Êxodo 21-23

Capítulos 21-23: Diversas leis do dia a dia
1.Os próximos capítulos legislam várias situações do cotidiano. Qualquer sociedade seria justa com a teocracia (Deus no governo). No entanto, não significa que todos obedeceriam, pois os homens são pecadores. O governo justo de Deus será estabelecido com o Messias, Jesus Cristo. O povo de Israel terá um coração transformado e poderá cumprir os mandamentos de Deus. Essas leis em Êxodo só provam ao homem que é impossível andar nos caminhos de Deus o tempo todo. A seguir, 34 leis divididas por títulos. Porém, devem ter mais leis subdivididas. O objetivo de apresentá-las aqui é para conhecimento. Jamais alcançaremos a justiça de Deus através da tentativa de obedecer essas leis, pois não conseguimos cumpri-las integralmente e em todo o tempo. Nossa justiça foi alcançada em Cristo Jesus somente. Algumas dessas leis são aceitas até mesmo por incrédulos, pois fazem bom senso em qualquer sociedade e convívio interpessoal:


Lei
Referência
Escravo homem
21.1-2
Escravo voluntário da orelha furada
21.3-5
Escrava mulher
21.7-11
Agressão física
21.12-15
Sequestro
21.16
Filhos que amaldiçoam os pais
21.17
Ferimento físico por briga
21.18-21
Indenização por ferimento
21.22-27
Ferimento por boi
21.28-32
Ferimento por descuido
21.33-36
Roubo
22.1-4
Estrago de lavoura
22.5-6
Perda ou estrago de objetos de outros
22.7-13
Perda ou estrago de objetos emprestados
22.14-15
Fornicação com uma virgem
22.16-17
Feitiçaria
22.18
Bestialidade (relação sexual com animal)
22.19
Idolatria
22.20
Estrangeiros, viúvas e órfãos
22.21-24
Usura (agiotagem)
22.25
Penhor
22.26-27
Cidadão que amaldiçoa Deus e autoridades
22.28
Primeiros frutos (plantação, animais e filhos)
22.29-30
Presa ou caça despedaçada
22.31
Calúnia, perjúrio e parcialidade
23.1-3
Caridade para com o inimigo
23.4-5
Justiça no tribunal
23.6-7
Suborno
23.8
Opressão contra o estrangeiro
23.9
Ano do descanso para os pobres
23.10-11
Sábado para renovação de forças
23.12
Idolatria (novamente)
23.13
Três festas
23.14-17
Sangue e gordura do sacrifício
23.18-19

2.Após essas legislações, Deus promete que um anjo iria adiante do povo, orientando e protegendo. O Senhor reforça o mandamento de não adorarem outros deuses. Canaã era cheio de idolatria. A promessa de prosperidade é bem própria do Velho Testamento para o povo de Israel. Até mesmo a promessa de fertilidade, sucesso em todos os partos e longevidade é garantida pela obediência. A vitória sobre os inimigos seria certa, porém, progressiva para que o povo de Israel não ficasse numa terra cheia de feras da terra. O território de Israel seria alargado e o povo cresceria muito. Seria muito importante que o povo de Israel não fizesse aliança com os moradores de Canaã, pois isso seria uma armadilha devido aos deuses deles (23.20-33).

“Embora não seja universalmente aceito que ‘a melhor regra de vida é a honestidade’, pode-se demonstrar que em qualquer sociedade estável a honestidade traz consigo sua própria recompensa, ainda nesta vida. A lei divina, se obedecida, garantia a justa distribuição de comida em Israel. Considerada como um código de higiene, a lei divina garantia a Israel um padrão de saúde muito superior ao das terras vizinhas, como Filístia e Egito, onde pragas tinham caráter endêmico (15:26). O respeito pela velhice, em particular pelos pais, garantia que os velhos tivessem lugar seguro e honrado na sociedade. Um psicólogo diria que, na estabilidade da vida conjugal israelita, as tensões e conflitos psicológicos eram virtualmente ausentes.”[1]



[1] Êxodo – Introdução e Comentário, pg. 176 – R. Alan Cole (Série Cultura Bíblica – Edições Vida Nova e Editora Mundo Cristão – SP - 2ª ed. 1981)

Nenhum comentário:

Postar um comentário