Levítico 18

Capítulo 18: A santidade do sexo
1.As perversões sexuais existem desde que o pecado entrou no mundo. Por serem nossos sentidos gritantes pelo prazer e pelo sexo ser o maior prazer carnal competindo com o ato de alimentar-se, não é de se admirar que a humanidade tenha um desequilíbrio na alimentação e no sexo. Deus estava preparando o povo para entrar em Canaã. No Egito, havia perversidade sexual também, mas parece que Canaã, com sua mistura de povos, era incomparavelmente mais pervertida. A garantia de vida física estava em não se desregrarem nos costumes pagãos. De certa forma, e talvez é mais intenso, vivemos em época de sexo compulsivo e crescimento exponencial de vendas de artigos eróticos, muito embora haja uma resistência da população brasileira diante de lojas de sexo comparado com outros países (v.1-5).

“Os vitorianos faziam de conta que o sexo não existia; os modernos fazem de conta que nada mais existe”.[1]

2.A lista dos pecados sexuais, neste capítulo, inclui 17 relacionamentos proibidos. A expressão
“descobrir a nudez” ou “ver a nudez” significa simplesmente ter relação sexual, mas evidentemente, não é necessária a consumação do ato sexual para que haja pecado. Porém, não significa que pessoas que veem nudez, por razões médicas e cuidados de doentes, estejam em pecado. Os relacionamentos sexuais mencionados são considerados incestos, mas temos bases em outros textos, inclusive no Novo Testamento (1 Ts 4.6, Hb 13.4) para afirmar que Deus não se agrada de qualquer outro relacionamento fora do casamento, seja entre amigos, namorados e casados. No texto que estamos estudando fala da mulher do próximo que não é parente. O relacionamento sexual com a mulher menstruada era proibido para fins de pureza cerimonial. No meio das advertências sobre a pureza sexual, há uma advertência contra a idolatria. Moloque seria um laço para o povo de Israel, mas Deus já avisara. A idolatria de Moloque estava ligada às perversões sexuais. Ainda há a advertência contra a homossexualidade e bestialidade. A necrofilia não é mencionada, mas sabemos que a perversão sexual não respeita limites e há os que se relacionam sexualmente com mortos. Outro pecado não mencionado é a pedofilia. Deus está pronto para destruir os povos de Canaã e Israel não deve perpetuar essas perversões. Tudo isso causou vômito na terra que Deus criou (v.6-30).

Algumas estatísticas sobre as perversões estudadas
1.Há estatísticas que afirmam que a procura por objetos em sex shop (lojas de sexo) nos EUA aumentou 7,5% após o lançamento dos livros, o qual se tornou filme, 50 tons de cinza (não se preocupem, eu não li nem assisti!). Foram 70 milhões de cópias vendidas[2]

2. Apenas 10% dos casos de incesto são revelados no Brasil. 70% são cometidos por pais biológicos, menos de 30% por padrastos e apenas 0,6% por pais adotivos[3].

3.O adultério deixou de ser crime a partir de 28 de março de 2005 pela lei 11.106. A calúnia, difamação e injúria são crimes (artigos 138,139 e 140 do Cód.Penal) e, portanto, denunciar um adúltero pode ser perigoso!

4.De acordo com a pesquisa Estatísticas de Registro Civil 2013... foram realizados no ano passado 3.701 casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo no país... O IBGE não contabiliza registros de união estável.[4]

5. 76% dos dinamarqueses são a favor da nova lei que proíbe a bestialidade. Há bórdeis de animais, inclusive. Os países vizinhos, Noruega, Suécia e Alemanha, já proibiram a prática. A bestialidade é ilegal em Inglaterra desde 1290, de acordo com uma lei aprovada durante o reinado de Eduardo I, mas na maioria dos países europeus a prática só foi proibida nos últimos dez anos. Em 2012, uma lei apresentada pelo governo de Angela Merkel proibiu a bestialidade na Alemanha, porém, há muitos protestos contra a lei. Na Suécia, a prática foi apenas banida em abril deste mesmo ano, com o apoio do ministro dos Assuntos Rurais, Eskil Erlandsoon. “Não deve existir dúvidas de que a bestialidade é inaceitável”, disse na altura. Mas em países como a Finlândia, a Hungria e a Roménia, a zoofilia é ainda legal.[5]. O profeta de uma das grandes religiões do mundo praticava o incesto e bestialidade.

A zoofilia é considerada crime em diversos países. No Brasil, a Câmara analisa o Projeto de Lei 3141/12, do deputado Ricardo Izar (PSD-SP), que eleva a punição imposta a quem pratica maus-tratos contra animais quando forem constatados atos sexuais[6]. Porém, note que a preocupação é sobre os maus-tratos contra os animais e não a decência humana e muito menos a proibição bíblica.


Impurezas sexuais
1.Estar no mundo não significa participar de suas perversões (v.1-3)
2.Viver na Palavra significa que é possível controlar as paixões perversas (v.4-5)
3.Pecados de incesto e adultério (v.6-20)
4.Pecado da idolatria ligado às perversões sexuais (v.21)
5.Pecado do homossexualismo (v.22)
6.Pecado da bestialidade (v.23)
7.Pecados que fizeram a terra vomitar (v.24-30)

Nenhum comentário:

Postar um comentário