Miquéias 6

Capítulo 6: Os ganhos por pertencer ao Senhor
1.Talvez não se encaixe a palavra “ganho” nesta profecia, pois Deus está em demanda com o povo de Israel por causa de sua desobediência, por isso, a palavra que parece mais apropriada é “perda”. Porém, em Hebreus 12.6, Ele nos diz que repreende a todos quantos ama. Se Deus corrige o Seu povo, inclusive, com vara, é porque Ele ama esse povo e se Ele ama isto se constitui em ganho. O profeta devia levantar a sua voz contra os povos da região das montanhas, ou seja, o povo de Judá. Deus usa servos Dele para repreender o Seu povo. É um ganho ter profetas que não se calam. Deus tem uma controvérsia com o Seu povo Israel. Alguém ter uma controvérsia conosco é preocupante, mas quando Deus tem uma demanda conosco é extremamente urgente dar atenção às reivindicações Dele. O Senhor está perguntando para Israel, qual é a reclamação que Israel tem de Deus. Nós não temos a ousadia de acusar Deus de nada. Ele é Deus. É ganho para nós nos calarmos, pois Ele tem a liderança. Às vezes tratamos a liderança de Deus com tanto desprezo que até parece que Ele nos fez algo ruim. Um ganho notável do crente por pertencer ao Senhor é a liderança. Devemos aprender a agradecer pela liderança que Ele nos deu. Moisés, Arão e Miriã eram bênçãos
de Deus para o Seu povo, mas o povo rejeitou a liderança de Deus. Além dos bons líderes que Deus envia para o Seu povo, Ele também livra o Seu povo de maus líderes. Israel ficou livre de Balaão, que tentou amaldiçoar Israel, mas não conseguiu, pois Deus mudava as palavras dele. O crente pertence ao Senhor e só tem a ganhar com isso. Um dos ganhos é a liderança (v.1-5).

“Moisés era o seu legislador, líder e comandante; Arão era o seu sacerdote para oferecer sacrifício por eles e para interceder a seu favor; e Miriã era uma profetiza...”[1].

2.Outro ganho do crente por pertencer ao Senhor é o mandamento Dele. Nós nunca ficamos sem a ordem do Senhor. Nunca ficamos sem saber o que Ele deseja de nós. O povo de Israel estava enganado quanto à vontade de Deus. As pessoas achavam que simplesmente oferecendo o sacrifício regularmente Deus se alegrava e que não precisavam mais se preocupar com nada. Essas palavras são do profeta Miquéias. O povo não estava com toda essa compreensão. O raciocínio do povo era oferecer quantos sacrifícios Deus quisesse e viver a sua vida normal, ou seja, uma vida de pecado, que já havia se tornado, para Israel, a normalidade. Deus nos fala qual é a Sua vontade. Não é que eu seja missionário, pastor, presbítero, diácono ou todas os ministérios bons para a obra do Senhor. Deus tem um mandamento para nós, que se resume nisto: em entregarmos nossa vida totalmente a Ele. O mandamento do Senhor para o crente é distribuído em três ações: praticar, amar e andar. Andar sem mandamento algum pode ser atraente para os rebeldes, mas o crente precisa ouvir a doce voz do Senhor, orientando-o como andar neste mundo. É um ganho por pertencer ao Senhor. Deus não tem mandamentos para os incrédulos e rebeldes, senão que se arrependam (v.6-8).

PRATICAR a justiça, ou seja, agir de modo correto e honesto nos negócios, na família e na adoração.
AMAR a misericórdia, ou seja, socorrer os aflitos. Tiago 1.27 nos revela a verdadeira religião.
ANDAR em humildade com Deus, ou seja, reconhecer que Ele é Quem controla a vida do crente.

3.Muitos não conseguem ver a repreensão como um ganho, mas a Bíblia diz que é. Em Hebreus 12.6, conforme já vimos, Deus castiga e repreende a todos quantos ama. Viver sem repreensão é viver como um bastardo. O texto diz que é verdadeira sabedoria temer o nome do Senhor. A repreensão Dele é a grande vantagem que temos sobre os incrédulos. Eles não são repreendidos, pois não pertencem a Ele. Todo pai deve repreender o seu filho porque o filho pertence ao pai. O crente deve ouvir a vara da repreensão do Senhor. A primeira repreensão de Deus para Israel era quanto à injustiça da balança enganosa. No original é o “o efa da magreza”. Um efa era a medida de 22 litros para secos. Deus pegou o povo em injustiça. Os comerciantes estavam roubando na venda de seus produtos, fazendo dinheiro desonesto (v.10-11, veja Amós 8.5). A repreensão sempre nos pega em nossos segredos. Não queremos que ninguém saiba o que estamos fazendo às escondidas, mas ao mesmo tempo sabemos que não temos como prosperar com a desonestidade. O ganho desonesto é a perda da dignidade, mas ser repreendido por Deus é um ganho por pertencer ao Senhor. Aceitemos a Sua justa repreensão em nossas vidas. As riquezas dos ricos eram desonestas e eram acompanhadas de violência e mentira. Não é incomum encontrar essa tríade perniciosa: as riquezas desonestas, a violência e a mentira. Os pecados são perda, mas a repreensão é ganho. Os que pertencem ao Senhor não deveriam continuar no pecado, mas aceitarem imediatamente a repreensão do Senhor. Israel não aceitou a repreensão do Senhor e nem Judá e, por isso, ambas ficaram desoladas. As riquezas desonestas não saciam a fome, pois elas têm sabor amargo. Os filhos e mulheres seriam presos nas guerras civis, pois o próprio povo entraria em guerra entre si. Mesmo sendo resgatados por dinheiro, morreriam pela espada. A conclusão é que é impossível fugir da correção do Senhor. Se somos Dele seremos corrigidos. Podemos desistir do Senhor, mas Ele não desiste de nós. Quando o rebelde não aceita a repreensão de Deus, tudo lhe vai mal. O trabalho não tem paga, ou seja, o trabalho não rende a felicidade desejada. Os projetos são frustrados. Quando algo não vai bem é preciso consultar ao Senhor. Será que Ele está em alguma demanda conosco? Onri foi um príncipe perverso e idólatra que seguiu o exemplo de Jeroboão. O povo de Israel seguiu os caminhos dele (1 Rs 16.16,24-26). Não é ganho algum seguir os maus exemplos. É verdadeiro ganho quando seguimos a repreensão do Senhor. Vale a pena pertencer ao Senhor. Vivemos de modo mais rígido que os incrédulos, mas eles também vivem sob regras. Nós somos escravos do Senhor e os incrédulos vivem escravizados por Satanás. Os ganhos por pertencer ao Senhor são: viver debaixo de uma liderança espiritual, viver debaixo do mandamento de Deus e viver debaixo da repreensão de Deus (v.9-16).

Os ganhos por pertencer ao Senhor – Mq 6
1.Liderança (v.1-5)
2.Mandamento (v.6-8)
3.Repreensão (v.9-16)

Alguns temas ligando a História de Israel à fama de nação rebelde com a paciência de Deus - Mq 4-6
1.Exercendo atração (4.1-2)
2.Paz mundial (4.3)
3.O politeísmo e o monoteísmo (4.5)
4.O regresso de Israel a sua terra (4.7,12)
5.Babilônia (filha das tropas) e o rei Zedequias (juiz, de fato rei, de Israel) (5.1)
6.O rei Jesus Cristo: aguardado, rejeitado e o seu retorno em vitória (5.2-4)
7.O fim da confiança própria de Israel (5.9-15)
8.A história de Israel repleta do cuidado de Deus (6.1-5)
9.O que agrada a Deus e o que Israel tentou oferecer (6.6-8)
10.Os caminhos de Acabe são a ruína de Israel (6.16)




[1] John Gill's Exposition of the Entire Bible (John Gill 1690-1771 - extraído de e-sword version 10.3.0 – 2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário