Gênesis 17



Capítulo 17: Os novos nomes de Abrão e Sarai
1.É curioso que a advertência de Deus para Abrão é para ser íntegro ou perfeito, exatamente o que ele e a esposa não foram por causa da precipitação. O Senhor foi paciente com Abrão. Ele reafirma o concerto de torná-lo pai de nações. O nome de Abrão ganha uma letra hebraica que significa “numeroso” e, assim, o nome transliterado para o português fica Abraão. Antes o significado era “pai exaltado” (Abrão) e agora é “pai de uma multidão” (Abraão). Nosso Deus é tão gracioso que além de não nos descartar, ele nos dá maior responsabilidade em sua obra. Abraão ouviu isso prostrado em sinal de humilhação diante do Senhor. Talvez Abraão estivesse até envergonhado tamanha a graça do Senhor (v.1-8).
2.Deus confirma tudo o que Ele já havia prometido. Para os descendentes de Abraão haveria um sinal físico como símbolo de que as famílias estavam confiando no Senhor. O símbolo era a circuncisão em todos os meninos nascidos nas famílias descendentes de Abraão e até os escravos nascidos na casa de Abrão e os escravos comprados (v.9-14).

“1946: descobriu-se que circuncisão controla câncer cervical. Depois, que, até o 5º dia de vida, a criança não produz vitamina K,  e a circuncisão traria perigosa hemorragia. Do 7º dia em diante a produção de vitamina K normaliza-se. No 8º dia, o nível de protombina alcança o máximo de toda a vida. O dia ideal.”[1]

“O câncer de colo do útero é ainda encontrado em índices vergonhosamente altos no Brasil e em outros países do mundo, nos quais a circuncisão não é procedimento comum. Uma pesquisa com 1931 com casais mostrou que mulheres monogâmicas casadas com homens circuncidados também monogâmicos, apresentavam redução de mais de 50% dos casos de câncer de colo.”[2]


3.Deus também mudou o nome de Sarai (minha princesa) para Sara (princesa). Abraão se prostrou, mas riu-se. É possível ter uma atitude humilde na aparência, mas no coração não crer. Alguns defendem Abraão dizendo que o riso era de louvor. Abraão achava mais fácil Deus ter algum plano através de Ismael que já tinha 13 anos do que com um filho que ainda não nascera. De fato, Deus tinha planos para Ismael, mas isto não substituiria os planos através de Isaque, o filho que nasceria a Sara e Abraão. Ele obedeceu a Deus e todos os homens, inclusive Ismael e ele próprio foram circuncidados. O estrangeiro não influenciava Abraão e sim Abraão influenciava o estrangeiro (v.15-22).

[1] Bibliologia, Hélio Menezes Silva, Setembro/97 http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-InspiracApologetCriacionis/Bibliologia-EsbocoCurso-Helio.htm

[2] De volta à circuncisão – Dr. Drauzio Varella http://drauziovarella.com.br/sexualidade/aids/de-volta-a-circuncisao/

Nenhum comentário:

Postar um comentário