Gênesis 13



Capítulo 13: A separação entre Abrão e Ló
1.A separação entre Abrão e Ló se deu por causa da contenda entre os pastores do rebanho deles. A falta de pasto para ambos os rebanhos foi a causa da separação. As atitudes envolvidas nessa separação são desconhecidas, mas como todos os homens são pecadores, não é difícil deduzir que um não queria ceder espaço ao outro e, provavelmente, houve invasão dos limites e reclamação por causa disso. Abrão já era rico, mas aumentou sua riqueza ao voltar do Egito. Mesmo sendo rico, Abrão não se sentia autossuficiente, pois onde edificou altar para adoração retornou ali para adorar novamente. Ló também se enriqueceu. Os empregados deles é quem brigaram, por isso, Abrão tomou a iniciativa, para o bem da paz, de propor uma separação. A gentileza de Abrão é vista no fato dele dar a prioridade da escolha para Ló. Este, não retribuiu a gentileza, mas escolheu o lugar mais verdejante. Ló foi parar em Sodoma, um lugar de pessoas perversas, pois a Bíblia diz que eram
“maus e grandes pecadores”. Abrão que deu a preferência a Ló foi recompensado por Deus que prometeu que Abrão seria o proprietário de toda a terra circunvizinha. Depois de andar pela terra prometida, Abrão novamente edificou um altar ao Senhor (v.1-18).

Nesta notável comunicação, Ló e Abrão são colocados em contraste direto. O pecador fraco, egoísta e ganancioso escolheu para si aquilo que considerou demais valor. Jeová escolheu para Abrão. Como recompensa por seu altruísmo raro, o patriarca recebeu a terra de Canaã. Deus lhe deu o título de propriedade da terra e convidou-o a abrir bem os olhos e apreciar os tesouros que se estendiam diante dele em todas as direções.[1]


[1] Comentário Bíblico Moody – Gênesis pg. 44-45 (Editado por Charles F. Pfeiffer – Imprensa Batista Regular 4ª impressão 2001)

Nenhum comentário:

Postar um comentário