Números - Introdução

O livro de Números
Introdução[1]

A.Nome do livro
1.O livro leva esse nome por causa dos dois censos feitos sobre os homens de guerra nos capítulos 1-4 e 26-27. O primeiro foi feito dois anos após a nação ter deixado o Egito, e o segundo foi feito 38 anos após isso, quando a nova geração estava para entrar em Canaã. Esses números não eram da nação inteira, mas somente dos homens aptos para a guerra. O primeiro censo revelou que 603.550 homens eram aptos; o segundo, 601.730.

2.O título original hebraico é "bemidbãr" = "no deserto de" (1.1). Alguns dizem que outro nome que
apropriado para este livro seria "O Livro das Jornadas", pois relata a viagem da nação de Israel desde o Monte Sinai até Canaã.

B.Autor
Moisés. Alguns usam o mesmo argumento de Êx 6.3 para tentar provar que Moisés não podia ter sido o escrito, pois se fosse mostra sua arrogância e autoconceito (veja Nm 12.3). Porém, outros tentam explicar que essas palavras seriam adições editoriais.

C.Data
1450-1410 a.C. Cobre um período de mais de 38 anos, que é o tempo da jornada no deserto, enquanto Êxodo e Levítico cobrem um período de apenas 14 meses.

D.Tema
1.Números é o livro do "deserto". É descrita a queda da nação em Cades-Barneia e suas peregrinações pelo deserto até a velha geração dos incrédulos morrer. Alguém descreveu essa peregrinação pelo deserto como "a mais longa marcha fúnebre da História".

2.Somente Calebe e Josué dos mais velhos da geração foram permitidos entrar em Canaã, porque eles confiaram em Deus e se opuseram à decisão da nação de voltar a Cades-Barneia. Mesmo Moisés foi proibido de entrar na Terra Prometida por causa de seu pecado quando feriu a rocha ao invés de falar com ela.


E.LiçÕES espirituaIS
1.Números tem uma lição muito especial para os crentes, hoje, como é referida em Hb 3-4 e 1 Co 10.1-15.

2.Deus honra a fé e pune a incredulidade. A raiz de todos os pecados de Israel no deserto foi a incredulidade: não confiaram na Palavra de Deus.

3.Em Cades-Barneia duvidaram da Palavra de Deus e falharam ao entrar em sua herança.

4.Muitos crentes hoje estão "no meio do caminho" em suas vidas espirituais: foram libertos do Egito pelo sangue do Cordeiro, mas ainda não entraram em sua herança em Cristo.

5.Canaã não é um quadro do céu; antes, é uma ilustração de nossa herança espiritual em Cristo (Ef 1.3), herdada pela fé. Canaã foi uma terra de batalhas e bênçãos, como é a vida do crente neste mundo, porém, no céu não haverá lutas.

6.Muitos crentes caem no local da decisão (Cades-Barneia); ao invés de serem conquistadores (como descrito em Josué), tornam-se peregrinos (como descrito em Números). São salvos, mas falham em cumprir o propósito de Deus para suas vidas. Não querem confiar em Deus para superar os gigantes, derrubar as muralhas e entrar na Terra da Promessa. Não atravessaram o Jordão (que ilustra a morte de si mesmo).

7.A nação não cresceu durante sua peregrinação no deserto; de fato, o segundo censo mostrou 1.820 homens de guerra a menos.

8.A nação passou aflições desnecessárias por 38 anos; assim acontece com crentes que não andam por fé e não confiam em Sua Palavra.

F.Deserto e Peregrinação
A passagem pelo deserto era uma bênção de Deus para Israel, para prová-los, porém, os anos de peregrinação (38 anos) não eram necessários, pois a passagem pelo deserto está repleta de bênçãos, como por exemplo:

  1.Passagem pelo Mar Vermelho - separação do Egito (mundo) (Êx 14.22).
  2.Mara - Deus transformando os aborrecimentos em bênçãos (Êx 15.23).
  3.Elim - Descanso e refrigério no caminho (Êx 15.27).
  4.Sinai - A santidade de Deus e Sua Lei (Êx 19.18).

Observe que até aqui (2 anos de caminhada) não podemos dizer que foi uma peregrinação, nem que estavam andando sem rumo, pois Deus estava guiando e criando oportunidades para a maturidade do povo. Porém, a partir de Cades-Barnéa, a mão de Deus pesa em castigo e não mais em bênçãos e isto foi por 38 anos, o texto bíblico que registra essa peregrinação desnecessária (por causa da incredulidade) está entre (Dt 2.14). Um caminho mais perto seria possível, mas Deus queria protegê-los (Êx 13.17).

G.Os dois censos

Tribos
Cap.1
Cap.26
Aumento
Diminuição
Rúbem
 46.500  (7º)
 43.730  (9º)

  2.770  (4º)
Simeão
 59.300  (3º)
 22.200 (12º)

37.100  (1º)
Gade
 45.650  (8º)
 40.500 (10º)

  5.150  (3º)
Judá
 74.600  (1º)
 76.500  (1º)
  1.900  (6º)

Issacar
 54.400  (5º)
 64.300  (3º)
  9.900  (4º)

Zebulom
 57.400  (4º)
 60.500  (4º)
  3.100  (5º)

Efraim
 40.500 (10º)
 32.500 (11º)

  8.000  (2º)
Manassés
 32.200 (12º)
 52.700  (6º)
20.500  (1º)

Benjamim
 35.400 (11º)
 45.600  (7º)
10.200  (3º)

Dan
 62.700  (2º)
 64.400  (2º)
  1.700  (7º)

Aser
 41.500  (9º)
 53.400  (5º)
11.900  (2º)

Neftali
 53.400  (6º)
 45.400  (8º)

  8.000  (2º)
TOTAL
603.550
601.730
59.200
61.020
                                  t o t a l  de  d i m i n u i ç ã o                      1.820

Observe os resultados da primeira coluna em relação à segunda. Veja que Judá continuou em 1º lugar no censo. Procure relacionar a classificação obtida com a atitude dessas tribos em relação a Deus, e terá respostas, como, por exemplo, porque a tribo de Simeão, de 3ª colocada no 1º censo, vai para em último lugar no 2º censo. Da mesma forma, Manassés de 12ª colocada, vai para a 6ª colocação, e, ainda, obtém o 1º lugar na coluna de aumento. Também, existe uma razão para o empate na diminuição de Efraim e Naftali. Note, também, que a tribo de Levi nem é mencionada. Todas essas variações servem de advertência para nós hoje (Nm 26.54).                

H.As sete murmurações no deserto
Dos capítulos 11-21 estão as 7 murmurações do povo de Israel durante a peregrinação no deserto. Deus mesmo se angustiou com este povo (Sl 95.8-11):

Murmuração
Referência
Motivo
Primeira
11.1-3
de sua sorte (talvez fadiga ver 10.33)
Segunda
11.4-35
contra a falta de carne
Terceira
cap.12
contra Moisés (por causa da inveja)
Quarta
13-15
contra os planos de ir para Canaã (por causa do medo)
Quinta
16-19
contra a liderança
Sexta
cap.20
contra a falta de água
Sétima
cap.21
contra o maná

I.O livro das guerras do Senhor
Números 21.14 - Este livro é desconhecido e provavelmente continha o registro das guerras das quais Israel travou para conquistar a terra de Canaã.



[1]  1.Explore the book - J.Sidlow Baxter
 2.Merece confiança o AT? - Gleason L.Archer, Jr
 3.Manual Bíblico - H.H.Halley
 4.Estudo Panorâmico da Bíblia - Henrietta C.Mears
 5.Christian Workers' Commentary on The Old e New Testaments - James M.Gray
 6.Análise Bíblica Elementar - James M.Gray
 7.O livro dos livros - H.I.Hester
 8.Conheça sua Bíblia - Júlio Andrade Ferreira 
 9.A História de Israel - Samuel J.Schultz
10.Através da Bíblia - Myer Pearlman
11.Introdução ao Velho Testamento -  H.E.Alexander
12.De Adão a Malaquias - P.E.Burroughs
13.O Novo Dicionário da Bíblia
14.Bíblia anotada pelo Dr. Scofield
15.Expository outlines on Old Testament - Warren W.Wierse
16.A Short introduction to the Pentateuch - G.Ch. Aalders
17.Comentários da Bíblia Vida Nova

Nenhum comentário:

Postar um comentário