Êxodo 34

Capítulo 34: As novas tábuas da Lei
1.A prova de que Deus não abandonou o seu povo foi a nova confecção das tábuas da lei. Desta vez, Moisés talhou as tábuas. Quando quebramos a obediência a Deus precisamos refazer através da confissão e um andar digno em Sua presença. Somente se Deus se apresentar ao pecador poupando-o pela Sua grande misericórdia é que o homem conhecerá os planos do Senhor. Isto Ele faz através de Sua Palavra. Ninguém poderia se achegar a Deus sem conhecê-Lo e o modo como resolver que se mostraria ao homem foi pela Palavra Dele. Moisés jamais abriu mão da companhia do Senhor. Apenas uma viagem segura e um destino certo não satisfazem ao homem que anseia pela intimidade com Deus. As bênçãos de Deus não devem ser mais importantes do que a Sua presença. Os que buscam apenas os benefícios que Deus pode conceder vivem somente para o seu
bem-estar e não para conhecer a Deus pessoalmente (v.1-9).

2.Deus renova o seu cuidado para com o povo, mas exige a obediência. A intimidade com os povos de Canaã seria uma armadilha, por isso, deveriam se aproximar de Deus e não dos homens. Muitas vezes, as pessoas querem que Deus as ajude a se relacionarem melhor com os seus semelhantes. Para o crente, isso pode se tornar uma armadilha. Precisamos dar preferência a Deus, obedecendo-o, e não buscar aceitação dos homens. A prostituição da terra pode atingir ao povo de Deus se estiverem muito preocupados em serem aceitos pelo mundo. Os filhos sofrerão as consequências de pais ambiciosos pelas coisas deste mundo. As festas proclamadas por Deus deveriam ser obedecidas por Israel (v.10-27).

3.O jejum de Moisés foi suportado somente pela intervenção divina para um fim específico. Nenhum homem deveria tentar imitar esse jejum feito por Moisés. O rosto de Moisés brilhou devido à presença de Deus consigo, porém, ele mesmo não se deu conta desse resplendor. As pessoas que o receberam ficaram assustadas. Podemos nos lembrar de Estevão que também teve o seu rosto resplandecente antes de ser morto pelos fariseus. Quando Moisés percebeu que o seu rosto resplandecia ao estar com o Senhor, ele cobria o rosto para se encontrar com o povo. O apóstolo Paulo diz que Moisés fazia isto para que o povo não visse o resplendor sumir aos poucos. A glória de Jesus nunca se apaga, porém, o homem desvanece com o tempo (v.28-35).

“Então, Deus renovou sua aliança, prometendo realizar maravilhas a favor do povo de Israel quando lançasse fora os habitantes de Canaã. Entretanto, o Senhor o advertiu de não se misturar com aqueles povos pagãos, nem adotar suas práticas idólatras. Os postes-ídolos (Asera) se referem às imagens obscenas ou ídolos fálicos que serviam de símbolos da fertilidade. Uma vez que Deus havia feito uma aliança com seu povo, os israelitas não deveriam fazer aliança com os moradores da terra. É impossível manter comunhão com Deus e com ídolos ao mesmo tempo (1 Co 10.21).”[1]

A segunda chance para obedecer a Deus
1.A obediência quebrada precisa ser reconstruída (v.1-4)
2.Os pecados são perdoados, mas precisam ser tratados (v.5-9)
3.Alguns cuidados precisam ser tomados com mais zelo (v.10-27)
4.A glória da presença de Deus continuará a desvanecer do homem quanto mais tempo ficar longe Dele (v.28-35)




[1] Comentário Bíblico Popular Antigo Testamento, pg. 81-82 – William MacDonald (Editora Mundo Cristão – SP – 2ª ed. junho de 2011 – impresso na China)

Nenhum comentário:

Postar um comentário