Jeremias 37

Capítulo 37: Jeremias é preso
1.Jeremias não foi atendido, mas isso ele já sabia desde o seu chamado. A rebeldia dos reis, príncipes e profetas não anulava o ministério de Jeremias, mas apenas o confirmava. Mesmo não prestando atenção às palavras de Jeremias, o rei Zedequias não dispensava as suas orações. É como alguns incrédulos que não se entregam ao Senhor Jesus, o Salvador, mas querem as bênçãos das orações dos crentes. Jeremias, agora, devia profetizar que o Egito que protegeu Judá contra a Babilônia voltaria para sua terra e os caldeus voltariam a sitiar e atacar Jerusalém (v.1-10).

2.O profeta foi acusado de fugir com os caldeus. Ele negou, mas não acreditaram e o prenderam, depois de baterem nele. Jeremias teve a oportunidade de se defender diante do rei Zedequias. O profeta
Jeremias suplicou por sua vida. O rei Zedequias teve alguma compaixão, pois o manteve no pátio da guarda e o alimentava. Ficou não mais no calabouço. Saiu da penitenciária e ficou numa delegacia (v.11-21).

3.Analisando essa prisão de Jeremias e tudo o que estava envolvido, aprendemos algumas lições.

1) Jeremias estava destinado a não ser ouvido (v.2).
2) Pessoas não descartam orações a seu favor, mesmo que não querem seguir a Jesus (v.3).
3) Os caldeus não invadiram Jerusalém da primeira vez porque o Egito a protegeu (v.5).
4) Os caldeus voltariam pela segunda vez e destruiriam Jerusalém (v.8).
5) A vida de Jeremias continuava igual em seu dia a dia (v.12).
6) Jeremias foi caluniado, preso e maltratado (v.13-16).
7) Jeremias nunca retrocedeu na palavra que Deus mandou anunciar (v.17).
8) Jeremias suplicou por sua vida (v.18-20).
9) O rei Zedequias mostrou compaixão para com Jeremias, mesmo não aceitando suas palavras (v.21).

Nenhum comentário:

Postar um comentário