Êxodo 20

Capítulo 20: Os Dez Mandamentos
1.Se alguém perguntar para mim: “A sua igreja aceita a Lei?”, eu digo: “Sim”. Se perguntarem: “Vocês guardam a Lei?”, eu respondo: “Não”. Espantados, os interlocutores perguntariam: “Por que não?”. Eu responderia: “Porque não conseguimos!”. É isso mesmo meus amigos, não conseguimos obedecer aos Mandamentos justos do Deus justo. Insistentes, diriam: “Quem não guarda os Mandamentos de Deus está perdido”, eu concordaria: “Sim, merecemos o inferno”. Como bons “evangelistas mosaicos” perguntariam: “Isso não preocupa a vocês?” Confiantemente, eu exultaria: “Não mais”. Sim, não tememos a morte eterna, pois mesmo incapazes de obedecer a Lei, errando o alvo santo de Deus, Jesus Cristo morreu a morte que merecíamos e, por isso, a Lei não tem mais poder de nos condenar. Para que serve a Lei, então? O apóstolo Paulo diz que há uma maneira de usar a Lei de modo legítimo (1 Tm 1.8). A Lei deve ser enfatizada, não para incentivar o incrédulo ou mesmo o crente a obedecerem, mas para mostrar ao pecador que ele não tem condições alguma de se aproximar a Deus por obediência e méritos próprios. Somente por Aquele que cumpriu a Lei e morreu porque não cumprimos é quem pode nos salvar da maldição da Lei. Os Dez Mandamentos são tão auto explicativos e absolutos que é desnecessário maiores explicações. É interessante notar
que não existe o mandamento: “Não mentirás”. O fato de negar que somos pecadores e presumirmos que podemos obedecer aos Mandamentos já faz de todos nós mentirosos. Seja como for, dizer falso testemunho contra o próximo já é mentira. Adorar outro deus ou reverenciar imagens também são práticas mentirosas em si mesmas. O mandamento mais discutido entre todos, em nossa sociedade sabatista é a guarda do sábado. É o único mandamento que não se repete no Novo Testamento, exceto para condenar a prática de quem exalta o sábado acima dos demais dias da semana. O sábado que significa descanso é cheio de significado para o povo de Israel e um um teste para a nação. Não apenas como dia da semana, mas como descanso da terra a cada 6 anos. O ano sabático foi roubado pelos israelitas durante 490 anos, por isso, tiveram que amargar o cativeiro por 70 anos, deixando a terra experimentar o seu sábado (descanso) (v.1-17).

Mandamento
Significado para nós já crentes
1º) Não terás outros deuses diante de mim
Qualquer pessoa, objeto ou valor colocado antes de Deus em nossas vidas caracterizam “outros deuses”.
2º) Não farás para ti imagem de escultura
Nossos deuses materializados em objetos de desejo, tornam-se nossas imagens de escultura divina.
3º) Não tomará o nome do Senhor teu Deus em vão
O praguejar usando o nome de Deus ou até associando Deus a desejos cobiçosos e pecaminosos fazem-nos culpados de tomar o nome de Deus em vão.
4º) Lembra-te do dia de sábado para o santificar
Jesus Cristo é o nosso sábado. Para Ele somos separados, não apenas em um dia, mas todos os dias da semana e de nossa vida.
5º) Honra a teu pai e tua mãe
A palavra “honorário” vem da palavra honra. Chegará um momento em que precisaremos “honrar” os pais, cuidando e sustentando.
6º) Não matarás
Todos somos assassinos em potencial quando odiamos as pessoas. O apóstolo João disse que quem odeia a seu irmão já é assassino.
7º) Não adulterarás
Jesus disse que só imaginar ter uma relação extraconjugal já é adultério.
8º) Não furtarás
Somos ladrões desde criança. Sempre tentando levar vantagem sobre outras pessoas.
9º) Não dirás falso testemunho contra o teu próximo
Quando para nos safar de situações embaraçosas culpamos outros já somos culpados de perjúrio.
10º) Não cobiçarás
O escritor Tiago diz que as guerras que fazemos são por causa da nossa cobiça. Paulo disse que não conhecera o pecado, não fosse pela Lei que dissera: não cobiçarás. Gostamos e queremos aquilo que é dos outros. Se não pudermos, ridicularizamos o que os outros têm para valorizar o que é nosso e disfarçar nossa frustração.

2.O povo ouviu a Lei de Deus e as demonstrações trovejantes e relampejantes do poder de Deus. Eles preferiam ouvir Moisés a ouvir Deus, pois tiveram grande medo. Deus foi bem claro e repetitivo sobre adoração a outros deuses. O Senhor não queria nada feito pelo homem tal como um altar de pedras trabalhadas. Ele preferia as pedras brutas, sem auxílio de mãos humanas. Nada do que fizermos para Deus tem valor. Somente aquilo que Ele faz através de nós produz louvor a Ele. Até mesmo o altar com degraus, por ser obra trabalhada do homem, não serve. Apenas mostraria a nudez do homem. Nós somos revestidos com as vestes da justiça de Cristo e isso agrada a Deus (v.18-26).

“Eles concordaram em ouvir Moisés, mas pediram que Deus mesmo não falasse com eles por medo de morrerem. É verdade que se Deus fala em lei absoluta, ninguém pode viver. Entretanto, Moisés era um mediador, portanto, tipo de Cristo como o único mediador entre Deus e os homens (1 Tm 2.5).[1]


[1] Comments on the book of Exodus – Leslie M. Grant (biblecentre.org)

Nenhum comentário:

Postar um comentário