Zacarias 7

Capítulo 7: Jejum inútil
1.Dois anos após o profeta ter recebido numa só noite 8 visões. Os homens que vieram ao Senhor tinham nomes pagãos, recebidos no cativeiro da Babilônia e, provavelmente, foram oficiais do governo caldeu ou persa. Eles buscaram os sacerdotes a respeito do jejum. Durante os 70 anos os judeus mantinham jejum, mas não era para o Senhor e sim para eles próprios. Porque estavam aflitos, acumularam rituais religiosos para serem ouvidos por Deus. Talvez muitas pessoas que fazem jejum estão mais fazendo algum tipo de “greve de fome”, exigindo que Deus lhes dê o que desejam. O jejum não deve ser moeda de troca. Quem fizer jejum deve fazer particular e secretamente, não deve anunciar aos outros e nem mostrar em seu rosto que está aflito. O objetivo deve ser ter mais intimidade com Deus. Portanto, fazer jejum e ter as atividades normais, sem estar na presença de Deus exclusivamente para orar, não faz sentido. Muito menos fazer jejum de
chocolate, refrigerante, caviar, etc. parece mais uma brincadeira do que sinceridade (v.1-7).

“Israel jejuava para satisfazer a si mesma, oferecia boa performance religiosa, mas não era acompanhada de verdadeiro arrependimento pelo pecado. Eles jejuavam a respeito de suas calamidades porque estavam magoados, mas não porque entristeceram a Deus!”[1]

2.O jejum não tem sentido sem a prática da piedade que só o Espírito Santo pode desenvolver no crente. O povo estava falhando na justiça, bondade e misericórdia. As viúvas e órfãos estavam sendo esquecidos bem como os demais necessitados. Deus clamou ao povo para que não cometessem essas injustiças, por isso, quando clamaram a Ele não foram atendidos. Este ensino é atual, pois ainda temos uma necessidade humana e pecaminosa de reverenciar rituais religiosos vazios, buscar a aparência externa e inútil. A hipocrisia impede que conheçamos a Deus em sua intimidade. Os ritos e esforços próprios não substituem a comunhão com o Senhor obtida através da leitura e meditação da Palavra, oração e prática sincera da justiça (v.1-14).


[1] An Outlined Commentary on Zechariah, pg. 32 (Barry Horner – Bunyan Ministries - http://bunyanministries.org/expositions/zechariah_commentary.pdf no dia 17/06/2015)

Nenhum comentário:

Postar um comentário