Jonas 3



Capítulo 3: Uma nova oportunidade para Jonas e para Nínive
1.Jonas teve uma segunda oportunidade que se assemelha à segunda oportunidade de vida, pois ele estava praticamente morto, dentro do ventre do grande peixe e Deus o perdoa da desobediência e o chama novamente para pregar a Nínive. Isto não significa que Jonas mudou de atitude completamente, pois vemos no final do livro a sua rebeldia surgindo novamente. As pessoas que fazem suas promessas e votos a Deus numa cama de hospital nem sempre mantêm seus planos quando saem de situações de aflição. A cidade era de mais ou menos 99 km, pois uma jornada de um dia são 33 km. Jonas não gastou 1 dia, mas o livro relata que já no primeiro dia ele pregava a mensagem de juízo ordenada por Deus. O tempo para a cidade se arrepender era generoso, 40 dias
(v.1-4).

2.A cidade provavelmente não precisou dos 40 dias, mas logo ao ouvir a mensagem os habitantes se arrependeram. Até o soberano da nação aceitou a mensagem e mostraram nas vestimentas e no jejum que estavam lamentando os seus pecados diante de Deus. Os animais refletiram que a cidade estava em prantos. Eles admitiram diante de Deus que era violentos. Deus se arrependeu do mal que faria à cidade, ou seja, mudou de ideia e não mais destruiria Nínive. O arrependimento de Deus, neste caso, se deu porque a nação aceitou a advertência de Deus. O arrependimento é uma mudança de mente em relação a algum assunto. Sendo que Deus deu a oportunidade de arrependimento à cidade e a cidade reagiu positivamente, então, Deus deixou de exercer a punição para presentear a nação com a misericórdia. Assim acontece em todas as épocas e entre todos os povos. A mão do Senhor jamais punirá o contrito de coração (v.5-10).

“Note-se a curiosa inclusão dos animais nesse jejum (7)... Jl 1.19-20. Os próprios animais do campo, que clamam ao Senhor, são objetos de Sua compaixão, conforme as últimas palavras do livro de Jonas nos informam.”[1]

Uma nova oportunidade para Jonas e para Nínive
1.A mesma ordem e a mesma mensagem (v.1-4)
2.A mesma atitude de quem se converte (v.5-8)
3.A mesma misericórdia de Deus quando o pecador se converte (v.9-10)



[1] Novo Comentário da Bíblia, pg.15 (Editado pelo Prof. F. Davidson, MA,DD. Editado em Português pelo Rev. D. Russell P.Shedd, MA, BD, PhD – Edições Vida Nova – São Paulo – SP – 2000)

Nenhum comentário:

Postar um comentário