Ester 6

Capítulo 6: A perda da honra
1.Deus estava preparando a situação perturbando o sono do rei. Aquela menção da boa ação de Mordecai no livro de registro do rei seria muito útil agora. O rei não se mostrou indiferente, mas quis saber se Mordecai foi devidamente recompensado. Nem sempre sabemos disso, mas tudo o que é feito por ser o certo a fazer pode mudar uma situação na vida de alguém e, quem sabe, na própria vida daquele que fez o certo. Hamã estava no pátio, ansioso para pedir ao rei que Mordecai fosse enforcado. Não sabemos se Hamã estava no pátio pela manhã ou na noite em que o rei não conseguia dormir. Uma coisa é certa, se Hamã chegasse antes do rei saber do bem que Mordecai
fizera, a história poderia ser bem diferente, pois o rei era propenso a aceitar tudo o que Hamã dizia (v.1-5).

2.Hamã não pegou o rei em um dia bom, pois, desta vez, quem era favorável aos olhos do rei era Mordecai. Se o rei quer honrar alguém, é melhor que os súditos concordem. Hamã já se sentia honrado pelo rei, pois pensava que era a ele que o rei queria honrar. A sugestão de Hamã à pergunta do rei foi bem audaciosa. Praticamente, Hamã estava dizendo que o homem a ser honrado fosse transformado em rei por um dia. As intenções de Hamã eram da mesma categoria que a intenção de Lúcifer, a de ser igual a Deus. Hamã queria ser igual ao rei e, talvez, depor o rei e usurpar o trono (v.6-9).

3.O rei mandou Hamã seguir exatamente a sugestão dada só que em benefício de Mordecai. Os versículos simplesmente fazem tudo isso acontecer, mas não temos a expressão facial de Hamã, o tom de voz, os argumentos usados por Hamã aos guardadores das roupas, etc. Podemos imaginar, sem medo de errar, que Hamã estava envergonhado, enraivecido e contrariado com a honra que Mordecai estava recebendo, muito mais por partir de suas próprias mãos e, pior, de sua própria sugestão. Os mesmos que aconselharam Hamã, inclusive a mulher dele, agora pioram a situação de Hamã dizendo que tudo está perdido para Hamã, pois Mordecai é do povo judeu a quem Hamã quis matar. Os eunucos chegaram para levar Hamã para o segundo banquete que Ester prometeu preparar no qual Hamã e o rei deveriam participar (v.10-14).

“Não existe nenhuma evidência contemporânea para Hamã, mas há uma extraordinária pintura na sinagoga Dura Europos (245 a.D.) a qual descreve Mordecai montado sobre um cavalo, guiado por um homem que presumidamente seja Hamã. Assuero está sentado no trono “do rei Salomão” com Ester ao seu lado.”[1]

A perda da honra
1.Perda da honra por esquecimento (v.1-3)
2.Perda da honra por justa ação divina (v.4-14)


[1] Archaeological Backgrounds of the Exilic and Postexilic Era Part II: The Archaeological Background of Esther, pg. 105 - Edwin M. Yamauchi (Bibliotheca Sacra - April-June 1980)

Nenhum comentário:

Postar um comentário