Esdras 4

Capítulo 4: A oposição contra a obra de Deus
1.Quando a obra do Senhor dá andamento, os inimigos investem contra o povo de Deus. A maneira peculiar como os inimigos abordaram o povo de Deus só pode ser percebida por quem consulta ao Senhor constantemente e, por isso, ganham percepção dos perigos deste mundo. A abordagem não foi agressiva, pelo contrário, foi uma oferta de ajuda por motivos supostamente religiosos como o próprio povo de Deus. Zorobabel e os demais líderes não discutiram argumentos, mas foram pelo caminho mais óbvio e fácil, ou seja, não podemos aceitar a ajuda, pois o rei Ciro incumbiu o povo de Israel para a tarefa. Não era mentira e, ao mesmo tempo, era uma forma de encurtar a conversa. Às vezes, entramos em confusão por explicarmos coisas que não nos perguntaram. Podemos começar pelas explicações mais óbvias e fáceis. Caso o assunto continue, então, sim, podemos ir para os
argumentos e ações mais complexas. É um bom conselho para todo líder. Resuma e evite maiores confusões (v.1-3).

2.As pessoas comuns da região também estavam se tornando inimigas do povo, mas foram mais agressivas, tentando desanimar os trabalhadores. Eles até mesmo pagavam arruaceiros para atrapalhar o desenvolvimento da obra. Isso aconteceu do ano 536-520, ou seja, 16 anos[1]. Assuero ou Xerxes. No tempo do sucessor de Ciro, de Dario, de Xerxes (Assuero) e de Artarxerxes (486-424)[2] houve oposição. Isto mostra que o povo de Deus sempre sofrerá oposição dos incrédulos, sendo que alguns serão mais cruéis que outros. Os influentes políticos escreveram ao rei Artarxerxes contra o povo de Israel. O conteúdo da carta pode ser descrito em alguns pontos, como seguem abaixo (v.4-16).

O conteúdo da carta contra o povo de Deus (Ed 4)
1.Estão reconstruindo a cidade (Jerusalém) rebelde e má (v.12)
2.Estão consertando os muros e lançando os alicerces (v.12)
3.Não pagarão impostos e outras taxas e o rei sofrerá prejuízo (v.13)
4.A carta expressa a preocupação bem pelo estar do rei (v.14)
5.o rei deveria pesquisar os registros e conferir que Jerusalém é uma cidade problemática e, por isso, foi destruída (v.15)
6.Se a cidade for reconstruída, o reino perderá o reino no Eufrates (v.16)

3.O rei fez a pesquisa e, de fato, constatou-se que, na visão dos povos vizinhos a Israel, a nação era um problema muito grande. Para eles, Israel era a nação opressora. Por isso, o rei aceitou os argumentos da carta e mandou impedir a construção. Vemos que se tudo tivesse sido feito da época de Ciro não haveria problema, porém, há tempo para tudo, até mesmo para o povo de Deus sofrer oposição. Mesmo porque, na época de Ciro, não daria tempo de terminar tudo o que precisavam terminar com respeito à reconstrução dos muros, do templo e das cidades (v.17-24).




[1] Novo Comentário da Bíblia - Esdras pg.11 (Editado pelo Prof. F. Davidson, MA,DD. Editado em Português pelo Rev. D. Russell P.Shedd, MA, BD, PhD – Edições Vida Nova – São Paulo – SP – 2000)
[2] Ibid, pg. 11

Nenhum comentário:

Postar um comentário