Jeremias 47

Capítulo 47-49: Profecias contra os filisteus, moabitas, amonitas, edomitas, damascenos, arábios e elamitas
Há pontos comuns nos castigos contra essas nações. Deus pronunciou as sentenças antes que elas acontecessem. Isso dá autoridade às profecias bíblicas.

Capítulo 47: Profecia contra os filisteus
1.Faraó, em algum momento, feriu os filisteus. Os babilônios, as torrentes do norte, também inundaram os filisteus. Clamor. A falta de clamor em tempo de paz fará com que os povos clamem quando estiverem em dificuldade. Temos a oportunidade de clamar ao Senhor em todas as situações de nossa vida. Deus nos atende. Fraqueza. A maior fraqueza de um pai é quando ele não consegue socorrer seu filho. Nenhum de nós tem condições de socorrer ninguém, mas em tempos de paz podemos clamar que o Senhor os socorra. Autoflagelo. A tensão e o desespero fazem pessoas roerem unha e arrancarem cabelos e até se autoflagelarem. Deus quer nos dar, em tempos de paz, a tranquilidade para os dias difíceis. Espada.
Deus demora em desembainhar a espada porque Ele quer dar chance ao pecador para se arrepender, mas quando Ele usa a espada o julgamento é certeiro e pode causar dores fortes. Os filisteus foram atacados pelo Egito. Eles receberam a justa condenação por tantas vezes invadirem e desafiarem Israel (v.1-7).

2.Não somos castigados pelo Senhor, pois já estamos livres da maldição e juízo. Os castigos dos filisteus nos lembram de outro tratamento de Deus em nossa vida.

1) Clamor. São muitas vezes que clamamos ao Senhor. O povo de Israel clamou (Nm 20.6).
2) Fraqueza. Muitas vezes somos fracos e não conseguimos socorrer nossas mais gritantes necessidades (2 Co 12.10).
3) Autoflagelo. Nós não nos autoflagelamos, mas subjugamo-nos para a disciplina espiritual (1 Co 9.27).
4) Espada. A espada do Senhor para o crente não é punição, mas uma arma de ataque contra os falsos ensinos (Ef 6.17).

Nenhum comentário:

Postar um comentário