Lamentações 2

Capítulo 2: Razão para a ira de Deus
1.A razão da ira de Deus não é outra, senão a infidelidade de Judá. Deus tinha um alto investimento sobre a nação, por isso, em termos humanos ou na linguagem que podemos entender, é como se Deus também estivesse perdendo com a queda de Jerusalém. Há perdas para Deus também como se vê nos termos usados. É claro que Deus é soberano e de nada tem falta ou prejuízo, mas apenas como termos humanos para se comparar o prejuízo espiritual da nação (v.1-10).

A ira de Deus é também humilhação para Ele próprio
1.As nuvens encobrem a cidade  de Deus que deveria aparecer a todo o mundo (v.1).
2.A glória de Deus cai quando deveria ser um farol alto a todas as nações (v.1).
3.O descanso na terra para os pés de Deus deixa de existir com a destruição de Jerusalém (v.1).

4.As promessas de Deus para Jacó são comprometidas com a Sua própria ira (v.2).
5.As proteções da cidade de Deus, Jerusalém, para que os inimigos não a saqueiem, são derrubadas (v.2).
6.O reino de Deus na terra é profanado, juntamente com os príncipes (v.2).
7.A força de Deus na terra é cortada com a queda de Jerusalém (v.3).
8.As vitórias de Deus sobre os inimigos se transformam em derrotas (v.3).
9.A obra de Deus para a descendência de Israel é queimada (v.3).
10.A beleza de Deus na terra é alvejada com o arco do próprio Deus (v.4).
11.O tabernáculo de Deus na terra é queimado (v.4).
12.A nação de Deus é devorada por Ele mesmo (v.5).
13.A filha de Deus, Judá, cai em pranto e lamento (v.5).
14.O tabernáculo de Deus é demolido (v.6).
15.O lugar de reunião de Deus com o Seu povo é destruído (v.6).
16.As festas de Deus são esquecidas (v.6).
17.O altar e o santuário de Deus são rejeitados (v.7).
18.Os muros da cidade de Deus são em parte derrubados e em parte enfraquecidos (v.7-8).
19.As portas da cidade de Deus são derrubadas (v.9).
20.A lei de Deus não vigora mais na Sua cidade (v.9).
21.Os profetas de Deus não recebem mais visão (v.9).
22.Os juízes de Deus não decidem mais nada (v.10).
23.As moças da cidade de Deus estão humilhadas (v.10).

2.O profeta que lamenta (Jeremias) consegue ver além da destruição dos muros e da cidade, a queda dos príncipes e a falência dos profetas. Ele consegue ver os sentimentos mais internos das pessoas e, por isso, sofre também com a queda de Jerusalém debaixo da ira de Deus (v.11-17).

Os sentimentos mais internos do profeta e do povo por causa da queda de Jerusalém
1.Lágrimas, tristeza de alma e angústia em ver o sofrimento das crianças (v.11).
2.Angústia por ver mães não podendo alimentar seus filhos que morrem em seus braços (v.12).
3.Falta de consolo por causa da calamidade e falta de socorro (v.13).
4.Angústia em ver o povo enganado por falsos profetas e agora sofrendo o cativeiro por darem ouvidos a eles (v.14).
5.Vergonha em ver os inimigos vizinhos zombando da tragédia ocorrida sobre Jerusalém (v.15-17).

3.Vimos o sofrimento de Deus com a queda de Jerusalém, a tristeza do profeta e, por fim, o clamor da cidade (v.18-22).

O clamor da cidade por causa da ira de Deus e a queda de Jerusalém
1.Um clamor do fundo do coração, com choro e incessantemente (v.18).
2.Um clamor pela vida dos filhos que estão morrendo de fome (v.19-20).
3.Um clamor pelos jovens, moços, moças e velhos (v.21).
4.Um clamor por si mesmo (v.22)

2 comentários: