Gênesis 49



Capítulo 49: As bênçãos de Jacó aos seus doze filhos, as tribos de Israel
1.Jacó estava profetizando o rumo de cada tribo da nação de Israel. Ele começa com o primogênito, Rúben. A característica marcante de Rúben foi sua falta de equilíbrio. Ele se deitou com Bila, a concubina de Jacó (Gn 35.22). Simeão e Levi são destacados pela violência com que trataram o povo do jovem Siquém por ter estuprado Diná (Gn 34). Judá é o antecessor do Messias, Jesus Cristo. A característica que marca Judá é a realeza. Zebulom seria comerciante devido à residência em portos. Issacar seria trabalhador agrícola vivendo numa região próspera. Dã significar julgar e Sansão que era dessa tribo foi o juiz mais conhecido de Israel. Dã era muito sagaz como uma serpente, mas o que mais caracterizou essa tribo foi a idolatria. Gade seria marcado pela valentia em combates. Aser não expulsou os inimigos e se tornou um povo agrícola aproveitando da prosperidade que isso lhe deu[1]. Naftali era uma tribo caracterizada pela velocidade e poesia, pois proferiam palavras
formosas. José é o filho querido de Jacó. A tribo originária dele ficou com o nome de Efraim que significa frutífero e essa foi a característica de José para com toda a família. Sem dúvida foi o mais abençoado nas palavras de Jacó. A menção de flecheiros trata-se das perseguições e calúnias pelas quais José passou, mas o Senhor o exaltou. A história de Benjamim foi marcada com crueldade. Saul que foi cruel para com Davi e massacrou os sacerdotes de Nobe. Outros benjamitas furiosos: Abner, Sebna, Simei e Saulo de Tarso[2]. Após as bênçãos proferidas por Jacó, ele pediu para ser sepultado na terra que Deus deu para a família. O Senhor deu forças para Jacó abençoar os filhos e, então, foi levado ao encontro mais maravilhoso que o homem pode ter, que é à presença do criador e salvador. Portanto, essas são as doze tribos de Jacó, que é Israel. Note que José não é muito mencionado como tribo. Efraim ficou em lugar de José. Sendo que Manassés também é considerado tribo de Israel, alguns dizem que eram 13 tribos de Israel. (v.1-33).

“A exclamação: ‘A tua salvação espero, ó Senhor!’ (Gn 49.18) sugere que Jacó estava em comunhão com Deus enquanto falava com seus filhos. Pedia a Deus por mais forças a fim de concluir o que tinha a dizer? Ou estava anunciando que, em breve, o Senhor o chamaria para a eternidade?”[3]

Tribo
Significado
Acontecimento em torno do nascimento
Característica marcante na profecia de Jacó
Rúben, filho de Lia
“Veja o filho”
O primogênito. Lia esperava ser amada por Jacó por causa do filho.
Impetuoso. Falta de moderação. Praticou excesso de pecado e deitou-se com a concubina do pai.
Simeão, filho de Lia
“Ouvir”
Lia sentia-se muito desprezada.
Violência contra um povo todo por causa de um príncipe mimado que estuprou Diná
Levi, filho de Lia
“Unido, atado, ligado”
Lia achava que o terceiro filho, finalmente, uniria Jacó a ela em amor.
Violência junto com o irmão, Simeão. As duas tribos se dividiram. Simeão foi absorvido por Judá e Levi recebeu 48 cidades espalhadas pela terra.
Judá, filho de Lia
“Louvor”
Lia disse que dessa vez louvaria o Senhor. Antes louvou, mas estava desesperada por atenção e não por Deus.
Judá teve a ideia de entregar José aos mercadores ismaelitas. Ele reteve o filho para Tamar continuar a descendência. Ele se dispôs a levar Benjamim para o Egito em troca da própria vida. De Judá vem a realeza, os reis da dinastia de Davi e, finalmente, Jesus.
Zebulon, filho de Lia
“Habitação”
Lia pensava que Jacó, dessa vez, moraria na tenda com ela sem dividir com Raquel.
Zebulon era comerciante, pois morava perto do mar e vendia produtos aos fenícios e outros povos. A tribo de Zebulon foi muito importante para derrotar Sísera quando Débora e Baruque eram juízes-libertadores.
Issacar, filho de Lia
“Galardão, recompensa”
Raquel e Lia se desentenderam por causa das mandrágoras (planta que ajuda a mulher ser fecunda, conforme pensavam). Lia voltou a ter filhos, pois tinha cessado sua fertilidade. Ela tinha dado a serva, Zilpa, para continuar na tentativa de agradar Jacó.
A tribo de Issacar era feita de homens trabalhadores. Eram agricultores em uma região próspera.
Dã, filho de Bila
“Juiz”
Raquel, em desespero, queria morrer se não tivesse filho. Jacó ficou bravo com ela. Raquel ofereceu a serva para ter filho de Jacó através dela.
Sansão foi juiz-libertador da tribo de Dã. A tribo de Dã era esperta, mas a idolatria.
Gade, filho de Zilpa
“Tropa, invasores”
Lia insistia em tentar ganhar o amor de Jacó através de gerar filhos. Quando não pôde mais, ofereceu sua serva, Zilpa.
A tribo de Gade ficou conhecida pela valentia (Js 22.1-6).
Aser, filho de Zilpa
“Feliz, abençoado”
Lia dava importância aos comentários e dela diriam que é uma felizarda por ter tantos filhos e até a sua serva ser fértil.
A tribo de Aser não expulsou os inimigos como Josué ordenou, mas se contentou com a prosperidade da região fértil e ali ficou criando gado.
Naftali, filho de Bila
“Minha luta”
Raquel, em sua luta contra a esterilidade e contra a própria irmã, ofereceu mais uma vez Bila.
Naftali era uma tribo caracterizada pela velocidade e poesia, pois proferiam palavras formosas e deviam ser bons corredores. Alguns acham que eram livres de tradições, por isso, “gazela solta”.
José, filho de Raquel
“Deus acrescentou”
Finalmente, Raquel teve um filho. Ela queria que Deus acrescentasse mais um filho a ela e, de fato, veio mais um.
José é o filho querido de Jacó. A tribo originária dele ficou com o nome de Efraim que significa frutífero e essa foi a característica de José para com toda a família. Outra tribo veio de José, Manassés. Por isso, alguns dizem 13 tribos, sendo que não se fala tribo de José, mas de Efraim e a 13ª  seria a tribo de Manassés.
Benjamim, filho de Raquel
“Filho da minha mão direita”
Raquel teve um parto difícil e mortal. O nome que ela deu foi Benoni (“Filho da minha aflição”). Jacó mudou para filho da minha mão direita, pois por ser o caçula ficaria mais tempo com pai até sua velhice. Daí a razão de não querer que Benjamim fosse para o Egito, além de ser o filho de Raquel.
A história de Benjamim foi marcada com crueldade. Saul que era benjamita foi cruel para com Davi e massacrou os sacerdotes de Nobe. Outros benjamitas furiosos: Abner, Sebna, Simei e Saulo de Tarso.
Diná, filha de Lia
“Julgamento”
A única mulher dentre os nascidos. Não era contada para ser uma tribo de Israel.
É o mesmo significado do primeiro filho da serva de Raquel, Dã.

Para sermos exatos, Jacó teve 15 filhos, pois além dos 12, os filhos de José, Efraim e Manassés ficaram sendo dele e Diná, filha de Lia.


[1] Comentário Bíblico Expositivo do VT Vol. 1 Pentateuco – pg. 218 – Warren W. Wiersbe (Editora Geográfica – 1ª edição 2006)
[2] Ibid, pg. 220
[3] Ibid, pg. 219

Nenhum comentário:

Postar um comentário