Oseias 5

Capítulo 5: A religiosidade inútil
1.Novamente os líderes recebem a maior carga da disciplina de Deus. Oseias menciona os dois grandes montes de Israel Mizpa e Tabor, indicando que debaixo deles tudo é pecado. A corrupção tem graus e os líderes chegaram ao máximo. Por mais fundo que seja o poço de pecado de Israel, Deus os alcançará. A prostituição, seja sexual ou religiosa, deixa o pecador muito dependente e sem chance se sair. Junta-se isso à falta de conhecimento e intimidade com Deus, a situação do pecador é desesperadora. Somente a graça pode alcançá-Lo e sempre é assim, somente a graça é que pode transformar o pecador. Até Judá entrou nessa fila de pecado e, por isso, Oseias prenuncia a queda de Judá também (v.1-5).

2.Não adianta a abundância de sacrifícios, pois isso é apenas religiosidade, no caso de Israel. Os rituais religiosos encobrem muito do coração do pecador. É possível fazer tudo liturgicamente
correto, mas ser um adúltero, imoral, beberrão, desonesto e outros pecados ocultos. O toque da trombeta aqui é de juízo. A remoção de marcos era um roubo muito covarde, pois diminuía a propriedade do próximo trazendo-a para perto do ladrão. Assim o pecador está fazendo, trazendo para si próprio o tempo de Deus, o dinheiro de Deus, os filhos que são do Senhor, a energia que deveria ser gasta para Ele (v.6-10).


“Mesmo que chegassem até o Senhor com rebanhos inteiros para sacrificar, Deus não iria ao encontro deles, pois havia se afastado de seu povo. Rejeitou seus filhos ilegítimos, e suas festas mensais logo se tornariam funerais.”[1]


[1] Comentário Bíblico Expositivo do VT Proféticos, pg. 398 Oseias 5.1-7 – Warren W. Wiersbe (Editora Geográfica – 1ª edição 2006)


3.Israel andava na vaidade e isso lhe fazia bem, mas não sabia que estava amontoando sobre a própria cabeça o juízo de Deus. A disciplina de Deus para Israel estava tendo efeito corrosivo como a traça. Em vez de buscar ao Senhor arrependendo-se dos pecados, Israel preferiu buscar o rei da Assíria. Nós procuramos consolo de nossas lutas em outros recursos que não são o Senhor, o resultado é escravidão. Judá também receberá o furor de Deus. No entanto, Deus não se esqueceu de Israel e Judá, mas esteve aguardando o arrependimento para poder curá-los (v.11-15).

Nenhum comentário:

Postar um comentário