Levítico 26

Capítulo 26: As bênçãos e as maldições
1.O povo de Israel só tinha a ganhar obedecendo ao Senhor e se afastando dos costumes idólatras dos vizinhos que em breve ganhariam. A promessa da colheita incessante, além, é claro, de no sexto ano a terra produzir para três anos. Deus faria até mesmo um controle ambiental para que os animais não invadissem os seus arraiais. Quanto ao poder militar, o povo não precisaria um grande exército para destruir os inimigos, pois Deus pelejaria por eles. A escravidão seria coisa do passado. Eles não precisariam mais se preocupar com ninguém oprimindo suas famílias (v.1-13).

2.Se por um lado há alegria em consequência da obediência a Deus, o desobediente curtirá muito
sofrimento físico. É muito fácil o leitor concluir que Deus fica bravo por não cumprirem o que Ele quer e, por isso, infringe sofrimentos físicos e vergonha sobre o pecador. Porém, quando se conhece o caráter de Deus, sabemos que o objetivo das maldições é didático. Ele quer ensinar àquele que se desviou do caminho certo a encontrar novamente a bondade do Senhor. Não se trata, portanto, de vingança, mas de um Deus chamando a atenção do homem. Sendo que somos sensíveis às doenças e perda de bens, então, é assim que Deus nos chama a atenção. Quando se diz castigar mais sete vezes, não precisamos fazer as contas, mas o texto simplesmente quer transmitir a ideia de castigar completamente, o quanto for necessário para trazer o pecador de volta ao Senhor. A colheita falharia, as chuvas não viriam. O céu se tornaria como ferro e a terra bronze. Uma figura para indicar que água não sairia das nuvens e a terra não absorveria a chuva, pois não haveria chuva. As feras matariam o gado. Os inimigos invadiriam as terras e levariam os frutos que lhes restariam. O preço do pão será proibitivo, muito caro e raro. O cativeiro os deixará sem pátria. Os anos dos jubileus roubados serão recuperados por Deus, descansando a terra. Isso aconteceu no cativeiro babilônico por 70 anos. O medo e a ansiedade serão comuns a todos (v.14-39).

“A fome leva as pessoas fazer coisas desumanas, como matar e comer os próprios filhos (ver 2 Rs 6.29, Jr 19.9, Lm 4.10).”[1]

3.Os próximos versículos mostram que todo o sofrimento e maldições são o método de Deus para disciplinar o povo e trazê-lo ao arrependimento. Deus ama muito ao seu povo. Ele mantém a promessa feita aos patriarcas do povo de Israel. Todas essas advertências foram proferidas no Monte Sinai (v.40-46).

Situações agradáveis e dolorosas com propósito divino
1.Sucesso pela obediência a Deus (v.1-11)
2.Fracasso pela desobediência a Deus (v.12-39)
3.Propósito didático de Deus (v.40-46)



[1] Comentário Bíblico Expositivo do VT Vol. 1 Pentateuco – pg. 399 – Warren W. Wiersbe (Editora Geográfica – 1ª edição 2006)

Nenhum comentário:

Postar um comentário