Gênesis 26


Capítulo 26: Isaque foi alvo de muita inveja
1.Um incidente muito semelhante ao de Abraão anos antes. O rei Abimeleque deve ser filho do antigo rei com o mesmo nome. Era um nome comum para os reis filisteus ou era um título que usavam para os reis. Deus não queria que Isaque fosse para o Egito, pois estava estabelecendo Canaã como território para a nação que estava se iniciando. Seria bom que os patriarcas criassem raízes naquela terra. Os descendentes de Abraão precisavam andar na mesma confiança que ele. É muito fácil a segunda ou terceira geração trair a fé dos antepassados (v.1-6).

2.Isaque mentiu para o rei assim como o pai dele fizera duas vezes no passado na mesma situação.
Isaque também não confiou no Senhor no momento de perigo. Ele nem tinha como justificar, pois Rebeca não era meia-irmã dele, era prima. Tanto Sara como a nora, Rebeca, eram muito bonitas. O rei viu Isaque acariciar Rebeca. É uma prática que os casais atualmente deveriam imitar, pois muitos casais já não têm demonstração de carinho. Abimeleque sabia do perigo de maldição que seria se alguém se apaixonasse ou tentasse algum relacionamento com a esposa de Isaque. Talvez já tivesse sido advertido pelo pai. A história de Abraão jamais seria esquecida entre os filisteus e como foram livrados de uma praga (v.7-11).

3.Semelhante ao pai dele, Isaque prosperou. Já era rico por causa da herança de Abraão, mas agora se tornou riquíssimo porque o Senhor o abençoava como abençoou o pai. Porém, o sucesso de um é a inveja do outro. Isaque não seria bem querido ali enquanto os invejosos estivessem por perto. Começaram a entulhar os poços que Abraão cavara no passado. Naquela região, um poço é um bem preciosíssimo. A inveja é tão amarga e poderosa que eles pediram para Isaque sair dali. Os homens de Gadara também mandaram Jesus embora quando Ele expulsou o demônio do homem que vivia acorrentado e no cemitério (Mt 8.34). A inveja tem atrapalhado muitos relacionamentos e até grandes projetos na obra de Deus. As capacidades deveriam ser bem acolhidas, pois juntos podemos aproveitar os dons que Deus dá ao Seu povo e edificarmos a casa espiritual que é a Igreja (v.12-16).

4.Isaque teve que sair dali, mas reabriu outros poços que Abraão também tinha deixado e que também estavam fechados. Isaque continuou a usar os mesmos nomes para os poços que o pai abrira. Os poços tinham nomes. Mais veio de água foi encontrado, mas a briga por posse começou com os pastores de Isaque e os pastores da região de Gerar. Claro, o nome do poço ficou sendo “Contenda” (Eseque). O ser humano é irremediavelmente contencioso e invejoso, então, era de se esperar mais brigas quando foram achados outros veios de água. O nome do novo poço é “Oposição” (Sitna). Outra vez, Isaque consegue achar água, mas desta vez teve folga dos invejosos briguentos. Por causa da folga ou largueza que teve diante dos inimigos, o poço se chamou “Avenida ou Rua” (Reobote, com o sentido de largo, espaço como devem ser as ruas). É tão confortante trabalhar sem a pressão da inveja, contenta e acusação (v.17-22).

5.Isaque foi para a terra de onde veio, Berseba. A comitiva do rei Abimeleque veio até ele. Na mente de Isaque lá vinha mais problemas. Ele estava com uma atitude armada contra eles, pois ele foi muito maltratado. Porém, Abimeleque estava ali para reconhecer que Deus estava com Isaque e queria fazer um pacto de paz. Nós também devemos suportar humilhações, acusações e maus-tratos pacientemente no Senhor, pois Ele é o nosso juiz. A equipe de Isaque se tornou especialista em achar água, pois Deus estava abençoando. Talvez, a maior tristeza de Isaque e Rebeca foi ver seu filho, Esaú, se envolver com mulheres sem o temor de Deus. Parece que muitos pais crentes também estão sofrendo hoje com isso, quando seus filhos estão namorando e se casando com não crentes, desobedecendo a ordem de Deus, vista em 2 Coríntios 6.14-17 tão claramente. Outros pais, infelizmente, não veem problema algum nessa prática e até incentivam laços dos filhos com pessoas de outra fé (v.23-35).

“Com relação aos versículos 26-31, Williams explica: ‘Os homens de Gerar só vieram buscar a bênção de Deus com Isaque depois que o patriarca se separou definitivamente deles [...]. Os cristãos auxiliam melhor o mundo quando vivem separados dele...’”[1]


[1] Comentário Bíblico Popular Antigo Testamento, pg. 35 – William MacDonald (Editora Mundo Cristão – SP – 2ª ed. junho de 2011 – impresso na China)

Nenhum comentário:

Postar um comentário