Levítico 19

Capítulo 19: Várias ordenanças
1.Após um capítulo bem específico, sobre pecados sexuais, Deus lembra o povo que Ele é santo e quer que os seus servos também sejam santos. As ordenanças são dirigidas ao povo em relação ao cotidiano e incluem a honra aos pais, a guarda do sábado, a fuga da idolatria e o modo correto de oferecer os sacrifícios (v.1-7).

2.Deus fez provisão aos pobres através das sobras dos que tinham condições de ter lavouras fartas. Não era para existir pobres entre os israelitas. Colher as sobras das lavouras era permitido aos estrangeiros também, pois o povo foi estrangeiro no Egito e Deus cuidou dele. Nos relacionamentos interpessoais Deus advertiu os israelitas sobre a mentira, roubo e falsos testemunhos. O sistema de pagamento de funcionários era diário. Aos deficientes físicos, Deus mandou tratá-los com dignidade. Por exemplo, falar mal de um surdo seria uma covardia e, por isso, não era para fazer esse mal. Colocar um obstáculo para o cego tropeçar também é pecado. Às vezes, divertimo-nos às custas das fraquezas das pessoas. Para Deus, isso não é diversão. Podemos dizer que o bullying é
algo bem antigo, pois brota de coração perverso. Sobre os julgamentos, Deus mandou executar a justiça. Normalmente, pensamos que os pobres precisam ser favorecidos. Não é isso que Deus ensina, mas que a justiça deve prevalecer independente da classe social (8-15).

3.A calúnia é uma faca pelas costas, pois a vítima não tem como se defender, pois não é algo que se faz na frente dela. A amargura afeta a todos e, por isso, se alguém tem queixa contra o outro deve repreendê-lo em amor. A amargura se transforma facilmente em vingança. Algumas leis foram estabelecidas para cumprir rituais e não possuíam um valor moral, mas serviria como medidor de obediência. Exemplos: (mistura de animais de espécies ou tamanhos diferentes no mesmo jugo[1], plantações misturadas e tecidos misturados). O comércio de escravos era lícito, mas tinha leis de respeito envolvidas. Deus ofereceu o perdão para os pecados do dia a dia mediante a oferta de animal inocente. Deus mantinha o crescimento das árvores frutíferas ordenando que o plantador obedece aos primeiros três anos sem colheita. No quarto ano dessas árvores, os frutos eram do Senhor e somente no quinto ano o homem poderia saboreá-las. Tudo isso era um passo de fé. O homem deveria confiar que nada lhe faltaria, pois Deus forneceria o suprimento de diversas maneiras (v.16-25).

4.Sobre o sangue, já foi mencionado que Deus o santificou. O Senhor Jesus derramou o seu sangue e isso deveria ser bem preparado na mente das pessoas com antecedência. A adivinhação é colocada no mesmo nível que a feitiçaria e, por isso, ambas são pecado. Deus queria deixar bem longe dos israelitas as práticas pagãs. Os egípcios tinham hábitos que não deveriam ser repetidos, tais como cortes de cabelo e barba, automutilação e tatuagens. A filha deveria ser preservada para o marido e jamais ser entregue à prostituição. A casa do Senhor deveria ser reverenciada (v.26-30).

5.Deus proibiu a consulta aos médiuns, os que dizem falar com os mortos. Quem fizer isso será contaminado. Não tem como associar-se com essa prática sem ter a vida transtornada de alguma maneira. O povo de Israel deveria aprender com o Senhor sobre a honra aos mais velhos. A honra aos mais velhos envolvia o levantar-se quando eles passassem. Lembrem-se que Jó estava triste porque nem os jovens se levantavam mais diante de sua presença. O Senhor lembrou-lhes que os estrangeiros devem se sentir em casa, como se fosse natural da terra. Portanto, a xenofobia[2] é pecado. Deus faz o povo lembrar que foram estrangeiros no Egito. Enquanto escrevo essas linhas, ministros europeus pedem uma reunião de urgência para tratar sobre crise de refugiados. Na Áustria, foi encontrado um caminhão com 50 imigrantes mortos.[1]


[1] http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2015-08-30/ministros-europeus-pedem-reuniao-de-urgencia-sobre-crise-de-refugiados.html As medidas e pesos também fazem parte das ordenanças, ou seja, o vendedor deve ser honesto e exato. Evidentemente, que se beneficiar o comprador, ele pode dar a mais (v.31-37).

Diversas ordenanças para o cotidiano
(Algumas ordenanças são gerais e servem para todas as épocas e outras são específicas para Israel antes de Cristo)
1.Honra aos pais (v.1-3)
2.Guarda do sábado (específico para a nação de Israel antes de Cristo) (v.3)
3.Proibição da idolatria (v.4)
4.Sacrifício da maneira correta (v.5-8)
5.Limitação de colheita (específico para a nação de Israel antes de Cristo, embora seria um recurso de ajuda social hoje em dia) (v.9-10)
6.Não roubar (v.11)
7.Falar a verdade (v.11)
8.Não jurar pelo nome de Deus (v.12)
9.Pagar o salário do empregado (v.13)
10.Não prejudicar os deficientes físicos (v.14)
11.Não julgar baseado na classe social (v.15)
12.Não caluniar ou fofocar (v.16)
13.Não nutrir amargura ou ódio (v.17)
14.Não praticar a vingança (v.18)
15.Não misturar animais diferentes em espécie e tamanho no mesmo jugo, sementes e tecidos (específico para a nação de Israel antes de Cristo) (v.19).
16.Respeitar a escrava casada (específico para a nação de Israel antes de Cristo, provavelmente com aplicações para os dias de escravidão) (v.20)
17.Levar o sacrifício à porta da tenda da congregação (específico para a nação de Israel antes de Cristo) (v.21-22)
18.Respeitar os primeiros quatro anos do cultivo de árvores para comer de seu fruto (v.23-25)
19.Não comer sangue (v.26)
20.Não praticar adivinhação (v.26)
21.Não imitar os cortes de cabelo e barba dos egípcios (v.27)
22.Não praticar a automutilação (v.28)
23.Não fazer marcas no corpo (v.28)
24.Não entregar a filha à prostituição (v.29)
25.Reverenciar o santuário (específico para a nação de Israel quando se reunia no Templo antes de Cristo) (v.30)
26.Não buscar os que falam com mortos e fazem adivinhações (v.31)
27.Respeitar os mais velhos levantando-se em sua presença (v.32)
28.Não oprimir o estrangeiro (v.33-34)
29.Ser honesto nos pesos e medidas e tribunais (v.35-36)
30.Guardar tudo o que Deus mandar (v.37)




[1] Comentário Bíblico Expositivo do VT Vol. 1 Pentateuco – pg. 370 – Warren W. Wiersbe (Editora Geográfica – 1ª edição 2006)
[2] O dicionário Houaiss define assim xenofobia ou xenofobismo: desconfiança, temor ou antipatia por pessoas estranhas ao meio daquele que as ajuíza, ou pelo que é incomum ou vem de fora do país. É sinônimo de preconceito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário