Levítico 13-15

Capítulo 13: Lepra
A lepra é, sem dúvida, uma das melhores comparações ao pecado, a pior doença do ser humano. Na suspeita de lepra, a pessoa era levada ao sacerdote. Não para ser curada, pois o sacerdote não é médico ou algum tipo de curandeiro, mas para atestar a doença e a subsequente separação do arraial. O pecado traz separação do homem e Deus. Às vezes, não era lepra, mas uma simples erupção de pele. Mesmo assim, nesse caso, a pessoa ficava em observação por sete dias. O sacerdote é quem declarava a pessoa pura ou imunda. Da mesma maneira, não é o pecador quem julga suas ações, mas o Senhor que é Santo. O doente de lepra deve viver esfarrapado e denunciar sua presença gritando: “Imundo!”. Não adianta o pecador ser culto, limpo e bem arrumado. Diante de Deus ele está separado. Deus conhece o homem em seu íntimo. Os objetos mofados também eram analisados. Se tivessem mofo que se espalhasse, então, eram destruídos e queimados. O pecador sem a cura da salvação será lançado na condenação eterna, onde o fogo arde
infinitamente.

Capítulo 14: Rituais de purificação da lepra
As pessoas diagnosticadas com lepra ficavam separadas do arraial, longe de todos. Na suspeita de cura, não eram aceitas imediatamente, mas somente com a aprovação do sacerdote. Mesmo o sacerdote, não as liberava imediatamente, mas cumpria o período de 7 dias para que o leproso voltasse para garantir que fora curado mesmo. O sangue está em todo o ritual, através da morte das aves e o pano vermelho. Só Cristo pode curar o pecador de seu pecado através de sua morte na cruz.  O leproso também era purificado através do banho. A Palavra de Deus é nossa água regeneradora. No ritual de purificação, o sacerdote molhava com sangue a orelha, o polegar e o dedo do pé daquele que precisava de purificação. O pecador precisa purificar seu ouvido para ouvir a Deus, sua mão para agir do modo como Deus quer e o pé para andar no caminho reto do Senhor. Até aquele que não tem condições ou animais caros para sua oferta pelo pecado, pode oferecer pombinhos. O perdão de Deus é oferecido a todos os pecadores, sem exceção. Os rituais para a limpeza da casa mofada seguem o mesmo princípio, inclusive com a morte de animais inocentes. O pecado afeta toda a vida do pecador. A casa simboliza a vida de alguém, pois é ali que ela vive. Quando se diz “a casa caiu”, isto mostra que a vida entrou em tragédia.

Capítulo 15: A impureza íntima
As próximas instruções são por demais íntimas, mas mesmo assim são tratadas, pois se ilustram nossos pecados, eles têm origem em nosso mais íntimo, em nossa alma. As emissões de sêmen ou menstruação são fluxos normais, porém, constrangedores os quais são tratados com o mais absoluto decoro. O objetivo não é considerar as partes genitais do ser humano como fontes do pecado, mas assim como os demais assuntos tratados em Levítico, é para que fique bem delineado o caráter santo de Deus e o caráter impuro do pecador. Tudo o que é impuro tem o poder de tornar impuro aquilo que tocar. O pecado se alastrou na humanidade contaminando tudo e todos. A purificação se dá também com a lavagem com água e o sacrifício de animais inocentes. A Palavra e a morte de Cristo na cruz são os nossos instrumentos de purificação espiritual e eterna providenciados por Deus e eficazes para todo o que crê.

O pecado ilustrado na lepra, no mofo e nos fluxos corporais
Capítulo 13
1.O pecado aparece na vida do pecador (13.1-2)
2.O pecador não pode se avaliar. Não é ele quem julga se é puro ou impuro (13.3)
3.O pecado faz separação entre o homem e Deus e o homem com os seus semelhantes (13.4)
4.Só Deus (representado pelo sacerdote) pode declarar o homem puro (13.6)
5.O pecado se apresenta de diversas formas e pode nos enganar (13.7)
6.O pecado é crônico e não tem maneira fácil de lidar com ele (13.11)
7.O pecado afeta todas as áreas da vida e não apenas um aspecto (13.12)
8.O pecado não pode ser confundido com as marcas da vida (13.23 e 13.40-44. Exemplos: sofrimento, pobreza, doença física, defeito físico, lar desestruturado, etc.)
9.O pecador está separado de Deus e imundo. Qualquer tentativa de melhorar o exterior não resolve (13.45-46. Exemplos: estudo, educação, beleza, riqueza, inteligência, trabalho, religiosidade, etc.)
10.O pecado não é tratável. Só o fogo eterno elimina o pecado (13.47-52, 57) ou...
Capítulo 14
11.O pecado não é tratável. Somente o sangue de Cristo purifica o pecador (14.1-7. Note o pano vermelho)
12.A água purificadora da Palavra de Deus purifica o pecador (14.8-9)
13.O pecador precisa de purificação total (14.14-18 - orelha, polegar e dedo do pé – ouvidos à Palavra, obras de suas mãos e andar digno. Óleo representa o Espírito Santo)
14.A salvação é oferecida a todos. O pecador não tem recursos próprios (14.30-32)
15.O pecador está todo contaminado (14.33-57. Casa representa a vida, pois é ali que vivemos. Quando se diz que a casa caiu, significa que a vida se tornou uma tragédia)
Capítulo 15
16.O pecado é íntimo (15.1-2)
17.O pecado é constrangedor (15.3-4)
18.O pecado é contagioso (15.5-6)
19.O pecado é destruidor (15.12)
20.O pecado só é purificado com a morte de Cristo e a Palavra – sangue e água – (15.13-14)
21.O pecado atinge aos homens e mulheres (15.19-20)
22.A presença de Deus não admite o pecado, por isso, o crente deve se separar (15.31)

Nenhum comentário:

Postar um comentário