         José e Maria fugindo para o Egito com o menino Jesus (Mt 2.13-15).

3.Irmãos em Cristo dos nossos dias também já experimentaram cativeiros os quais mudaram sua vida.

·         Watchman Nee, um chinês, preso por causa do evangelho. Escreveu muitos livros inspiradores.
·         Jimmy Swaggart, pregador contra o pecado, caiu em imoralidade. Arrependeu-se e atualmente prega sem grandes auditórios.
·         Phillip Yancey, preso por duas semanas numa cabana por causa da neve, leu a Bíblia de capa a capa, como cita no livro “Decepcionado com Deus”. Isso mudou sua vida.
·         John Wesley pregava em média 3 vezes por dia. Depois de velho, quase cego e paralítico, continuava pregando.
·         Dr. David Martin Lloyd-Jones, depois de luta interior, por ver pessoas com problemas emocionais em seus consultórios, deixou a medicina e se tornou pregador. Depois de doente e velho passou seus sermões para livros.
·         Charles Finney ensinava aos estudantes que deviam buscar uma vida santa mais do que o preparo acadêmico.

4.Cada crente também pode enfrentar momentos de cativeiro em sua própria vida.

·         Quando a doença chega.
·         Quando o dinheiro acaba.
·         Quando os recursos intelectuais não satisfazem.
·         Quando a velhice chega.
·         Quando a disciplina ou pecado nos afasta do ministério.
·         Quando os filhos nos desqualificam para a obra.
·         Quando a perseguição nos expulsa de algum ministério.
·         Quando as portas das oportunidades se fecham.
·         Quando as pessoas não nos aceitam.
·         Quando temos que mudar de cidade e nos despedir de nosso círculo de amigos.

5.Sejam quais forem as condições em que estivermos, façamos o melhor para a glória do Senhor. Ele jamais nos abandonará.

3 comentários:

  1. a humanidade esta precisando de tais mensagens, para ver que ha um caminho, ha uma esperança.
    obrigado

    ResponderExcluir
  2. É, TEM QUE SER ASSIM MESMO.QUE JESUS CONTINUE TE USANDO, PARA GLÓRIA DE DEUS.

    ResponderExcluir