Jeremias 44

Capítulo 44: Palavras contra os que foram para o Egito
1.Jeremias lembra o povo que está no Egito que a sua terra ficou desolada por causa do pecado da idolatria. Jeremias também lembra quantas vezes o Senhor os advertiu, mas não quiseram ouvi-Lo. A situação só piorava por decidirem sair de Judá e ir para o Egito. O povo está transferindo o pecado de idolatria de Judá para o Egito. Não houve arrependimento antes e não está havendo agora. Por causa da desobediência persistente e, agora, em outro país, Deus resolve castigá-los lá mesmo no Egito. Somente alguns fugitivos conseguirão escapar da fome e da espada (v.1-14).


2.As mulheres é quem queimavam incenso para os deuses do Egito, mas os homens concordavam com elas e todos confrontaram o profeta Jeremias. O povo todo resolve não obedecer às palavras do profeta. Eles entenderam o recado, mas decidiram ignorar. O argumento que usam é que desde Judá, quando sacrificavam aos ídolos, a vida deles ia bem e tinham prosperidade. Ninguém via nada de errado, pois tudo estava dando certo. É o pragmatismo que coloca os resultados antes da vontade de Deus. Outro argumento que usavam para justificar sua idolatria era que as mulheres não estavam fazendo uma imagem da Rainha dos Céus. Estavam apenas fazendo bolos, mas não no formato da deusa! E, por último, o argumento da permissão e da companhia dos maridos. As mulheres não estavam escondendo nada e, além disso, os maridos participavam da adoração (v.15-19).

3.Jeremias contra-ataca os argumentos dizendo que Deus sabia que eles estavam em idolatria em Jerusalém e toda a Judá, por isso, que as cidades ficaram desertas e destruídas. Aliás, eles estavam no Egito justamente por isso. Não quiseram experimentar a disciplina do Senhor. O povo de Judá está sendo fiel aos votos feitos aos ídolos, por isso, Deus não deixará mais que o nome Dele seja pronunciado entre eles. Ele cuidará que o castigo venha sobre todos, exceto alguns que fugirão para onde Deus quer, ou seja, para Judá, de onde nunca deveriam ter saído ou se saíssem deveria ser para a Babilônia. Assim como Deus fez com o rei Zedequias, fará com o rei do Egito, o Faráo-Hofra e o entregará a Nabucodonozor, rei da Babilônia (v.20-30).

4.Não vale a pena desobedecer a Deus.
·         Quem é sempre advertido e não ouve, Deus pode repreendê-lo duramente.
·         Não adianta mudar de cidade, emprego, igreja, etc, pois se não acertarmos nossos erros, estes nos acompanharão.
·         Pular uma confissão, só acumula nossos pecados, pois nada garante que confessaremos os “novos pecados”.
·         Os homens devem persuadir suas esposas e filhas a andarem nos caminhos do Senhor. Eles são responsáveis como sacerdotes do lar.
·         As mulheres devem ser piedosas diante de Deus e não criar artifícios de idolatria.
·         Não se engane por causa da prosperidade. Se está em desobediência, a situação é ruim, não importa se a saúde vai bem, a dispensa está cheia e a conta bancária esteja no azul.
·         Também não importa se a família está unida. Se a união é em torno do pecado, toda a família precisa se arrepender e mudar de atitude diante de Deus. Nem mesmo importa se a igreja e outros crentes não condenam e não veem o pecado. Toda a desobediência é contra Deus e precisa ser corrigida. 
-     Fugir da disciplina de Deus só carrega o tratamento para frente e nem sempre se torna mais fácil. 
-      Quase sempre a situação piora quando deixamos de confessar logo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário