Esdras 2

Capítulo 2: A reintegração do povo em Jerusalém e cidades circunvizinhas
1.Este capítulo registra as famílias que retornaram para Jerusalém. Alguns, evidentemente, jamais viram a terra dos seus pais. Os líderes que os conduziram de volta à terra tiveram bastante trabalho, pois era um trabalho de reestruturação da cidade e das pessoas. A Lei do Senhor estava meio esquecida e sem aplicação, pois estavam longe da terra. Alguns não conseguiam provar que suas famílias pertenciam a Israel. Os supostos sacerdotes que não conseguiam provar sua membresia à família sacerdotal não foram aceitos para ministrar as coisas sagradas. O que poderia resolver esta questão era uma intervenção direta de Deus através do Urim e Tumim, método usado para revelar verdades impossíveis aos homens descobrirem. Sabemos que uma comparação bem prática para nós é que ninguém pode se achegar a Deus, para morar com Ele, se não for o seu filho. Isso se dá por meio da fé em Cristo Jesus, o Filho de Deus. Dessa forma, somos co-herdeiros com Jesus Cristo
na família do Pai. Isso não é comprovado com certificado de batismo, rol de membros de uma igreja ou pagamento, mas somente pelo selo do Espírito Santo na vida daquele que creu (v.1-67).

2.Para se construir tudo aquilo novamente eram necessárias ofertas. As pessoas ofertavam voluntariamente. Isso mostra que aqueles que resolveram viver uma vida normal na Babilônia e Pérsia podiam se sustentar através da agricultura e outros ofícios, ganhando tranquilamente o seu sustento para sobreviver. É tão importante quando pessoas sentem que fazem parte de uma comunidade. Ninguém precisa apelar por dinheiro e ajuda, pois o próprio senso de pertencimento faz com que as pessoas voluntariamente ajudem nas necessidades que surgem (v.68-70).

“Que ninguém se queixe dos gastos necessários de sua religião. Busquemos primeiro o reino de Deus, seu favor e sua glória; então, todas as outras coisas nos serão acrescentadas. Suas ofertas nada eram comparadas às da principesca época de Davi; porém, por serem proporcionais à sua capacidade, foram igualmente aceitas por Deus. O Senhor nos conduzirá por todas as tarefas que começarmos conforme a sua vontade, se o objetivo for sua glória e se dependermos de sua ajuda.”[1]

A coragem e ousadia para recomeçar (Ed 2)
1.Para muitos, a coragem de ir para uma terra desconhecida, mesmo sendo dos seus pais (v.1)
2.Para os líderes, a coragem de um trabalho de reestruturação da cidade e das pessoas (v.2)
3.Para os supostos sacerdotes, a ousadia de querer se envolver na obra santa (v.59-63)
4.Para os sacerdotes, a coragem de exercer o ministério sem o Urim e Tumim (v.63)
5.Para os chefes de famílias, a coragem de usar o próprio dinheiro para a reconstrução do Templo (v.68)
6.Para os oficiais dos assuntos do Templo, a coragem de assumir o seu pertencimento à nação (v.70)




[1] Comentário Bíblico de Matthew Henry pg.3 (Casa Publicadora das Assembleias de Deus - 3ª Edição - 2003)

Nenhum comentário:

Postar um comentário